A NFL possui vários motores de arranque para impulsionar o interesse do público. Um deles, sem dúvida, é a possibilidade de contabilizar performances em números. Basicamente todos os aspectos do jogo são postos em evidência através de estatísticas. Cada jarda alcançada, cada passe completado, cada sack, interceptação e até mesmo a contagem de jogadas (snaps) que cada jogador esteve em campo.

Não é raro ver rodas de discussão onde algum argumento deixa de lado a capacidade técnica de um jogador e expõe exclusivamente dados estatísticos do atleta. Algumas notícias postadas aqui no Blue Star Brasil ajudam na exposição dos stats, como por exemplo na matéria que afirma que nosso cornerback Morris Claiborne é o melhor da NFL contra passes em sua direção ou ainda na recente notícia que evidencia os recordes que estão sendo quebrados por nossos calouros Dak Prescott e Ezekiel Elliott.

Tendo em mente a importância dos números na maior liga de futebol americano do mundo, notar algumas dessas estatísticas passa a ser um fato na vida dos torcedores. A seguir separamos alguns desses dados, focando exclusivamente o Dallas Cowboys, que começam a chamar a atenção (alguns mais que outros) já neste primeiro terço de temporada regular:

 

1. Ezekiel Elliott é o running back com mais jardas terrestres na NFL até agora

Este não é um dado novo. Já são 546 jardas até a Semana 5. Desde o fim da partida contra o Cincinnati Bengals grande parte dos perfis nas redes postaram incansavelmente sobre o assunto. Mas, além de ser imprescindível falar sobre um atleta que foi a quarta escolha geral do Draft de 2016, é preciso lembrar que nas duas primeiras semanas da temporada Zeke chegou a ser questionado. Somando as jardas alcanças nas partidas contra os Giants e os Redskins, o running back conseguiu apenas 134 jardas. Para se ter uma ideia, só no jogo contra Cincinnati Elliott alcançou o mesmo número de jardas. Nas semanas 3 e 4 as marcas foram ainda maiores, com 140 e 138 jardas corridas, respectivamente.

 

2. Cole Beasley teve 53 jardas recebidas na Semana 5, a pior do jogador no ano

O jogador foi muito acionado nas primeiras semanas de 2016, tornando um alvo de segurança de Dak Prescott em descidas curtas. No entanto, contra os Bengals o jogador teve a pior marca da ano, com apenas 53 jardas recebidas. Apesar disto, se for levado em consideração as cinco partidas da temporada, Beasley lidera o time em número de recepções e de jardas recebidas, que totalizam até agora, respectivamente, 27 bolas recebidas e 332 jardas. Vale lembrar ainda que apesar da marca de “apenas” 53 jardas, o slot receiver marcou o seu primeiro TD do ano.

 

3. Ezekiel Elliott tem mais TDs corridos que 23 times da NFL

Zeke não está apenas impressionando com o número de jardas obtido em suas corridas. Ele está conseguindo transformar as suas boas atuações em pontuação para os Cowboys. Até a Semana 5 o jogador anotou 5 TD, um número superior a 23 equipes da liga. Vale destacar que o jogo terrestre de Dallas é o que mais marcou TDs até agora, com 11 no total.

 

4. Dallas Cowboys é time com menos passes para TD no ano

O jogo corrido está indo muito quando o assunto é entrar na endzone. Porém, já contando com o TD de Beasley contra o Cincinnati, Dallas marcou apenas 4 vezes pelo ar, a pior marca da temporada, empatando com o Los Angeles Rams.

 

5. Sean Lee, Morris Claiborne e Brandon Carr participaram de todos os snaps defensivos contra os Bengals

As posições dos três jogadores não passam pelo mesmo rodízio que jogadores da linha defensiva. Isso propicia um número maior de snaps jogados por estes atletas. O número não chega a ser uma surpresa, já que eles estão presentes em quase 100% das jogadas de todas as partidas. Mas vale a menção dos três defensores, que continuam se destacando. Carr e Claiborne já tem 1 interceptação cada em 2016, e Lee é o líder do time em tackles totais.

Márcio Silveira
Sigam-me

Márcio Silveira

Colaborador em Blue Star Brasil
Torcedor do Dallas Cowboys desde 2011, quando passou a acompanhar a NFL. Sonha em ver o time no Super Bowl cada vez que a temporada começa.
Márcio Silveira
Sigam-me