A confiança na Linha Ofensiva após má atuação no Thanksgiving

A confiança na Linha Ofensiva após má atuação no Thanksgiving

1127

(foto: dallascowboys.com)

 

O ataque do Dallas Cowboys enfrentou o front seven do Philadelphia Eagles na última quinta feira e a linha ofensiva permitiu ao jogo terrestre a apenas 3.7yds por carregada – igualando a mais baixa da temporada no jogo contra o Arizona Cardinals.

“Eles possuem um bom front defensivo, nós não fomos hábeis a correr com a bola consistentemente como fizemos ao longo da temporada,” foi o que disse o head coach Jason Garret. “Eu não sei se fisicamente dominamos a linha de scrimmage como fizemos em outros jogos.” completou.

Além do insucesso do jogo terrestre, os Cowboys também permitiram aos Eagles quatro sacks ao quaterback Tony Romo – o que não acontecia desde a derrota para os Redskins em outubro, quando foram cedidos cinco sacks.

Garrett não iria tão longe a ponto de chamar de o pior desempenho da linha ofensiva em 2014, mas para um grupo que tem obtido muito do sucesso dos Cowboys nessa temporada, foi certamente um passo para trás.

“Eu diria que, como um todo, nosso ataque não jogou bem quinta feira como em outros pontos da temporada,” disse ele. A linha ofensiva certamente é uma parte disso. O jogo corrido não foi nada consistente, a capacidade de bloquear não foi tão consistente como em outros jogos.

Questionado sobre o jogo, Travis Frederick (Center) não teve respostas para erro. Considerando o sucesso que tiveram durante grande parte da temporada, uma chave seria não reagir com exagero.

“Eu acho que nós definitivamente tivemos algumas coisas em que demos um passo para trás – fizemos algumas coisas atípicas e nós não sabemos o motivo. Somente não fomos nós,” disse Frederick. “A coisa mais importante daqui para frente é apenas fazer o nosso trabalho, não tentar fazer demais, não pensar demais nas coisas ou tentar fazer o trabalho de outra pessoa mais fácil fazendo mais do que o seu.” completou.

A juventude dessa linha ofensiva torna-se uma questão interessante, como este grupo responderá a esse passo para trás? Todos os cinco titulares da linha merecem a indicação ao Pro Bowl, porém com exceção do veterano Doug Free (right tackle), quatro dos cinco titulares tem 25 anos ou menos.

O rookie Zack Martin (right guard) completou 25 anos uma semana antes do Thanksgiving, enquanto Tyron Smith (left tackle) vai alcançar a mesma idade daqui duas semanas. A juventude é universalmente considerada uma coisa boa, mas isso afeta como eles podem lidar com as adversidades?

Essa não é uma questão que incomoda Garrett, que prontamente responde “Eles irão responder da maneira correta.” quando perguntado.

“Eu acho que eles são um bom grupo. Eles são ótimos jogadores e são o tipo de caras certos,” acrescenta. “Eles são duros fisicamente e mentalmente, e responderão bem. Eles possuem um orgulho enorme em fazer parte deste grupo”.

Tony Romo também não está preocupado. O Chicago Bears ocupa a 8ª posição no ranking de sacks da NFL, com 28 feitos, e o Cowboys cederam 25 essa temporada. Desses 25, 24 foram sofridos pelo Romo, que perdeu um jogo por conta de um sack onde sofreu duas fraturas transversais nas costas. Apesar disso, Romo esteve lá e passou seu voto de confiança ao grupo durante ao final de semana.

“Eles vão se recuperar,” disse ele. “Nós temos um monte de caras que sentem que não deram o seu melhor no jogo passado, e eu penso que isso mudará na próxima semana.” completou.

Esta não será a primeira experiência em um esforço de dar a volta por cima, apesar da atenção que ganharam essa semana. Pressão consistente atribuída muito ao Romo após a derrota na rodada de abertura da temporada contra o San Francisco 49ers, e o Cowboys respondeu a isso com seis vitórias seguidas e com uma média de 165 jardas terrestres por jogo.

O Cowboys também permitiu cinco sacks para o Redskins incluindo o que deixou Romo fora do jogo na derrota para os Cardinals na Week 9.

Em ambas as situações o Cowboys se recuperou. As atenções serão voltadas à capacidade de repetir a recuperação e se Dallas irá voltar para a coluna da vitória na quinta feira.

“Eu penso que é exatamente a situação em que nós realmente podemos olhar para trás e sermos hábeis a nos recuperarmos, sermos hábeis de lutar contra a adversidade e conseguir uma vitória fora de casa,” disse Frederick. “Nós falamos sobre isso e que ainda temos um longo caminho pela frente, mas ainda estamos em uma boa posição.”

 

Luiz Gustavo Ferreira

Luiz Gustavo Ferreira

Acompanha NFL desde 2007 e apaixonado pelo Dallas Cowboys desde então. Ex-jogador de Futebol Americano no Brasil, escritor e participante do Podcast.
Luiz Gustavo Ferreira