Na última quinta-feira, o torcedor do Dallas Cowboys foi dormir com o sentimento de que se a temporada não chegou ao fim, ao menos está muito próximo disso. Após o resultado contra o Los Angeles Chargers, o time chegou a sua terceira derrota seguida, sendo a segunda em seus domínios.

Se olharmos para a classificação, no entanto, vemos que a temporada não está perdida. Com um recorde de 5-6, realmente ficou difícil conquistar o título da divisão novamente esse ano, que muito provavelmente ficará com o 9-1 Philadelphia Eagles. Ainda assim, o Cowboys ainda pode se manter a dois jogos de distância de uma vaga nos playoffs pelo wild card caso alguns resultados aconteçam no domingo.

O que decepciona mesmo o torcedor, na verdade, é a forma como o time vem jogando.

Mas se você acha que estamos aqui para chover no molhado e criticar o desempenho do time, você se enganou. Estamos falando de algo muito estranho que está acontecendo contra o Dallas Cowboys em 2017, e isso passa pela qualidade da arbitragem nas partidas.

Antes de mais nada, queremos deixar algo claro aqui: não somos adeptos ao “choro”. Isto é: não queremos mascarar as falhas do time por conta de possíveis erros dos árbitros da NFL e muito menos dizer que o Dallas Cowboys deixaria de perder alguns jogos se tais erros não tivessem acontecido. Todavia, isso não impede que se façam comentários sobre o assunto.

Já faz algum tempo que os árbitros dos jogos do Dallas Cowboys não chamam seguradas da linha ofensiva adversária contra os jogadores do Cowboys. Muito tempo, pra se falar a verdade.

Tradução: “ATUALIZAÇÃO: Os adversários do #Cowboys não tiveram uma segurada ofensiva (por um jogador de linha ofensiva) nos últimos 33 quartos”

Sim, você não leu errado: são 33 quartos consecutivos sem uma chamada de segurada de um jogador de OL contra o Dallas Cowboys. Vale ressaltar que só estamos falando por um jogador de linha ofensiva porque o WR Mohamed Sanu cometeu essa falta no minuto final na derrota do Dallas Cowboys para o Atlanta Falcons, caso contrário seria de qualquer jogador. De qualquer forma, já são oito jogos completos e um quarto desde a última vez que os juízes marcaram uma segurada ofensiva contra Dallas.

Isso poderia ser extremamente compreensível se estivéssemos em uma situação hipotética onde a linha defensiva não estivesse bem. Com os jogadores da DL pressionando pouco o quarterback adversário, não faria sentido o jogador da linha ofensiva cometer uma falta para protegê-lo, o que explicaria esse número baixo. Ainda, esse número baixo também poderia ser explicado se a defesa estivesse tendo problemas contra o jogo terreste, possibilitando o jogador de linha ofensiva adversário abrir espaço para o running back correr sem a necessidade de usar bloqueios ilegais para isso.

No entanto, não é isso que acontece.

Atualmente, a defesa do Dallas Cowboys é a 10ª melhor da NFL em número de sacks, com 28 em 11 jogos. Durante esse período de oito jogos sem faltas de holding marcada, o time chegou a estar entre os cinco primeiros no quesito. Para atingir esses números, o Cowboys conta com os 11,5 sacks de DeMarcus Lawrence (2º melhor da NFL), os 6 de David Irving, atingidos em sete partidas, e os 4 de Tyrone Crawford. Dizer que durante todos esses 33 quartos de jogo não houve nenhum momento que houve esse tipo de falta e não foi marcado é, no mínimo, ingenuidade.

Há ainda o argumento de que a defesa sem Sean Lee cede muitas jardas terrestres e, dessa forma, não haveria necessidade de cometer seguradas. Sim, é verdade. Entretanto, Lee esteve presente em, pelo menos, 21 desses 33 quartos. E com Sean Lee em campo, a defesa cede em média 80,3 jardas terrestres por partida, o que colocaria a defesa de Dallas como a terceira melhor da NFL nesse quesito. Certamente havia motivos para o ataque adversário cometer esse tipo de falta enquanto Lee esteve em campo, não é mesmo?

Mas, por fim, erros acontecem. Os juízes podem ter deixado escapar um lance ou outro, mas isso não indica que haja “coisas estranhas” acontecendo. No entanto, próprias pessoas que cobrem o Dallas Cowboys por anos também repararam nisso.

Tradução: “Está correto. Algo está acontecendo. Filme (das jogadas) indicou isso.”

O tuíte acima era em resposta de um tuíte que mostrava esta imagem de uma jogada contra o Los Angeles Chargers.

É possível dizer que os juízes não viram esse puxão na camisa? Sim, é. Mas essa foi uma jogada com a falta acontecendo de forma tão clara que fica difícil acreditar nessa hipótese.

Ao invés de colocar todas as imagens de faltas de segurada nos últimos jogos aqui, vamos poupar o trabalho e colocar o vídeo feito pelo canal PuppyMonkeyGamer, que reuniu boa parte delas em um único vídeo. Mesmo se você não entender inglês é possível ver pelas imagens que é no mínimo estranho ver tantas faltas iguais serem constantemente ignoradas pelas zebras.

 

Além das faltas de segurada, algumas outras faltas mais claras também não foram marcadas nas últimas partida. Olhem algumas delas:

 

Tradução: “Isso de alguma forma não foi uma falta. Não me diga que sua liga se importa com segurança, @NFL”

 

Tradução: “COMO OS JUÍZES NÃO VIRAM ISSO?”

 

Tradução: “Um desses foi uma falta de roughing the passer. O outro não.”

 

Um dos seis sacks de Adrian Clayborn em cima de Dak Prescott. Não foi marcada a falta

 

A imagem pode conter: pessoas praticando esportes, futebol americano e atividades ao ar livre
Facemask em Dak Prescott antes de lançar sua terceira interceptação contra o Eagles. Ignorado pelos juízes

 

Durante o universo virtual do Dallas Cowboys, há conspirações de que esses erros mais graves estariam acontecendo por conta do recente conflito entre Jerry Jones e Roger Goodell, comissário da NFL, além de outros donos da NFL. Na minha opinião, essa é uma hipótese até curiosa, porém absurda.

Depois de todo isso, é justo pensar que algo estranho está acontecendo. As hipóteses que justificariam o baixo número de faltas não é verdadeira e as faltas não marcadas não só impressionam em quantidade como também por sua clareza, deixando uma impressão ainda pior dos árbitros por essa sequência tão grande de faltas não marcadas. Como o holding é uma falta de 10 jardas, uma marcação ou não de uma falta como essas muda o destino de uma campanha completamente. Basta lembrarmos do jogo de quinta-feira, quando Dak Prescott anotou um touchdown de mais de 30 jardas correndo com a bola, mas que foi anulado por uma segurada de Tyron Smith. Aquele TD, naquele momento da partida, poderia mudar o destino final do jogo.

Para concluir esse texto, ele não pode e nem deve ser usado como bengala para justificar as más atuações da equipe. Não seria garantia nenhuma de vitória caso elas fossem marcadas, justamente pelas fraquezas da equipe que foram expostas nas últimas partidas. O que podemos acreditar de forma realista, ao menos, é que as derrotas sofridas poderiam ter sido menos dolorosas. Será que estaríamos discutindo as mesmas coisas hoje se as três derrotas consecutivas tivessem sido por uma posse de bola? Vale o questionamento.

Gabriel Plat

Editor-Chefe em Blue Star Brasil
Curte NFL por escolha e o Dallas Cowboys por amor. Aprecia a boa música e compartilha outro sofrimento: o Botafogo. Um dos participantes do podcast.