Quando o defensive end de Ohio State Joey Bosa foi selecionado na terceira escolha do draft pelo San Diego Chargers, as portas do Dallas Cowboys ficaram abertas para dois potenciais alvos: o defensive back de Florida State Jalen Ramsey e o running back de Ohio State Ezekiel Elliott.

Os Cowboys tiveram que fazer uma escolha difícil: optar por um jogador que impactasse imediatamente a secundária de uma defesa em reconstrução ou trazer um running back que pode transformar o ataque de Dallas de volta a máquina que foi em 2014, quando o time teve uma campanha de 12 vitórias e 4 derrotas.

A seguir, como os especialistas da NFL nos Estados Unidos reagiram a escolha de Eliott na quarta posição do draft de 2016. No final, a nota dada pela equipe do Blue Star Brasil:

Dan Kadar, SB Nation: Não há nenhuma dúvida de que Elliott é um dos melhores jogadores do draft. Ele é um running back completo que pode fazer tudo. Mas escolher um running back na quarta colocação é um pouco demais, especialmente quando se tem Alfred Morris e Darren McFadden no elenco. Claro, eles não são super estrelas como Elliott, mas tê-los no elenco é um desperdício de dinheiro. Ainda assim, Elliott é um dos principais candidatos a levar o prêmio de Calouro Ofensivo de 2016. Com Elliott junto de Tony Romo e do wide receiver Dez Bryant, Dallas terá novamente sua “trinca de ouro”, tal qual Troy Aikman, Emith Smith e Michael Irving nos anos 90. NOTA: B+

Doug Farrar, Sports Illustrated: Essa era uma escolha natural para os Cowboys, porque eles tem a linha ofensiva que melhor bloqueia para o jogo corrido, mas não conseguiram substituir a produção de DeMarco Murray em 2014. Elliott é comparável a LaDainian Tomilson porque consegue correr muito bem dentre os tackles, é habilidoso correndo por fora além de ser um tremendo bloqueador. Assim como Tomilson fez em TCU, Elliott também pode se tornar um ótimo recebedor. Com uma linha ofensiva razoável, ele já conseguiria fazer estrago na NFL. Com a excelente linha ofensiva dos Cowboys, podemos  estar falando de um futuro campeão de jardas corridas. Elliott definirá o ataque dos Cowboys até o fim da Era Romo. NOTA: A

Pete Prisco, CBS Sports: Bom jogador. Escolhido muito em cima no draft. O time tinha outras necessidades. Escolha ruim. Ele é um reserva. NOTA: D

(essa foi a pior nota que o jornalista deu diante das 31 escolhas)

Mike Tanier, Bleacher Report: Elliott será uma grande arma ofensiva e um pesadelo às defesas correndo atrás da excelente linha ofensiva de Dallas. O problema é que Elliott pode ter sido demais. A diferença que só Elliott correndo ou o já adotado revezamento de corredores com McFadden, Morris e Dunbar faria não importarão muito se os Cowboys permitirem 30 pontos por jogo. NOTA: C

Shutdown Corner Commentary, Yahoo! Sports: Considerando que a escolha anterior de San Diego tenha pego os Cowboys de surpresa, Dallas ainda pegou um jogador por quem o dono Jerry Jones esteve apaixonado durante meses, segundo os boatos. Houve um debate interno sobre qual jogador preencheria melhor o espaço, e agora os Cowboys terão o running back de melhor prospecto no draft em anos correndo atrás da melhor linha ofensiva da NFL. Boa sorte com isso, NFC East. A escolha pode ajudar a carreira de Tony Romo se estender por mais um ou dois anos. NOTA: B+

Jared Mueller, Scout.com: Os Cowboys estão buscando vitórias e Zeke ajudará e muito com isso. Escolha alta para um running back, mas esse é o time que deveria fazer essa escolha. NOTA:B

Steven Ruiz, USA TODAY Sports: Draftar um running back numa posição tão alta é sempre um risco, mas Elliott é um jogador completo que vai se alimentar atrás da melhor linha ofensiva da NFL. Ele vai muito além de um simples corredor, também, o que é uma das razões pelas quais os Cowboys apostaram no garoto. É excelente na proteção ao passe e uma ameaça no backfield. Elliott será o favorito para ganhar o prêmio de melhor calouro ofensivo da temporada e deve levar os Cowboys de volta aos playoffs. NOTA: B+

Steve Palazzolo, Pro Football Focus: Houve muitos boatos em Dallas durante os meses antecedentes ao draft, todos ligando o time aos melhores jogadores disponíveis, e eles optaram pela segurança ao escolher o melhor running back disponível no draft. Com uma das melhores linhas ofensivas da NFL, eles estão buscando restabelecer o jogo terrestre com Elliott, que consegue correr com qualquer esquema, recebe bem passes e protege o passe como poucos running backs dos Estados Unidos (uma pressão cedida em Ohio State em 102 tentativas de bloqueio ao passe). Entretanto, dado o valor da posição de running back na NFL e com o cornerback Jalen Ramsey disponível, eles podem ter passado uma oportunidade única de melhorar a sua defesa NOTA: C+

Chad Reuter, NFL.com: amo Elliott como jogador. Sempre há preocupação ao draftar um running back tão cedo no draft. Entretanto, é um jogador completo. NOTA: B+

Mark Maske, The Washignton Post: Os Cowboys claramente estão convencidos de que Elliott é um running back especial e sua presença ajudará o time a recriar o que tinha duas temporadas atrás com DeMarco Murray. Mas corredores produtivos podem ser draftados após a quarta escolha geral. Se Jalen Ramsey acabar sendo excelente na NFL, os Cowboys podem se arrepender de não tê-lo escolhido. NOTA: B

Todd Archer, ESPN: você pode questionar a escolha de um running back tão cedo no draft, mas claramente os Cowboys acham que Elliott será especial, ainda mais ao correr atrás da linha ofensiva que o time tem. Os Cowboys tiveram oito touchdowns terrestres na temporada passada, liderados por Joseph Randle, com quatro, sendo que ele jogou apenas quatro jogos. Elliott teve 44 touchdowns em 3 temporadas com Ohio State. A escolha é uma tentativa de recuperar a magia de 2014 com DeMarco Murray NOTA: B

Equipe Blue Star Brasil: Ezekiel Elliott é um jogador que chega na liga já causando impacto. Possível OROY (offensive rookie of the year – prêmio dado ao calouro que obteve o melhor desempenho ofensivo na temporada ). O ataque do Cowboys voltará a ser equilibrado como em 2014, aliviando a pressão em Tony Romo e também sobre Dez Bryant. Apesar de não parecer, mas irá ajudar o time todo, não só o ataque. Com um jogo corrido eficiente, a posse da bola aumenta e consequentemente a defesa ficará menos tempo em campo. NOTA: A

Rafael Freitas

Rafael Freitas

Fã do Dallas Cowboys desde 1996, sonha em ver o time de volta ao Super Bowl. Mais novo integrante do Blue Star Brasil
Rafael Freitas