Talvez ninguém aprecie mais essa reviravolta inesperada dos Cowboys do que o veterano tight end Jason Witten. Um ano após estar atolado no fundo do poço em uma sequência de sete derrotas, os Cowboys agora têm uma marca de sete vitórias consecutivas.

“Caramba, isso é bom,” falou o veterano com 14 anos de carreira no domingo, depois de Dallas esmagar Cleveland por 35-10 no FirstEnergy Stadium.

Os Cowboys têm 7 vitórias e 1 derrota em grande parte por causa de seus brilhantes novatos, running back Ezekiel Elliott e quarterback Dak Prescott. Mas Witten, com 34 anos, participou de algumas jogadas nos domingo, que totalizou oito recepções para 134 jardas e um touchdown, algo que impressionou até mesmo os mais novos.

Uma semana após fazer a recepção do touchdown que deu a vitória na prorrogação, Witten conseguiu seu primeiro jogo de 100 jardas desde último jogo da temporada de 2013.

Já fazia tempo, mas o vigésimo primeiro jogo de 100 jardas em sua carreira, a terceira melhor marca obtida por um tight end. Ele também se tornou o quinto tight end a atingir essa marca com 34 anos ou mais que velho isso, se juntando a Tony Gonzalez, Shannon Sharpe, Wesley Walls e Ben Watson.

Os Browns não conseguiram marcar e algumas vezes nem fazer cobertura em Witten, frequentemente foi deixado livre. Esse foi o caso no touchdown de 26 jardas, em que Witten agarrou o passe vindo de Prescott no primeiro quarto. Witten pegou a bola perto da linha de 10 jardas e correu pelo lado direito até a endzone.

O coordenador ofensivo dos Cowboys, Scott Linehan, já imaginava que Witten poderia ter um grande jogo no domingo, uma vez que o foco dos Browns seria tentar parar o poderoso jogo terrestre de Dallas.

“As jogadas chamadas pelo técnico Linehan foram excelentes” falou Witten. “Nós sempre acreditamos que iremos atacar em cobertura. A bola vai para quem a cobertura determina. Eu penso que Dak fez um grande trabalho fazendo a leitura através dela e nos permitindo pressionar verticalmente e fazer algumas jogadas.”

No domingo, Witten fez sua 155ª partida consecutiva como titular, para superar o empate que tinha com Lee Roy Jordan na história do time em mais jogos seguidos como titular. Até seu capacete é apelidado e rotulado como “Betsey,” em referência a algo velho e confiável.

Mas Witten tem dito que a movimentação dos mais novos nos Cowboys tem o inspirado. Fez com ele se sentisse mais jovem. Ele mostrou isso no domingo, particularmente em uma jogada no terceiro quarto.

Witten foi arrastado em um outro lançamento de Prescott, em segunda para 11 jardas na linha de 41 jardas no ataque.  Ele fez o giro, com o safety dos Browns Tracy Howard perdendo a chance de fazer o tackle nele. Em seguida, Witten diminuiu o ritmo, avançou mais alguns passos até que os defenders Tramon Williams Sr. e Christian Kirksey o derrubaram.

“Meu estilo de jogo nunca foi referenciado como “shake ‘n’ bake,” disse Witten ao ser perguntado sobre a jogada que poderia desenhar nessa descrição. “Eu aceito isso. Isso é definitivamente um elogio para mim.”

“Minha carreira foi definida, no bom sentido, como uma opção de rota. E muitas vezes, é uma jogada no estilo bang-bang. É uma grande jogada porque com ela conseguimos primeiras descidas. Mas ao mesmo tempo, você não consegue muitas dessas oportunidades em um campo aberto. Certamente, eu não sou um dos caras que consegue fazer os deslocamentos que alguns caras do nosso time conseguem fazer … mas eu gosto de ter oportunidades que nem essas e ser capaz de fazê-las.”

Essa jogada e o jogo inteiro de Witten fez com ele que recebesse comentários de seus companheiros de equipe e do dono dos Cowboys, Jerry Jones.

“É claro, ele é um filhote na vida real,” falou Jones. “Lembre-se disso agora. Ele não é velho. Ele se sente velho correndo lá no campo com os outros jogadores da NFL. Mas ele está apenas no começo da vida. … Rapaz, estou muito feliz de vê-lo tendo esse tipo de dia.”

Jones observou que Witten jogou com dores e com lesão na semana anterior, contra Philadelphia. Witten foi colocado na lista de machucados naquela semana com uma lesão no peito.

“Ele nunca fica de fora de jogos ou treinos. Ele está sempre disponível,” falou o guard Zack Martin. “Você não espera que um cara com 14 anos de carreira não perca algum treinamento de recuperação e vá a campo todo semana dando o seu melhor. Ele é um grande exemplo.”

Witten entrou no vestiário rindo e falando com o veterano quarterback Tony Romo, seu amigo que tem visto a sequência de vitória dos Cowboys do lado de fora devido a uma lesão. Depois, Witten brincou com Elliott, que colocou sua cabeça em uma entrevista que Witten estava dando, um hábito que Elliott tem o costume de fazer.

Witten insiste que ele não está dividido entre o mais velho e o mais novo, mesmo quando o assunto é sobre Prescott e Romo e quem deve jogar quando Romo estiver saudável.

“Não se trata de escolher um ou outro,” falou Witten. “É simplesmente sobre o que vai nos permitir ganhar jogos e como avançamos para isso. Essas decisões não foram feitas para eu decidir. Eu sou um dos melhores amigos do Tony. Eu vou continuar sendo. Sobre Dak, eu nunca vou dizer nada que o subestime e o que ele tem conseguido fazer como um jogador jovem.”

Eduardo Zamarian

Eduardo Zamarian

Colaborador em Blue Star Brasil
Gosto de ver todos os esportes, mas acompanhar o Dallas Cowboys e o Corinthians é obrigação diária. E também todo dia é dia de rock,bebê.
Eduardo Zamarian