Em nenhum momento nos últimos anos Brandon Carr se desviou de críticas, nem sobre ele nem sobre a defesa dos Cowboys em geral.

O Training Camp está só começando, mas um dos assuntos mais discutidos antes mesmo de iniciar é a dificuldade que esta defesa enfrentará.

“Nós lemos os jornais e vemos as notícias. Entendemos a posição em que estamos agora”, disse Carr.

Obviamente, há o fato de que a defesa está sofrendo com três suspensões: uma para o LB Rolando McClain e outras duas para os DEs Randy Gregory e DeMarcus Lawrence.

“As coisas acontecem durante toda a temporada, todos os tipos de adversidades, controvérsias. Você não pode arranjar uma desculpa, não pode perder tempo procurando o motivo. Você apenas precisa descobrir como você está indo e se preparar para fazer algo”, acrescentou Carr.

Esta é uma mentalidade admirável, mas não nega o fato de que a defesa dos Cowboys no ano passado foi péssima ao tentar forçar takeaways.

Em 2015, eles terminaram a temporada com apenas 11 takeaways – oito interceptações e três fumbles recuperados. Dos cornerbacks atuais no camp, apenas Deji Olatoye conseguiu uma interceptação no ano passado. Isso tem sido bastante martelado nos treinos.

“Nós estamos insistindo com isto, mas no final se resume a onze jogadores correndo para a bola”, disse Carr. “Tudo se resume ao instinto em meio à situação, onde a defesa tenta ganhar uma vantagem extra no momento em que tentamos pular para a bola e antecipar a jogada.”

Se há um momento de otimismo, o momento é este, quando a equipe está se encontrando, antes dos jogos começarem. A secundária também a vantagem de ter todos saudáveis, como Orlando Scandrick de volta após a sua lesão no joelho, enquanto que Morris Claiborne e Barry Church estão 100% saudáveis, após terminaram a última temporada na injury report.

“Temos todo o potencial do mundo”, disse Carr. “Mas cabe a nós agora usar o Training Camp para nos lapidar, afiar nossas habilidades, ficar melhor a cada dia. São os pequenos detalhes que fazem a diferença nos grandes jogos. As coisas parece boas no papel, mas queremos vir até aqui e trabalhar todos os dias para estarmos tão prontos quanto possível aos domingos.

Márcio Silveira
Sigam-me

Márcio Silveira

Colaborador em Blue Star Brasil
Torcedor do Dallas Cowboys desde 2011, quando passou a acompanhar a NFL. Sonha em ver o time no Super Bowl cada vez que a temporada começa.
Márcio Silveira
Sigam-me