Contra o Giants, Cowboys busca manter sequência de vitórias

Contra o Giants, Cowboys busca manter sequência de vitórias

866

 

Após o Cowboys conseguir a vitória do ano em Seattle, o time retorna a Dallas para seu primeiro confronto de divisão. Mesmo com uma derrota pesada para outro rival de divisão, o Philadelphia Eagles, o New York Giants ainda é um rival e a promessa é de um grande jogo. A partida se torna importante para o Cowboys por mais um motivo: o recorde dentro da divisão. Ganhar do Giants significa ultrapassá-los no critério de desempate, já que o recorde dentro da NFC East de Dallas seria 1-0 e o de Nova York 1-2. Bom, sem mais delongas, vamos as análises do jogo.

Plano de Jogo

Nessa semana, o Plano de Jogo mostrou pontos cruciais para uma boa partida contra o Giants. O primeiro deles é o desempenho de Jeremy Parnell. Reserva, Parnell assumiu a condição de titular após Doug Free se lesionar e pode ser peça chave para outro ponto importante do jogo: as corridas. Com DeMarco Murray em ótima fase, o Cowboys precisa correr com a bola e o Plano de Jogo mostra como furar a linha defensiva de NY. Você pode ver o Plano de Jogo clicando aqui.

Podcast

O Podcast chegou a sua oitava edição tratando não só da vitória contra o Seahawks, como também nosso primeiro confronto de divisão. Com a equipe praticamente completa, o podcast reuniu todas as informações da semana e analisou tudo para que você, ouvinte, entenda todo o ambiente que envolve a partida. O podcast pode ser escutado clicando aqui.

 

Fique de olho

 

  • DeMarco Murray

    Murray Giants
    Murray pode bater recorde histórico

Na última partida, Murray alcançou a marca das 100 jardas pela sexta vez nessa temporada, e igualou a marca de Jim Brown como os únicos jogadores a correr para pelo menos 100 jardas nas 6 primeiras partidas de uma temporada. A defesa de Seattle era a melhor da liga parando o jogo terrestre, e mesmo assim, Murray conseguiu 115 jardas e 1 touchdown. Já a defesa do Giants, é apenas a 17ª melhor da liga parando o jogo corrido. Murray tem tudo para desempatar com a lenda Jim Brown e se tornar o primeiro jogador da história a conseguir 100 jardas nos 7 primeiros jogos da temporada.

  • Terrance Williams

Com a possível ausência de Rodgers-Cromartie, Williams deve ser marcado por Zack Bowman, que começou a temporada como o 5º cornerback do Giants. Com o foco da defesa de New York sendo em parar o jogo terrestre e marcar Dez Bryant, Williams deve receber muitas marcações individuais e pode tirar proveito disso. Nas últimas duas partidas, o camisa 83 não teve ótimos números, porém fez recepções importantes para as vitórias do Cowboys.

  • Jason Pierre Paul

Paul é o melhor defensive end do Giants e apesar de não ter muitos sacks na temporada (apenas 1.5) ele é um dos líderes do Giants em pressão para cima do quarterback adversário, com 15. Paul é normalmente um right defensive end, porém com a lesão de Free ele pode se alinhar algumas vezes no lado esquerdo da linha defensiva para tentar explorar o matchup com Jeremy Parnell.

  • Odell Beckham Jr.

Com a lesão de Victor Cruz, que está fora da temporada, Beckham se torna peça fundamental no ataque do Giants. O calouro teve uma ótima carreira em LSU, onde recebeu 141 passes para 2305 jardas e 12 touchdowns ao longo de 3 temporadas. Após perder os 4 primeiros jogos desse ano, Beckham conseguiu 6 recepções para 72 jardas e 1 touchdown nas últimas duas partidas do Giants. Para Eli Manning e o ataque aéreo do Giants terem sucesso, o calouro precisa ter um bom jogo.

  • Anthony Spencer

Spencer fez sua melhor partida, desde que voltou de lesão, na semana passada. Ele pressionou Wilson diversas vezes e ajudou muito contra o jogo terrestre. Contra o Giants, Spencer deve se alinhar na frente do segundo-anista Justin Pugh na maioria dos snaps e pode ter um bom jogo, já que Pugh não vem tendo uma boa temporada.

 

Desfalques

 

  • Dallas

Bruce Carter e Doug Free não vão jogar.
Jack Crawford tem sua presença no jogo dada como duvidosa.

 

  • New York

Rashad Jennings não vai jogar.
Spencer Paysinger e Dominique Rodgers-Cromartie estão listados como questionável para a partida.

 

O que esperar

Um jogo muito disputado, como a maioria dos jogos de divisão, principalmente com a grande rivalidade entre Cowboys e Giants. Podemos esperar Murray tendo uma boa partida, porém o jogo pode ser decidido em quem jogar melhor entre Tony Romo e Eli Manning.

A secundária do Giants pode ficar até sem 3 cornerbacks (Walther Thurmond e Trumaine McBride estão fora da temporada) se Rodgers-Cromartie não jogar, e com isso Romo e os recebedores de Dallas podem ter um bom jogo. Com Rashad Jennings fora da partida, Andre Williams será o running back titular do Giants e deve correr muitas vezes com a bola, principalmente no início do jogo.

Nessa temporada, Eli Manning tem cuidado melhor da bola, com a chegada do novo coordenador ofensivo Ben McAdoo, que utiliza a filosofia de ataque west coast. Porém, a linha ofensiva do Giants não tem dado muito tempo para Eli lançar a bola, e alinha defensiva do Cowboys pode ter, estatisticamente, o melhor jogo da temporada.

 

Uma vitória do Cowboys daria…

  • Um recorde de 6-1 pela primeira vez na temporada, e pela 10ª vez na história da franquia;
  • Aumentaria a série de vitórias de Jason Garrett para seis, a maior de sua carreira como técnico, e a maior desde 2007;
  • A terceira vitória consecutiva em casa, igualando a temporada de 2013;
  • Uma sequência de três vitórias seguidas contra o New York Giants, a série mais longa desde a série de 2006-07;
  • A segunda vitória consecutiva contra o Giants no AT&T Stadium, compensando as quatro derrotas seguidas para o rival em casa.

 

Curiosidades

Por ser um confronto de divisão, Dallas Cowboys e New York Giants fazem uma rivalidade de mais de 50 anos. Entre todas as franquias da NFL, apenas o Washington Redskins e o Philadelphia Eagles (106 cada) disputaram mais jogos contra o Dallas Cowboys do que o Giants. Das 104 partidas disputadas entre as equipes, a vantagem vai para Dallas: são 59 vitórias contra 43 derrotas e dois empates. O Cowboys detém um recorde positivo não só em casa (32-20-1) como também fora de casa (27-23-1).

Apesar da vantagem na temporada regular, o Cowboys conta com um retrospecto ruim nos playoffs. Foi apenas um jogo entre as equipes na pós-temporada, em 2007, mas a vitória ficou para o Giants. Naquele ano, o Cowboys tinha um dos melhores times da liga e acabou perdendo a chance de jogar mais um Super Bowl. Ao invés disso, foi o New York Giants que chegou ao Super Bowl e venceu ao até então invicto New England Patriots.

No ano de 2013, o Dallas Cowboys conseguiu um sweep sobre o Giants, ou seja, vitórias em casa e na casa do adversário. Foi a 19ª vez que o Cowboys conseguiu um sweep sobre o time de Nova York, e a primeira vez desde 2007.

O confronto ficou marcado também pela primeira partida entre as equipes. Em 1960, Cowboys e Giants empataram em 31-31, marcando a única “não-derrota” do Dallas Cowboys na sua temporada de estreia na NFL.

 

Jogo na Memória

De tantos jogos importantes, tantas vitórias emocionantes, o jogo da memória da vez será um recente: 5 de setembro de 2012. De um lado, o New York Giants, atual campeão do Super Bowl. Do outro o Dallas Cowboys, que poderia ter ido aos playoffs no lugar do Giants se não tivesse perdido na última semana contra o rival.

O confronto foi num Thursday Night Football numa quarta-feira. Sim, você não leu errado. Por conta de um discurso do presidente Barack Obama na quinta-feira, a abertura da temporada de 2012 da NFL foi antecipada para a quarta-feira.

Kevin Ogletree
Ogletree, hoje nos Giants, foi o destaque do jogo

O jogo começou ruim para os dois lados. Com uma campanha para cada lado e nenhum firstdown, o Giants quis fazer valer o mando de campo. Com bons passes, especialmente para Victor Cruz, o Giants parou já no campo de ataque depois de David Wilson sofrer um fumble, recuperado pelo Barry Church. Com a bola, o Cowboys também chegou no campo de ataque, mas teve que devolver a bola após não conseguir converter uma quarta descida com o fullback Lawrence Vickers.

No segundo quarto, a defesa força o punt do time da casa e o Cowboys chega novamente ao campo de ataque, praticamente em zona de field goal. A campanha, no entanto, para após Tony Romo ser interceptado por Boley, que retorna até a linha de 1 jarda. No momento crucial, a defesa não cedeu uma mísera jarda, forçando apenas um field goal. Antes do intervalo, o Cowboys conseguiu a virada no placar: depois de passe de 38 jardas para Dez Bryant, Romo encontrou Ogletree livre duas vezes e, na segunda vez, o WR entrou na endzone. 7 a 3 para Dallas no intervalo.

Começando o terceiro quarto, brilhou a estrela de Kevin Ogletree. Foi um passe de 40 jardas para o camisa 85 fazer a recepção e entrar na endzone, ampliando a vantagem para 14 a 3. A resposta do Giants, entretanto, foi imediata: na campanha seguinte, corrida de 10 jardas de Bradshaw, que conseguiu um stiff arm no defensor e correu no canto da endzone, diminuindo a diferença para apenas 4 pontos. Antes do fim do terceiro quarto, Dan Bailey chutou um field goal de 33 jardas para colocar um touchdown de diferença no placar: 17 a 10.

Com uma campanha de 7 minutos, o Cowboys praticamente liquidou a fatura depois que Miles Austin, com marcação dupla, conseguiu a recepção e anotou o terceiro touchdown do Cowboys no jogo. O praticamente se deu por conta do drive seguinte: Eli Manning fez um passe para Martellus Bennett diminuir a diferença para 7 pontos novamente após bela recepção na endzone. Precisando gastar o relógio, o Cowboys viu sua conversão de terceira descida anulada após falta de Witten. Com uma 3rd & 10, Romo conecta belo passe para Ogletree, o homem do jogo, ganhar o firstdown e a partida para o time de Dallas. Os melhores momentos você pode ver clicando aqui.

Transmissão

Por conta do horário de verão, que começa entre sábado e domingo, o jogo será às 18h25 no horário de Brasília. Por ser um confronto de divisão, o jogo terá transmissão da ESPN e, claro, cobertura completa no twitter do Blue Star Brasil.

 

Gabriel Plat

Editor-Chefe em Blue Star Brasil
Curte NFL por escolha e o Dallas Cowboys por amor. Aprecia a boa música e compartilha outro sofrimento: o Botafogo. Um dos participantes do podcast.