Cowboys se prepara para o “Ice Bowl II”

Cowboys se prepara para o “Ice Bowl II”

2141
Fonte: http://imgkid.com/ice-bowl-bart-starr.shtml

Em 31 de dezembro de 1967 o Green Bay Packers recebeu no Lambeau Field o Dallas Cowboys para a final da National Football League (NFL). O jogo aconteceu em uma temperatura de -26ºC, com vento a sensação era de -44ºC (isso mesmo, você leu certo). Por conta dessas condições extremas, o jogo ficou conhecido pelo nome de “Ice Bowl” e terminou com a vitória dos Packers por 21×17 que garantiram o título da NFL e posteriormente o Super Bowl II ao bater por 33×14 o vencedor da American Football League (AFL), o Okland Raiders.

Neste domingo, os Cowboys irão novamente ao Lambeau Field enfrentar o Green Bay Packers e apesar de a previsão do tempo não mostrar uma condição tão brusca quanto no “Ice Bowl”, os Cowboys se preparam para enfrentar o frio de Wisconsin.

A temperatura em Dallas nesta quarta feira a tarde caiu para 6ºC e ao longo da semana a deve chegar a -1,1ºC. Apesar disso nada se compara à previsão em Green Bay, onde a temperatura não deve passar além dos -7,2ºC e pode chegar a -18,3ºC.

 “Provavelmente estará frio por lá. Eu tenho um sentimento muito bom sobre”. disse o técnico Jason Garrett. “Não importa o que os números dizem, nós temos que lidar com essas situações adversas. Isso é o que acontece quando você vai até Green Bay nessa época do ano”.

Os Cowboys tem uma semana inteira para se preparar para tal frio, mas o difícil é saber se há como se preparar para o frio. Tyrone Crawford é muito familiarizado com o tempo frio, pois nasceu na cidade de Windsor, Ontário, no Canadá, onde os termômetros indicavam -13,3ºC nesta quarta feira. Seu conselho foi um pouco brusco. “Não muito que se fazer. Não há nada que você possa fazer para estar pronto para isso, basta ir lá e ser homem.” disse ele. “Você pode colocar uma manga comprida, você pode fazer todas as pequenas coisas que aprendeu longo dos anos, mas não funciona muito.”

O wide receiver Cole Beasley é um dos muitos jogadores dos Cowboys que não estão acostumados com as condições geladas do Lambeau Field. No elenco tem jogadores do Texas, Florida, Georgia e Califórnia, que provavelmente sentirão falta do calor de suas cidades.

“Um pouco de roupa extra pode ajudar, mas alguns jogadores não usam porque sentem que atrapalha um pouco o desempenho”. disse Cole Beasley.

Os jogadores da linha ofensiva são “famosos” por usarem o mínimo para se protegerem do frio. Dois dos melhores bloqueadores dos Cowboys, Travis Frederick e Zack Martin, devem manter essa “fama”, pois são nascidos em Wisconsin e Indiana respectivamente.

Porém, Crawford – o canadense – compartilhou uma atitude prática sobre esse comportamento. “Nós não estamos tentando provar nada pra ninguém, fazer o que a linha ofensiva faz não os faz ser viris ou coisa do tipo. Se está frio, você deveria usar algo para o frio, você não vai usar casaco no verão.” disse o defensive lineman.

Fazem apenas treze meses desde que os Cowboys viajaram para Chicago para jogar no Monday Night Football, jogo que aconteceu em uma temperatura de -17,8ºC. Jogo que os Cowboys perderam por 45-28, resultado mais por conta de se jogar contra uma ótima defesa e os Cowboys não terem um time forte, do que pelo frio.

Diferente do jogo contra os Bears na temporada passada, os Cowboys tem plenas condições de sair do que os americanos já estão chamando de Ice Bowl II, com uma vitória e ir novamente a disputar o título da NFC após 18 anos.

Luiz Gustavo Ferreira

Luiz Gustavo Ferreira

Acompanha NFL desde 2007 e apaixonado pelo Dallas Cowboys desde então. Ex-jogador de Futebol Americano no Brasil, escritor e participante do Podcast.
Luiz Gustavo Ferreira