Dak Prescott fingiu o handoff para o running back Ezekiel Elliott, se viu com caminho livre para a end zone e foi. O quarterback do Cowboys ganhou 11 jardas com o touchdown e celebrou com um grito e um spike na bola.

Mas a vibração no AT&T Stadium se juntou com uma apreensão na sideline de Dallas.

1:13 restavam.

Para o quarterback do Packers Aaron Rodgers, isso é uma eternidade.

E acabou sendo muito tempo, já que Green Bay marchou ao longo do campo e, perdendo por três pontos, conseguiu anotar o touchdown da vitória. O Packers ainda deixou 11 segundos sobrando quando elevaram o placar para 35 a 31.

“O minuto que falta, eu imediatamente fui para ‘Ah droga, ele tem um minuto e dez segundos'”, disse o dono Jerry Jones sobre o touchdown de Prescott e a bola voltando para Rodgers. “No outro lado, antes de (Prescott) ir, eu pensei, “Só vai e pontua logo!'”

“Você pode duvidar de cada aspecto disso, e certamente gostaríamos de dar a bola de volta à ele com 10 segundo no relógio e sem tempos para pedir. Mas a única maneira de fazer isso é tendo a certeza de que vamos conseguir aquele touchdown. Esse é o peso de relativizar”.

E é impossível não fazer, considerando que Rodgers está tornando o fato de destruir os sonhos dos torcedores do Cowboys um hábito.

O Cowboys e o coordenador ofensivo Scott Linehan drenaram o relógio na campanha de pontuação sabendo o que Rodgers seria capaz de fazer. Ele precisou de apenas 35 segundos para vencer o jogo nos playoffs na temporada passada.

O Cowboys teve 17 jogadas para ganhar 79 jardas, queimando 8:43 no relógio até culminar no touchdown de Prescott.

Mas Linehan e o técnico Jason Garrett estão sendo criticados por não gastarem ainda mais o relógio.

Elliott e a linha ofensiva estavam, finalmente, em sintonia no jogo terrestre. No entanto:

Depois de uma dramática conversão de quarta descida por Elliott, o próprio Zeke correu oito jardas para estabelecer uma segunda para duas jardas na linha de 11 do campo de ataque. Prescott lançou a bola na jogada seguinte, não conseguindo conectar Dez Bryant, parando o relógio.

Prescott marcou na jogada seguinte. Ele deveria ter feito o slide na linha de 1 para gastar mais tempo?

“Na teoria, ele poderia sim”, disse Garrett. “Eu apenas acho que você precisa tomar cuidado tentando ser perfeito. É difícil pontuar nessa liga. É difícil anotar touchdowns. Era um jogo de quatro pontos naquele momento. Não era garantia que você iria anotar um touchdown ali, então eu acho que, naquela ocasião em particular, ele fez a coisa certa”.

Prescott também comentou o caso.

“Você está brincando com fogo fazendo isso. Os caras da defesa também são pagos pra jogar. Se você corre e está tentando chegar na terceira descida, você está desperdiçando tempo. Para nós, é importante chegar na end zone e colocar pressão neles. Eu vou confiar na minha defesa.”

Mas Jerry Jones disse que é impossível não discutir se o Cowboys deveria ter apostado na força do seu ataque ao invés de colocar a responsabilidade do jogo nas mãos da defesa que não conseguiu parar Aaron Rodgers e Cia. durante toda a partida.

Jones disse que acreditava que Rodgers lideraria o Packers para um field goal para empatar o jogo, mas achava que a defesa impediria o touchdown.

“Nós todos vamos ficar pensando no que aconteceu no fim do jogo sobre tentar manter a bola por um pouco mais de tempo”, disse Jones. “Tudo fala por si aqui. Você dá um minuto para Rodgers e é mais do que provável que ele vai marcar em um momento crítico.”

“Tudo que queríamos era tirar a bola de Rodgers, mas precisávamos do touchdown. Vamos repensar as duas últimas jogadas por um bom tempo”.

Gabriel Plat

Editor-Chefe em Blue Star Brasil
Curte NFL por escolha e o Dallas Cowboys por amor. Aprecia a boa música e compartilha outro sofrimento: o Botafogo. Um dos participantes do podcast.