Um quarterback pode passar por uma derrota emotiva falando frases que não revelam de fato o tamanho da decepção. Ou ele pode escolher suas palavras com cuidado, revelando um pouco das emoçoes que ele e seus companheiros de time sentiram.

Dak Prescott não cansou de repetir duas palavras no pós-jogo da derrota para Green Bay.

“É péssimo”, disse na segunda-feira enquanto os jogadores limpavam sua parte no vestiário e iam embora. “É horrível”.

Você provavelmente já ouviu que nenhum quarterback calouro já liderou seu time para o Super Bowl. A vitória por 34 a 31 do Packers sobre o Cowboys assegura que a história não será reescrita no Super Bowl LI.

Mas há um detalhe: o Cowboys não perdeu no domingo porque o Prescott é um calouro. Ele não é o motivo de Dallas ter falhado em avançar para a final da conferência pelo 21º ano consecutivo.

Prescott e o calouro Ezekiel Elliott deu a sua franquia uma esperança por um futuro brilhante. Esses dois, junto com outros jovens jogadores chaves e veteranos, possuem o time em uma janela grande para competir por títulos.

Ele vai ser o QB titular da franquia nessa temporada e em diante. Por mais que Jason Garrett tenha se recusado a falar sobre isso, tudo leva a crer que essa será mesmo a decisão do time.

“Dak Prescott certamente fez um ótimo trabalho para nós esse ano”, disse Garrett. “Ele provavelmente teve o melhor ano por um QB calouro da história da NFL.”

Prescott falou sobre a temporada, a derrota domingo e o que o aguarda antes de Garrett falar com a imprensa. Dak falou em como o grupo desse ano era especial de uma maneira que interagia e mostrava amor para todos.

A coisa mais difícil para Prescott na manhã de segunda foi falar com amigos e companheiros de time que provavelmente não permanecerão com o Cowboys na próxima temporada.

“Essa é a parte mais difícil pra mim”, disse Dak. “Eu investi muito nos meus companheiros de time e em caras que estão aqui.”

“É péssimo”

Olhe as palavras de novo.

Prescott se tornou o primeiro quarterback da história da NFL a ser selecionado na quarta rodada em diante a ser titular dos 16 jogos como calouro. Ele estabeleceu um recorde de calouro com um rating de 104,9 e emmpatou com o primeiro ano de Ben Roethlisberger em vitórias com 13.

A expectativa alta da temporada regular foi seguida da decepção para a derrota para o Packers. Dak terminou com um rating maior que o de Aaron Rodgers, mas foi o QB de Green Bay que saiu com a vitória.

“Os outros caras pegaram a bola”, disse Prescott dos últimos 35 segundos. “Ele (Rodgers) fez o que fez sua carreira inteira e fez jogadas. Ele é ótimo.Você precisa tirar o chapéu para ele. Ele é ótimo. Ele é um dos melhores que já jogaram esse esporte. Foi divertido assisti-lo.

Eu odiei ter sido contra mim, mas isso mostra o quanto ele é bom. Você dá algum tempo para ele, e ele te fará pagar.”

Prescott já reviu o jogo em sua cabeça várias vezes, e isso vai continuar a acontecer até o próximo jogo do Cowboys.

“Foi um baita de um jogo”, disse Prescott. “Perdemos por pouco.”

“Como os técnicos dizem, a única coisa que importa é o que fazemos agora. O que eu faço para me ajudar, para ajudar meus companheiros de time a melhorar é o que vai estar nesse time no futuro. É só se manter focado.”

“Isso vai ficar nos incomodando, me incomodando, mas vai nos fazer crescer e melhorar.”

A derrota no domingo foi dur, mas há algo que precisa ser dito de um indivíduo e de um time que está pagando suas contas e enfrentando a adversidade junto.

“É um grupo unido”, disse Prescott. “Nós vamos sair melhores. Isso vai nos fazer melhores.”

E o Cowboys está contando com isso.

Gabriel Plat

Editor-Chefe em Blue Star Brasil
Curte NFL por escolha e o Dallas Cowboys por amor. Aprecia a boa música e compartilha outro sofrimento: o Botafogo. Um dos participantes do podcast.