Uma tendência domina na NFL: jogadores lesionados são deixados de lado pela memória de todos, principalmente os que sofrem lesões com maior tempo de recuperação.

Além da lesão nas costas, você poderia acrescentar um rendimento abaixo do esperado na conta do defensive end Charles Tapper, e o resultado desta soma seria um jogador deixado de lado nas especulações e conversas durante a temporada de 2016, e esquecido até mesmo agora, com o time em ritmo de dar os primeiros passos em direção à offseason.

Selecionado na quarta rodada do último Draft, Tapper teve pouco tempo de mostrar trabalho ainda no Training Camp e durante o início da temporada. Ele tentou retornar aos treinos em setembro, mas acabou movido para a Injured Reserve List (IR, na sigla em inglês).

O proprietário da franquia, Jerry Jones, disse em várias ocasiões que o time tinha planos de trazê-lo de volta da IR nos playoffs, mas o front office decidiu mantê-lo na lista de lesionados.

“Nós tínhamos esperanças de que Tapper estivesse frente a frente com (La’el) Collins (nos treinos) ao deixá-lo ativo em nossa corrida pelos playoffs e é isso o que estávamos pensando sobre Tapper”, disse Jones. “Mas ele não conseguiu tantas repetições nos treinamentos quanto você gostaria de dar para um jogador jovem como ele.”

O Dallas Cowboys espera que este problema faça parte do passado e que em 2017 o atleta de 23 anos tenha mais tempo de treino. Nesta terça-feira (24), enquanto falava sobre o Senior Bowl, Jones disse que a lesão do defensive end não é uma preocupação de longo prazo e que Tapper terá a chance de poder contribuir com a equipe no futuro.

“É exatamente isto”, declarou. “Eu não sei se eu estou tão preocupado com isto (com a lesão) quanto eu estou com ele trabalhando para se tornar um jogador melhor.”

Márcio Silveira
Sigam-me

Márcio Silveira

Colaborador em Blue Star Brasil
Torcedor do Dallas Cowboys desde 2011, quando passou a acompanhar a NFL. Sonha em ver o time no Super Bowl cada vez que a temporada começa.
Márcio Silveira
Sigam-me