Depois de uma entrevista na última quarta-feira no The Star in Frisco, o vice-presidente executivo do Cowboys Stephen Jones foi perguntado sobre os undrafted free agents que participariam do rookie minicamp do time.

Ao ser questionado por algum nome que o tenha deixado animado, Jones finalmente falou um: Rodney Coe, defensive tackle da Universidade de Akron.

Embora Coe não tenha sido selecionado no Draft, ele era um jogador que o Cowboys tinha no seu board, o que significa que ele poderia ter sido facilmente a escolha de sétima rodada do time. Mas o time não tinha.

“Tiveram motivos para que ele não tivesse sido draftado”, disse Jones. “Mas ele certamente tem muita habilidade e eu acho que um técnico como Rod Marinelli fará maravilhas com ele em termos de sua evolução. Nós o daremos estabilidade. Ele certamente tem as habilidades. Na cabeça dele deve estar passando algo sobre ser um jogador e fazer o que precisa pra ser bem sucedido Mas ele certamente tem a habilidade.”

Coe disse na sexta-feira que ficou muito feliz em ouvir isso de Jones.

Coe foi um dos 29 jogadores que visitaram o time antes do Draft, então ele sabia que havia um interesse sério nele. O ex-running back também visitou o Kansas City Chiefs e o Green Bay Packers.

Mas quando percebeu que ele não seria draftado, foram o Dallas Cowboys e o New England Patriots que quiseram mais o jogador.

“Realmente ficou entre o Patriots e o Cowboys, que sabia que me dariam uma oportunidade”, disse Coe. “Meu empresário me ligou e me falou do acordo, que o Cowboys me queria. E eu sabia da visita que eu queria ser um Cowboy. E então o Patriots me ligou e disse: ‘Nós sabemos que você quer ser um Cowboy, mas você deveria pensar sobre nós’.”

“Obviamente eu não pensei, porque eu disse para meu empresário que eu queria jogar pelo Cowboys.”

Coe é um jogador atético o suficiente para jogar em mais de uma posição. Na sexta-feira, o jogador revelou que o Cowboys quer experimentá-lo em várias posições da linha defensiva.

“Ele é um atleta muito bom”, disse o coordenador defensivo Rod Marinelli. “Ele era um tailback também, então você conhece o movimento. Ele é um cara grande. Ele tem agilidade com os pés. Ele está apenas treinando. Ele precisa estar em melhor firma. Ele é um cara grande e atlético que pode jogar como nose tackle. Ser um atleta, e pelo que vi de seus movimentos, eu realmente gostei dele. Estou animado por tê-lo aqui.”

Gabriel Plat

Editor-Chefe em Blue Star Brasil
Curte NFL por escolha e o Dallas Cowboys por amor. Aprecia a boa música e compartilha outro sofrimento: o Botafogo. Um dos participantes do podcast.