Histórico! Cowboys bate recordes, e vence o Rams de virada

Histórico! Cowboys bate recordes, e vence o Rams de virada

471

(foto: dallascowboys.com)

 

Emocionante. Histórico. Surpreendente. Do inferno ao céu, o Dallas Cowboys conquistou uma impressionante vitória por 34 a 31 contra o Rams, em St. Louis. Perdendo por 21 a 0, o Cowboys conseguiu a maior virada de sua história no tempo regulamentar. A defesa, sempre contestada e mal no primeiro tempo, se redimiu no segundo ao conseguir duas interceptações – uma delas retornada para touchdown. Para completar a noite histórica, Dan Bailey acertou dois field goals e bateu o recorde da história do Dallas Cowboys de mais field goals feitos consecutivos: 28 no total.

 

O Jogo

Jogando com seu terceiro quarterback, esperava-se um jogo mais fácil para o Cowboys. O que vimos, no entanto, foi um ótimo começo de partida de Austin Davis. Com boas jogadas e quatro terceiras descidas convertidas, o Rams terminou seu primeiro drive na endzone, após passe de 1 jarda para Lance Kendricks. No primeiro ataque do Dallas Cowboys, boas jogadas colocaram o time próximo ao field goal, mas um fumble do Murray pôs tudo a perder. Foi o terceiro dele em três jogos, e os três no começo do jogo.

No segundo quarto, desastre. Passe de 51 jardas de Davis para Brian Quick, que passou facilmente pelo Morris Claiborne e correu para a endzone. Com 14 a 0 no placar, Romo e cia. precisavam pontuar para não deixar o Rams abrir vantagem. O que aconteceu, entretanto, foi uma pick-six: interceptação retornada para touchdown. 21 a 0 em um quarto e meio para o time rival e a torcida já pensava no jogo contra o 49ers. Dessa vez, no entanto, a reação foi imediata: com boas corridas de Murray, o Cowboys terminou o drive com o próprio correndo uma jarda para a endzone. No fim, Henry Melton recupera um fumble do Rams, que dá ao Cowboys mais um drive, que termina com um chute de Dan Bailey para diminuir a diferença para 21 a 10.

No segundo tempo, o pesadelo que o torcedor de Dallas vivia começa a se tornar um sonho. Logo no primeiro drive, Tony Romo acha Dez Bryant livre na secundária, que só teve o trabalho de agarrar a bola e correr para a endzone: 68 jardas e touchdown. Em campo, a defesa conseguiu parar o ataque do Rams numa 4th & inches, após belo tackle do calouro Anthony Hitchens. Turnover on downs, e o Cowboys consegue um field goal de 40 jardas, fazendo Dan Bailey ultrapassar o antigo recorde de field goals feitos consecutivos.

Com apenas 1 ponto de vantagem no momento, o Rams precisava de um touchdown para garantir a liderança no placar. A defesa do Cowboys, no entanto, apareceu e fez a equipe da casa sair com apenas um field goal. No ataque seguinte, Romo conseguiu boas jogadas (em uma delas correndo 15 jardas para o firstdown) e, a 10 jardas da endzone, achou Terrance Williams livre para entrar na endzone e colocar o Cowboys na frente pela primeira vez no jogo.

Desesperado, Davis repetiu o erro do Romo: interceptado em seu próprio campo, e retornado para touchdown: 34 a 24. Em questão de minutos, o Cowboys não só virou, como abriu uma vantagem de duas posses de bola contra o adversário. Com seis minutos no relógio, o Rams ainda anotou um touchdown, após passe de 4 jardas para Austin Pettis, e tiveram 2 minutos para tentar o field goal de empate. A reação, felizmente, parou nas mãos de Morris Claiborne. Interceptação para selar a maior virada da história do Dallas Cowboys no tempo regulamentar.

 

Números

  • Passando

DAL – Tony Romo: 18/23, 217 jardas, 2 TD, INT. Rating: 130,78

STL – Austin Davis: 30/42, 3 TD, 2 INT. Rating: 117,63

  • Correndo

DAL – DeMarco Murray: 24 att, 100 jardas, TD

DAL – Joseph Randle: 2 att, 9 jardas

STL – Zac Stacy: 12 att, 67 jardas

STL – Benny Cunningham: 9 att, 29 jardas

  • Recebendo

DAL – Dez Bryant: 6 rec, 89 jardas, TD

DAL – Jason Witten: 4 rec, 49 jardas

DAL – Terrance Williams: 2 rec, 32 jardas, TD

STL – Jared Cook: 7 rec, 75 jardas

STL – Brian Quick: 2 rec, 62 jardas, TD

STL – Lance Kendricks: 6 rec, 29 jardas, TD

 

Pontos Positivos

  • Tony Romo

Sim, ele sofreu uma interceptação retornada para touchdown. Ao contrário da semana 1, Tony Romo teve a frieza necessária para buscar a reação. Foram dois touchdowns no segundo tempo, além de uma corrida de 15 jardas dando um firstdown em uma terceira descida. Ah, lembram da história de que a lesão nas costas não deixava mais ele fazer passes longoso? Pois bem, o passe de 68 jardas para o touchdown de Dez Bryant desmente isso.

  • Jason Witten

tight end, muito apagado nas duas últimas partidas, apareceu hoje. Decisivo como costumava ser, Witten conseguiu terceiras descidas fundamentais para manter o ataque do Cowboys vivo e conseguir as pontuações necessárias para a virada.

  • Bruce Carter

Pick-six fundamental. No momento do jogo, colocar o Cowboys em 10 pontos de vantagem foi fundamental para interromper a reação do St. Louis Rams.

 

Pontos Negativos

  • Morris Claiborne

A interceptação no fim do jogo selou a vitória do Dallas Cowboys, ok. Apesar desse lance, Claiborne foi queimado diversas vezes durante o jogo, sendo o touchdown de 51 jardas de STL o mais marcante. Bust? Pelo preço que ele veio, tudo leva a crer que sim.

  • DeMarco Murray

Sim, foi o terceiro jogo seguido de Murray com mais de 100 jardas e um touchdown anotado. Só isso o faria estar entre os pontos positivos do jogo, se não fosse um simples detalhe: o fumble. Foi o terceiro fumble em três jogos da temporada. Nos últimos dois jogos, o fumble acabou não influenciando no resultado, mas um running back titular e em ano final de contrato não pode se dar ao luxo de deixar a bola escapar tão facilmente.

 

Próximo jogo

Assim como em 2013 e 2012, o Dallas Cowboys enfrenta o New Orleans Saints. Ao contrário de Dallas, o New Orlean Saints amarga um recorde negativo: 1-2, tendo vencido apenas seu último jogo, contra o Minnesota Vikings. Assim como o ano passado, as equipes se enfrentarão no Sunday Night Football, o primeiro jogo do Dallas Cowboys em horário nobre da televisão americana.

Gabriel Plat

Editor-Chefe em Blue Star Brasil
Curte NFL por escolha e o Dallas Cowboys por amor. Aprecia a boa música e compartilha outro sofrimento: o Botafogo. Um dos participantes do podcast.