Uma preocupação que tem crescido a cada dia em Frisco, sede do Dallas Cowboys, é o número reduzido no corpo de wide receivers do time. Terrance Williams e Brice Butler estão em fim de contrato e muito já se especula sobre a saída de T-Will do America’s Team.

Para aumentar ainda mais as dúvidas sobre a sua permanência, alguns sites americanos divulgaram esta semana que o time texano estaria interessado em dois wide receivers que estarão sem contrato em 2017.

Uma das notícias afirma que o recebedor do Los Angeles Rams Kenny Britt é um dos alvos dos Cowboys para suprir a necessidade de um WR2.

Tradução: “Adicione os Cowboys à lista dos potenciais interessados no recebedor Kenny Britt, por fonte. Eles esperam que Terrance Williams deixe o time.”

Britt, de 28 anos, teve 68 recepções em 2016, ultrapassando pela primeira vez na carreira 1.000 jardas recebidas (1.002), com média de 14,7 jardas por recepção, e ainda anotou 5 touchdowns.

Outro alvo de Dallas para preencher a vaga de Williams seria DeSean Jackson. O wide receiver sempre jogou na NFC Leste como profissional. Durante seis anos atuou pelo Philadelphia Eagles e em 2014 foi para os Redskins, onde permaneceu por três temporadas. O atleta de 30 anos, em 2016, teve números similares aos de Britt: 56 recepções, 1.005 jardas e anotou 4 TDs.

Além dos Cowboys, estariam ainda interessados em Jackson o New England Patriots, Tampa Bay Buccaneers e o Philadelphia Eagles. O recebedor chegou a declarar que levará em consideração a melhor oferta que receber, mas que a qualidade do quarterback dos times também pesará na decisão. Segundo o analista americano Jason Cole, o valor de mercado de D-Jax seria em torno de US$ 11 milhões por ano.

Tradução: “Valor médio estimado do salário de DeSean Jackson seria acima dos US$ 11 milhões por ano.”

Este valor estaria acima do que o pretendido a ser pago pelos Cowboys, motivo pelo qual Terrance Williams estaria de partida.

Márcio Silveira
Sigam-me

Márcio Silveira

Colaborador em Blue Star Brasil
Torcedor do Dallas Cowboys desde 2011, quando passou a acompanhar a NFL. Sonha em ver o time no Super Bowl cada vez que a temporada começa.
Márcio Silveira
Sigam-me