Enquanto estava no vestiário após a vitória do domingo por 28-17 sobre o Kansas City Chiefs, o wide receiver Brice Butler chamou Stephen Jones, o vice-presidente executivo do time, para explicar o quão difícil estava às vezes realizar algumas recepções por causa do brilho do Sol que atravessava as portas de vidro do AT&T Stadium.

Isso não é novidade. Tem sido um problema já há um tempo.

Na segunda-feira, quando questionado, Jones não ofereceu nenhuma solução durante a sua aparição no programa de rádio semanal The Fan G-Bang 105.3. Ele disse que eles continuam a avaliar a tecnologia.

O brilho do sol só foi um problema durante os jogos das 15:30 da tarde no horário local. Desde a inauguração do estádio, o Cowboys jogou 29 jogos que começaram neste horário. Eles ganharam apenas 13 deles.

“Você tem que lidar com essas condições”, disse o técnico Jason Garrett. “Isso não é um exclusivo no nosso estádio. Seja um vento, chuva ou sol, ou qualquer outra coisa que você estiver lidando a cada semana, é normal haver condições que você precisa lidar. Os melhores times são capazes de lidar com isso”.

Dak Prescott, disse que isso não era um problema para ele. Na transmissão da CBS, o ex-quarterback do Cowboys, Tony Romo, disse que os quarterbacks não sofrem tanto incomodo quanto os wide receivers.

E tanto Butler quanto Dez Bryant mencionaram que cometeram alguns drops devido à luz do Sol nos olhos.

“A melhor coisa que temos a fazer é controlar o que podemos controlar”, disse Garret. “Como treinador, nós tentamos tomar boas decisões para usá-lo (o sol) em nosso vantagem em um jogo com a direção que estamos indo e o tempo que estamos indo naquela direção, e então, como jogadores, nós precisamos lidar com isso”.

“Se isso tem um impacto sobre nós, tente o nosso melhor para executar as jogadas independentemente e, com sorte, usar isso ao nosso favor, se isso está afetando o nosso oponente”.

Karolyne Brum
Sigam-me

Karolyne Brum

Colaboradora em Blue Star Brasil
Estudante de Administração. Apaixonada por NFL desde 2012 e fanática pelo America's Team desde então. É colaborada do NFL Luluzinha e se juntou ao Blue Star Brasil, atualmente sendo a única garota da equipe.
Karolyne Brum
Sigam-me