O debate em volta da NFL e do hino nacional tomou outra proporção na tarde do último domingo, com o dono/general manager do Cowboys Jerry Jones deixando sua opinião mais do que clara.

“Se houver qualquer coisa que for desrespeitosa para a bandeira, então nós não vamos jogar”, disse Jones para os repórteres após a derrota para Green Bay. “Entende? Se estivermos desrespeitando a bandeira, então não jogaremos. Ponto.”

Pressionado para esclarecer se ele quis dizer que os jogadores que forem vistos desrespeitando a bandeira não jogariam, Jones confirmou sua visão.

“Ponto. Sim, é claro”, disse.

Jones foi perguntado sobre o assunto por conta de duas situações que ocorreram no domingo. A primeira ocorreu com o vice-presidente dos Estados Unidos Mike Pence, que declarou ter deixado a partida entre Indianapolis Colts e San Francisco 49ers porque alguns jogadores ajoelharem durante o hino nacional.

“Nosso vice-presidente dos Estados Unidos, se em sua opinião houve desrespeito a bandeira, então ele pode (deixar o estádio)”, disse Jones. “Ele basicamente pode, em sua opinião, se expressar como ele quiser. Ele tem direitos também.”

O outro caso foi em relação as ações dos jogadores David Irving e Damontre Moore, ambos de linha defensiva. Todo o elenco ficou de pé para o hino nacional para o o jogo, assim como em toda a temporada. No entanto, pouco antes do fim do hino, tanto Irving quanto Moore levantaram seus punhos para o alto.

O gesto historicamente foi usado para trazer consciência para a injustiça racial, e jogadores ao redor da NFL estão fazendo isso mostrando solidariedade com o ex-quarterback de San Francisco Colin Kaepernick e seu protesto original.

Ao ser perguntado sobre isso após o jogo, Moore foi relutante.

“Às vezes é melhor não dizer algumas coisas”, disse. “No fim das contas, Kap fez o que fez. Eu fiz o que fiz. Todo mundo fez o que fez do Ponto A para o Ponto Z na liga. Eu acho que todo mundo esqueceu sobre isso”.

Da sua parte, Jones disse que não notou que seus jogadores fizeram esse gesto antes da partida. No entanto, ele disse que não toleraria desrespeito com a bandeira americana ou o hino nacional.

“Nós vamos respeitar o hino, e eu vou criar uma percepção disso. E nós temos”, disse Jones. “Eu não estou sabendo e não saberia do que você está falando. Não sei sobre isso. Se você diz então você viu.”

Se os gestos de Irving e Moore foram desrespeitosos ou não está aberto para interpretação, como os jogadores comentaram.

“Meu pai foi da Marinha, e eu sei o que ele pensa. Ele está OK com isso, assim como a maioria dos membros da Marinha que conversei estão”, disse Irving. “Meus irmãos estão na Marinha, eles não acham que isso desrespeita a bandeira.”

Ainda, parece que esse gesto — e a postura de Jones em relação ao desrespeito a bandeira ou ao hino — estará entre os assuntos mais comentados em Dallas nessa semana.

Em uma discussão que já ficou batida no último ano, Jones se mostrou claro.

“Nós sabemos que há uma séria discussão nesse país sobre esses problemas”, disse. “Mas não há nenhuma dúvida na minha cabeça de que na National Football League e no Dallas Cowboys nós vamos nos levantar para a bandeira. Então estamos claros.”

Gabriel Plat

Editor-Chefe em Blue Star Brasil
Curte NFL por escolha e o Dallas Cowboys por amor. Aprecia a boa música e compartilha outro sofrimento: o Botafogo. Um dos participantes do podcast.