Jerry Jones: “Precisamos começar a procurar um futuro QB para o Cowboys”

Jerry Jones: “Precisamos começar a procurar um futuro QB para o Cowboys”

860
Foto: LM Otero / AP Photo

De acordo as falas dos membros do front office do Dallas Cowboys, a impressão que fica é que nada está fora do alcance para o draft que ocorrerá mês que vem. E isso significa que nem escolher um quarterback no draft está fora dos limites.

O dono/general manager do Dallas Cowboys, Jerry Jones, compartilhou seus pensamentos sobre o draft na terça-feira durante o encontro anual da NFL. Entre várias reflexões, estava a ideia de que seria o momento certo de considerar um futuro substituto para Tony Romo.

“Nós temos que olhar para um quarterback para o futuro sim”, disse Jones. “Está começando o prazo onde os caras poderiam vir e serem bons reservas”.

Procurar um QB para o futuro, entretanto, não significa que o Cowboys busca um substituto imediato para Tony Romo. O quarterback veterano, que chegou a ser cotado para MVP de 2014, tem contrato até a temporada de 2019. Ao perguntado, Jones foi rápido ao apontar que, apesar de tudo, Romo passou quatro temporadas na reserva antes de se tornar titular.

“Olhe para como o Romo evoluiu no cara que ele é hoje”, disse. “Ele passou um pouco de tempo com a prancheta (referindo-se a estudar o jogo na reserva)”.

Com a 27ª escolha geral do draft, o Cowboys não deverá ir atrás de um quarterback de primeira rodada — mesmo se eles quisessem um. Mas com as escolhas compensatórias sendo anunciadas em Phoenix, o time recebeu a lista oficial da ordem das escolhas. Alem da 27ª, o Cowboys terá a 60ª, 91ª, 127ª, 163ª, a 236ª e a 243ª escolha.

Isso dá uma escolha para a primeira, segunda, terceira, quarta e quinta rodada, além de duas escolhas na sétima rodada. Jerry disse que um dos seus focos principais no draft desse ano é encontrar um bom jogador após as primeiras rodadas terem terminado.

“Eu penso em realmente focar nas últimas rodadas. Nós realmente devemos avaliar essas últimas rodadas”, disse.

“Nós devemos nos sentir bem e espero que sintamos bem sobre as escolhas de terceiro, quarto e quinto round“.

Jones já reconheceu que ele terá que acompanhar de perto os running backs enquanto o Cowboys estiver no relógio. A contratação de Greg Hardy para a linha defensiva também não eliminou a necessidade do time para um pass rush, sem mencionar a necessidade de um jogador de secundária — ou até algumas necessidades não tão óbvias.

“Prioridades no sentido de que você pode escolher (um jogador de) secundária, escolher um linebacker. Eu não desconsideraria um jogador de linha ofensiva diante de algumas circunstâncias”, disse.

Como o técnico Jason Garrett foi rápido ao apontar, o Cowboys conseguiu cobrir bem suas maiores necessidades na free agency a ponto de ter uma liberdade no draft. Essa habilidade se provou eficaz ano passado com a escolha de Zack Martin.

“Para nós, nesse momento, a 16ª escolha da primeira rodada, para ter um cara que consideramos o melhor jogador disponível — em uma posição que talvez não fosse nossa maior necessidade – e de escolher Zack Martin, eu penso que foi uma decisão muito boa de nosso time”, disse Garrett.

Gabriel Plat

Editor-Chefe em Blue Star Brasil
Curte NFL por escolha e o Dallas Cowboys por amor. Aprecia a boa música e compartilha outro sofrimento: o Botafogo. Um dos participantes do podcast.