linebacker Damien Wilson foi preso nessa terça-feira com acusações de agressão com uma arma letal.

A políca foi chamada para o estacionamento do Toyota Stadium, estádio do time de futebol F.C. Dallas, durante o Frisco Freedom Fest, de acordo com o porta-voz da polícia Ryan Chandler.

Os policiais prenderam Wilson com duas acusações de agressão com uma arma letal. Ele foi levado para a prisão de Frisco e solto após pagar uma fiança, disse Chandler.

A polícia de Frisco ainda está investigando o caso. Chandler recusou a dar detalhes do que levou Wilson ser preso, mas afirmou que ninguém mais foi preso com ele.

O Toyota Stadium sediou um jogo do F.C. Dallas e uma festa com fogos de artifícios na noite de terça. Wilson foi preso enquanto a partida estava acontecendo dentro do estádio. O Dallas Cowboys disse em e-mail nessa quarta-feira que não iria comentar a prisão de Wilson.

“Nós estamos cientes da situação e estamos no processo de reunir informação”, disse Rich Dalrymple, vice de relações públicas do Dallas Cowboys. “Nós não vamos comentar o caso no momento”.

Acusações de segundo grau, que incluem a agressão feita por Wilson, podem resultar de 2 a 20 anos de prisão e uma multa de até 10 mil dólares.

Wilson é o segundo jogador do Cowboys a ser preso nos últimos 38 dias. A polícia de Dallas prendeu o cornerback Nolan Carroll por dirigir embriagado no fim de maio, depois do jogador dirigir na contramão de uma estrada.

Wilson foi uma escolha de quarta rodada do Cowboys em 2015. Ele foi titular de seis jogos na temporada passada, terminando o ano em 11º no time em tackles, com 34. Nos treinos dessa offseason, Wilson esteve entre os titulares pelo fato de Sean Lee e Jaylon Smith estarem sendo poupados.

Wilson começou o training camp ano passado na PUP list por conta de uma lesão no seu olho direito enquanto jogava paintball. A lesão fez com que ele assistisse os 11 primeiros treinos com um óculos de sol.

 

Gabriel Plat

Editor-Chefe em Blue Star Brasil
Curte NFL por escolha e o Dallas Cowboys por amor. Aprecia a boa música e compartilha outro sofrimento: o Botafogo. Um dos participantes do podcast.