O sindicato dos jogadores da NFL entrou com um recurso no 2º Tribunal de Apelações dos EUA em nome do running back do Dallas Cowboys, Ezekiel Elliott, a medida que ele continua lutando contra a suspensão de seis jogos imposta pela NFL devido a alegações violências domésticas.

Advogados do sindicato declaram que a suspensão de Elliott deve ser adiada até que o tribunal analise o assunto. Advogados da liga não fizeram nenhum comentário a respeito.

A juíza Katherine Polk Failla negou na última segunda-feira a noite o pedido de liminar do sindicato dos jogadores depois de ouvir os argumentos da liga e do sindicato.  Failla, que comanda o Tribunal Americano Distrital do Sul do Estado de Nova York, estabeleceu sua decisão fosse cumprida em 24 horas, permitindo a defesa de Elliott um dia para entrar com recurso, o que ocorreu nessa terça-feira.

A decisão de segunda-feira restabelece a suspensão de Elliott novamente, e ele não pode jogar até o jogo dos Cowboys contra o Oakland Raiders no dia 17 de dezembro.

Antes de entrar com o recurso, o sindicato dos jogadores entrou com uma moção de emergência para uma liminar pendente de recurso com Failla. Ela negou essa moção.

Elliott não participou das atividades do time nessa terça-feira e também não é esperando que ele treine nessa quarta-feira, a medida que a batalha legal continua. Os Cowboys irão começar a treinar em tempo integral para o jogo de domingo contra o  Kansas City Chiefs na quarta-feira.

O sindicato declarou que Failla errou ao concordar com as reivindicações da NFL, uma vez que elas eram baseadas no direito trabalhista federal e a liga seguiu o acordo coletivo para decidir sobre a  suspensão de Elliott.

Os advogados do sindicato também disseram que Failla foi a primeira juiza a ter “concluído que os atletas profissionais com curta carreira não enfrentam danos irreparáveis” quando as suspensões são aplicadas antes que as opções de recursos estivessem esgotadas.

A juíza concluiu que alguns dos motivos das alegações de Elliott, de que ele sofreria danos irreparáveis durante uma suspensão, foram “muito especulativos”, tendo em conta todas as variáveis, que incluia o desempenho ofensivo geral dos Cowboys, o desempenho defensivo de seus adversários e a saúde de Elliott.

O sindicato também declararam que Failla fez conclusões legais equivocadas, que merecem revisão por uma corte de recursos composto por três juízes, particularmente depois de uma “arbitragem injusta e fundamentalmente parcial”.

Failla baseou algumas de suas decisões no apelo bem-sucedido da NFL na mesma jurisdição no caso Deflategate, que terminou com a suspensão de quatro jogos para o quarterback da New England Patriots, Tom Brady.

Elliott, 22 anos, recebeu uma suspensão de seis jogos no dia 11 de agosto por violar a politica de condutas pessoais da liga, devido a alegações de ter praticado violência doméstica por uma ex-namorada. Ele nunca foi acusado de ter cometido qualquer crime pelas autoridades de Columbus, Ohio, que investigaram as alegações.

O sindicato teve uma liminar concedida por um juiz federal no Texas no dia 8 de setembro, mas um tribunal federal de apelações em Nova Orleans decidiu em favor da NFL no dia 12 de outubro, cassou a liminar concedida e ordenou a retirada do processo de Elliott de lá.

A associação dos jogadores foi então ao Tribunal Distrital do Sul em Nova York, onde o caso agora é analisado. Elliott recebeu uma ordem de restrição temporária pelo juiz distrital dos Estados Unidos, Paul Crotty, no dia 17 de outubro, que lhe permitiu jogar nos últimos dois jogos, mas esse pedido estava expirando.

Elliott é o terceiro em jardas corridas na NFL, com 690 jardas em sete jogos.  Ele está empatado na liderança em touchdowns terrestres, com seis. Os Cowboys (4 vitórias e 3 derrotas), atuais campeões da NFC East, estão em segundo lugar na divisão.

Eduardo Zamarian

Eduardo Zamarian

Colaborador em Blue Star Brasil
Gosto de ver todos os esportes, mas acompanhar o Dallas Cowboys e o Corinthians é obrigação diária. E também todo dia é dia de rock,bebê.
Eduardo Zamarian