Depois de uma derrota em um jogo ruim contra o New York Giants, o Dallas Cowboys se recuperou e venceu o Tampa Bay Buccaners pelo placar de 26 a 20, conquistando a décima segunda no ano. Como sempre, o Blue Star Brasil avalia a performance do time na partida em ótimo, bom regular, ruim e péssimo, separando-as por setores e posições. As notas são compostas por uma média formada pela opinião de 9 dos integrantes do BSB. Confira:

ATAQUE

Quarterback – Depois de ter feito um jogo horroroso na semana passada, Dak Prescott soube lidar com a pressão sofrida durante os sétimo últimos dias. E, se na semana passada foi muito mal, nesta semana foi muitíssimo bem. Mais tranquilo e fazendo boas leituras, Dak teve boa sintonia com seus recebedores, principalmente com Dez Bryant. Foram apenas 4 passes errados dos 36 lançados, marca excepcional para qualquer jogador. Dak não teve nenhum touchdown aéreo, mas foi prejudicado por algumas faltas da linha ofensiva. Teve leituras de jogo tão boas que conseguiu fazer com que 8 jogadores recebessem passes ao longo do jogo. Alguns passes executados pelo calouro foram muito bonitos e difíceis de serem executados, o que abrilhanta ainda mais a sua atuação. Foi muito inteligente o jogo todo, incluindo no final, quando não lançou a bola em uma situação óbvia de sack e fez Tampa Bay queimar o seu tempo. Se na semana passada, levou 9 péssimos, hoje Dak leva 9 ÓTIMOS 

Running Backs – Nossas avaliações sobre Ezekiel Elliott já estão se tornando repetitivas. Mais uma grande partida do jovem running back. Zeke enfrentou uma boa defesa e conseguiu, durante o jogo todo, muitas jardas além do primeiro contato que facilitaram muito a vida do ataque. Seus saltos e cortes bem feitos também foram destaque.  Foram 159 jardas corridas, maior marca do jogador no ano, contra uma defesa que vinha cedendo pouca coisa aos adversários. Zeke ainda teve um belo gesto ao comemorar o seu touchdown na partida dentro do pote vermelho do Exército da Salvação, algo que lhe rendeu uma falta de 15 jardas. A NFL realmente merce o apelido de “No Fun League”, mas, pelo menos, resolveu não multar o jogador ÓTIMO (9 ótimos)

Wide Receivers – Ao lado de Dak Prescott, Dez Bryant foi uma das maiores decepções no jogo da semana passada contra os Giants. Atleta competitivo que é, entrou no jogo com vontade de apagar a má impressão deixada. E conseguiu. Melhor utilizado pelo coordenador ofensivo dos Cowboys, Dez foi muito bem, recebeu 8 passes e conquistou 82 jardas, aparecendo em momentos decisivos. Cole Beasley, Terrance Williams e Brice Butler também foram bem, aparecendo na hora que foram acionados.  Performance muito superior a da semana passada. Faltou um touchdown de algum deles. BOM (2 ótimos e 7 bons)

Linha Ofensiva – Apesar das duas faltas de Doug Free que mataram o ataque por duas vezes e dos 3 sacks cedidos durante o jogo, a linha ofensiva novamente fez um bom trabalho. A proteção a Dak Prescott foi excelente e permitiu que o calouro desenvolvesse seu jogo. Novamente, foi perfeita nos bloqueios para o jogo corrido, tanto que Ezekiel Elliott teve sua melhor performance em matéria de jardas conquistadas no ano. Precisam apenas tentar acabar com as faltas de holding, que quase sempre matam o ataque. BOM (9 bons)

Tight Ends – Jason Witten se tornou o sétimo jogador da história da NFL com o maior número de recepções. Isso é algo impressionante, ainda mais considerando que o jogador é um tight end. Mais do que isso, Jason Witten fez um bom jogo, sendo praticamente perfeito no ataque recebendo passes. Foi o jogador mais acionado por Dak Prescott no jogo e conquistou 51 jardas. Não fosse o fumble cometido, algo raro quando se trata do camisa 82, Jason Witten receberia uma nota ótimo. Como o fumble não causou problemas graças a boa atuação da defesa e como ele fez grandes bloqueios para Zeke e Dak, fica com uma nota boa. BOM (4 ótimos 4 bons, 1 regular)

Scott Linehan, coordenador ofensivo – Scott Linehan não ajudou Dak Prescott na semana passada com algumas chamadas ruins. No jogo  contra Tampa Bay, foi bem, ainda que não tenha feito um excelente trabalho como em alguns jogos neste ano. Ao menos, utilizou bem Dak Prescott no jogo, principalmente nas rotas cruzadas e nas rotas “slant. Em outros momentos, o coordenador pecou um pouco. Poderia ter tentado passes mais longos em terceiras descidas curtas, mesmo contra a boa secundária  dos Bucs. Algumas jogadas escolhidas por Linehan já estão ficando manjadas, como o reverse e o Jet Sweep com Lucky Whitehead, que em nada deram certo na noite de ontem. Mesmo assim, conseguiu fazer o ataque fluir, algo que não vinha ocorrendo nos últimos jogos. BOM (6 bons e 3 regulares)

DEFESA

Linha Defensiva – Desde o início da temporada, criticamos muito a linha defensiva pela falta de pressão. Ontem, não temos o que falar da performance da linha de frente da nossa defesa. A pressão em cima do quarterback dos Bucs ocorreu o jogo inteiro e gerou bastante resultado. O destaque foi David Irving. Foram dois sacks, quatro hurries e muita pressão para cima do QB Jameis Winston, além de um tapa no cotovelo do quaterback dos Bucs que permitiu a interceptação de Jeff Heath. Maliek Collins, Terrell McClain e Benson Mayowa também fizeram grande jogo. Agora é esperar que Randy Gregory volte ao time e ajude a melhorar ainda mais o nível do pass rush para os playoffs. ÓTIMO (9 ótimos)

Linebackers – O ataque terrestre do Tampa Bay Buccaners praticamente inexistiu na partida.  Foram apenas 42 jardas para o running back Doug Martin e 53 jardas totais terrestres para o adversário. Foi uma boa sintonia com a linha defensiva, ajudaram o time a forçar quatro turnovers a favor da defesa. Sean Lee novamente foi fenomenal. Ainda que não tenha tido uma partida de extra-terrestre igual a da semana passada, Lee novamente liderou o time em tackles com 10 no total. O jogador é agora o segundo da NFL com mais tackles, com 140 no total (média impressionante de 10 tackles por partida) ÓTIMO (5 ótimos e 4 bons)

Secundária – Não há dúvidas que Mike Evans é um dos melhores recebedores da NFL. E o jogador conseguiu no jogo apenas 4 recepções para 59 jardas, sendo que em algumas delas, fez realmente milagre diante de uma marcação excelente. Byron Jones e Barry Church só tiveram menos tackles na partida que Sean Lee, algo expressivo para dois safeties. Brandon Carr também foi bem, apesar de ter vacilado em um pass interference e também no touchdown de 42 jardas de Adrian Humphpries. Na jogada, Carr deveria ter se inspirado no futebol e espalmado a bola, já que a interceptação não era tão fácil. BOM (1 ótimo e 8 bons)

Rod Marinelli, coordenador defensivo – Rod Marinelli é um coordenador defensivo que sempre gosta que suas defesas forcem turnovers, como já deixou claro em muitas entrevistas. e, nos últimos dois jogos, conseguiu transformar uma defesa que dificilmente tirava a bola do adversário. Foram 4 turnovers a favor contra os Bucs e 3 contra os Giants, números impressionantes. Marinelli está conseguindo fazer a linha defensiva colocar mais pressão nos adversários, algo determinante para os bons resultados. Em compensação, vimos que Marinelli foi surpreendido pelo ataque no huddle dos Bucs no terceiro quarto, que acabou resultando na virada dos Bucs. Mas nas campanha seguintes, quando foi exigida, a defesa novamente apareceu. Méritos para Marinelli. BOM (7 bons)

Jason Garrett, técnico – Garrett executou um bom plano de jogo. Recuperou um ataque que falhou nos últimos 2 jogos e foi fundamental na boa performance de Dak Prescott, muito questionado na última semana pela sempre exigente imprensa que cobre os Cowboys (nos incluímos nisso). BOM (9 bons)

Special Teams – Dan Bailey acertou todos seus extra points e 2 field goals relativamente fáceis, mas em compensação errou 2 field goals longos. Mais uma vez, Bailey pecou pela falta de força, algo que não costumava acontecer com o jogador de apelido “Mr Automatic”. Lucky Whitehead, voltando ao time após ser barrado na última jogada, nada fez nos retornos e quase prejudicou o time jogando como wide receiver. Chris Jones foi bem nos puntsREGULAR (2 bons, 4 regulares e 3 ruins)

Rafael Freitas

Rafael Freitas

Fã do Dallas Cowboys desde 1996, sonha em ver o time de volta ao Super Bowl. Mais novo integrante do Blue Star Brasil
Rafael Freitas