A vitória veio de forma sofrida, mas veio. No buraco negro de Oakland, o Time da América venceu por 20 a 17 e segue vivo na briga pelos playoffs.

A equipe do Blue Star Brasil avalia em ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM e PÉSSIMO a atuação de todos os setores da equipe. Nesta semana, 9 integrantes do site opinaram.

Vamos às notas:

Ataque

Quarterback – As estatísticas às vezes enganam. Para a nossa sorte, este foi o caso ontem para Dak Prescott. O quarterback teve uma boa partida apesar de ter conseguido apenas 212 jardas, nenhum touchdown e duas interceptações. Não foi nem um pouco ajudado pelos seus wide receivers, que droparam muitas bolas, em especial no primeiro tempo. Prescott foi bem também quando pressionado e também nos momentos decisivos da partida. Nas duas interceptações, foi culpado apenas na primeira, ainda que Dez Bryant não tenha corrido a rota completa. BOM (1 ótimo, 6 bom e 2 regular)

Running Backs – Alfred Morris teve um dia ruim. Não passou das 61 jardas e não conseguiu jardas extras importantes, principalmente no último quarto. Nos momentos em que o time precisava de poucas jardas para uma descida, Morris poderia ter chamado mais a responsabilidade para si. Rod Smith anotou um touchdown, mas tocou na bola 7 vezes e conquistou apenas 13 jardas. Num saldo geral, a dupla cumpriu seu papel durante a ausência de Ezekiel Elliott.  ÓTIMO (10 ótimos)

Wide Receivers – Dez Bryant não fez nada no primeiro tempo, dropou uma bola e ainda não correu a rota até o fim na primeira interceptação de Prescott. Cole Beasley dropou uma bola num belo passe de Prescott. Terrance Williams conseguiu não segurar a bola na primeira jogada extremamente criativa de Scott Linehan em muito tempo. Aí fica difícil. Dez, ao menos, apareceu pro jogo no segundo tempo e fez uma importante recepção ao seu maior estilo num momento muito crucial do jogo. Ainda assim, performance fraca dos wide receiversRUIM (8 ruim e 1 regular)

Tight Ends – Jason Witten e James Hanna somaram mais jardas no jogo que qualquer wide receiver do time. Witten recebeu todos os quatro passes que lhe foram lançados e ainda foi bem nos bloqueios, apesar de ter perdido o confronto uma vez ou outra. James Hanna fez uma belíssima recepção num passe longo de Prescott. BOM (9 bom e 1 regular)

Linha Ofensiva – A linha ofensiva começou bem, mas depois caiu de produção. Tyron Smith não fez uma boa partida e ainda saiu lesionado. Seu substituto, Bell, cometeu uma falta, mas fez uma partida decente. Não foram tão eficientes bloqueando para o jogo  corrido como de costume. Poderiam ter se imposto mais nas situações de quarta descida. Em compensação, cederam apenas dois sacks e deixaram Prescott bastante à vontade no lance que gerou seu touchdown corrido. REGULAR (7 regular e 2 ruim)

Scott Linehan (coordenador ofensivo) – Menção honrosa pela tentativa do flea flicker.  Pelo menos fugiu ao padrão conservador que costuma adotar. Repare que na maioria das vezes, Linehan chama uma corrida na primeira descida. Chega a irritar. Apesar da jogada inovadora, Linehan escolheu jogadas completamente erradas mais uma vez. A pior de todas foi a tentativa de quarta descida sem um running back no back field. Se não fosse um esforço hercúleo de Dak Prescott, possivelmente não teríamos conseguido o first down chave. A sequencia de jogadas no fim do jogo com o placar empatado em 17 a 17 também foi lastimável. Para a sua alegria, terá de volta Ezekiel Elliott na semana que vem. Torçamos para que ele pense em mais flea flickers na semana que vem. BOM (10 bons)

Defesa

Linha Defensiva –DeMarcus Lawrence fez outra grande partida. O melhor jogador da defesa dos Cowboys em 2017 pressionou muito Derek Carr e ainda ajudou na contenção ao running back Marshawn Lynch. A linha não conseguiu nenhum sack, mas foi bem como um todo na partida.  BOM (6 bom, 2 regular e 1 ruim).

Linebackers – Como de costume, Sean Lee comandou a defesa e teve grande partida. Não teve os 18 tackles da semana passada, mas ainda assim conseguiu 10. É o líder da defesa e comanda os outros dentro de campo de uma maneira incrível. Os linebeckers limitaram Marshawn Lynch a apenas 71 jardas e dificilmente perderam tackles em cia de um dos running backs que mais consegue escapar ileso da NFL. Vacilaram na cobertura das corridas de Derek Carr, entretanto. BOM (9 bom)

Secundária –Jeff Heath deveria concorrer ao prêmio de melhor brasileiro do ano, mesmo sendo dos Estados Unidos. Teria o nosso voto. O strong safety simplesmente salvou o ano e manteve viva a esperança dos playoffs graças ao fumble de Derek Carr no final que resultou em um touchback e na vitória dos Cowboys.

Além dele, Chidobe Auwzie, Jourdan Lewis, Xavier Woods e Antonio Brown tiveram grandes partidas, com alguns pequenos erros individuais. Se não fosse o pass interference no final do jogo de Lewis e as inacreditáveis chances de interceptação desperdiçadas, a secundária seria o destaque do time no jogo e levaria ótimo. BOM ( 9 bons)

Rod Marinelli (coordenador defensivo) – Você já deve estar cansado, nós sabemos, mas não temos culpa se em todo o jogo, a defesa de Marinelli vai muito bem no primeiro tempo e perde o ritmo no segundo. Ao menos, dessa vez, o time não caiu como de costume e conseguiu se impor nos momentos decisivos. Marinelli fez um bom trabalho nas rotações da secundária. Em compensação, não conseguiu fazer algo para suprir a ausência de David Irving na linha defensiva. REGULAR (9 regular)

Jason Garrett (técnico principal)  Estamos numa situação onde não há mais chance para ser conservador. É vencer ou ir pra casa. Nossos playoffs já começaram. E hoje, Jason Garrett fez o que precisava ser feito. Arriscou a quarta descida quando tinha que arriscar, principalmente no punt que resultou numa corrida longa de Chris Jones e na quarta descida com Dak Prescott (apesar da jogada chamada ter sido ruim). Deveria ter tentado o touchdown na quarta descida na linha de uma jarda no final do jogo. Seriam 7 pontos ao invés de três. BOM (4 ótimo e 5 bom)

Special Teams – A corrida de Chris Jones foi fundamental para não deixar o Oakland começar a gostar do jogo. Bailey converteu seus field goals. Deixaram o retornador dos Raiders a vontade. BOM (1 ótimo e 9 bom)

Pedaço de Papel – Garantiu a primeira descida necessária para a campanha que terminou no field goal da vitória. Por conta da sua importância, leva a nota de EXCELENTE

Rafael Freitas

Rafael Freitas

Fã do Dallas Cowboys desde 1996, sonha em ver o time de volta ao Super Bowl. Mais novo integrante do Blue Star Brasil
Rafael Freitas