A franquia mais rica e popular da NFL na verdade começou humilde. Em 1960, os donos da NFL votaram para que Dallas fosse a cidade escolhida para o local da próxima franquia. Tendo grandes nomes no futebol americano universitário, faltava ao Texas uma forte equipe de futebol americano. Ao preço de 500 mil dólares (aproximadamente 4 milhões de dólares nos dias de hoje), o empresário Clint Murchison Jr. comprou os direitos da franquia.

Inicialmente, o time seria conhecido como Dallas Steers, alterando posteriormente para Dallas Rangers. Mesmo sabendo que Dallas Rangers era o nome de um time local de beisebol da cidade, os diretores da recém inaugurada franquia decidiram manter o mesmo nome, já que era esperado que o time de beisebol encerrasse suas atividades naquele ano.

O que não estava previsto, entretanto, era o anúncio da equipe de beisebol dizendo que manteriam suas atividades em Dallas. Para evitar qualquer tipo de confusão com o nome das duas equipes, foi decidido que o nome da nova franquia se chamaria Dallas Cowboys, nome até hoje inalterado.

Com a nova franquia, Murchison contratou Tex Schramm, assistente do presidente do Los Angeles Rams, para ser o General Manager e Tom Landry, ex-jogador e coordenador defensivo do New York Giants, como Head Coach.

 

Fundação Dallas Cowboys
Certificado confirmando o direito do Dallas Cowboys de representar a cidade de Dallas na NFL

 


O primeiro time, a primeira estrutura

1960 Dallas Cowboys
O primeiro time da história do Dallas Cowboys. As estrelas? Só no capacete

Após ser fundado, o Dallas Cowboys precisava de jogadores para compor o time. A formação do time, porém, veio de uma maneira nada agradável.

“A NFL nos deu o ‘prazer’ de escolher três dos piores jogadores de cada time da liga, nos impedindo de participar do draft, e então disse, ‘Ok, caras, vamos jogar’”, disse Landry. Ao ser perguntado muitos anos depois, Tom Landry disse que a temporada inicial “não havia sido fácil”.

Para piorar ainda mais a situação, o Dallas Cowboys contava com uma estrutura para treinamentos totalmente precária. O local de treinos se chamava Burnett Field, um estádio abandonado de uma equipe de beisebol de ligas inferiores. No estádio, sem água quente nos chuveiros. À noite, ratos “do tamanho de uma torradeira” entravam no vestiário e roíam os sapatos dos jogadores.

Sem estádio, o Dallas Cowboys mandava seus jogos no Cotton Bowl, o maior estádio da cidade de Dallas, com uma capacidade total de 80 mil pessoas. Por ser uma franquia recém criada, no entanto, o estádio era grande demais. Com públicos de aproximadamente 8 mil pessoas, os jogadores se viam jogando em um campo neutro. Completando a situação, o Cowboys ainda disputava a popularidade de Dallas com outro time recém criado: o Dallas Texans (futuramente Kansas City Chiefs).

“Eu me lembro de caminhar no campo pouco antes de um jogo”, escreveu Landry uma vez, “e me perguntar se tínhamos vindo no dia certo”.


A primeira temporada: catástrofe anunciada

Cowboys x Giants 1960
Dallas Cowboys enfrenta o New York Giants no Yankee Stadium (Foto: Robert Riger/Getty Images)

Com um elenco de renegados, o Dallas Cowboys de 1960 começou a temporada enfrentando o Pittsburgh Steelers em casa. Mesmo tendo construído uma vantagem de 14 a 0 no primeiro quarto, o Cowboys acabou sendo derrotado por 35 a 28.

Depois de outra derrota apertada, dessa vez por 27 a 25 para o Philadelphia Eagles, o recém inaugurado time de Dallas desandou: foram 10 derrotas nos primeiros 10 jogos da temporada e da história da franquia. E o que parece ruim foi ainda pior: três das derrotas foram na verdade humilhações: 48 a 7 para o Cleveland Browns, 45 a 7 para o Baltimore Colts e 41 a 7 para o Green Bay Packers, com as duas primeiras tendo acontecido em Dallas.

A primeira “não derrota”, no entanto, também não foi uma vitória. Jogando no Yankee Stadium, o Dallas Cowboys perdia para o New York Giants por 31 a 24 até que Billy Howton anotou o touchdown que livrou o Cowboys de mais uma derrota após passe de 11 jardas do quarterback Eddie LeBaron no último quarto. Por não existir prorrogação na época, o jogo terminou empatado.

Por fim, o Dallas Cowboys perdeu mais um jogo, dessa vez pro Detroit Lions, encerrando sua primeira temporada com um desastroso recorde de 0-11-1.

Pelos números, a situação também não foi nada boa: apenas 6 touchdowns terrestres e 6 field goals em toda temporada. Já o quarterback titular Eddie LeBaron teve um ano desastroso: 11 touchdowns e 25 intercetapções em 11 jogos disputados.

A situação, porém, estava para mudar…

Gabriel Plat

Editor-Chefe em Blue Star Brasil
Curte NFL por escolha e o Dallas Cowboys por amor. Aprecia a boa música e compartilha outro sofrimento: o Botafogo. Um dos participantes do podcast.