Acho que nunca acordei mais feliz na minha vida.

Acho que nunca vou esquecer esse dia: 5 de fevereiro de 2017.

Que noite, amigos! Que noite!

Nós, finalmente, #FinishedTheFight.

São seis. Seis Super Bowls. Para todos aqueles que estavam duvidando do potencial dos Cowboys depois do Romo se machucar, aqui está: chupa! Somos hexa!

E eu não poderia estar mais feliz por esse homem que eu tanto amo. Antonio Ramiro, MVP do Super Bowl LI. Eternizado na história da NFL. O jogador mais polarizado, talvez, da história. Futuro Hall of Famer.

Foi duro. Foi difícil. Desde aquela primeira derrota pros Giants até essa vitória no Super Bowl contra os Patriots. Chupa, Brady! Chupa, Bill Belicheatchick.

Romo MVP do Super Bowl, Zeke com mais de 2.000 jardas corridas e provável MVP da NFL, Dez com dez touchdowns nos playoffs, Defesa – sim, com D maiúsculo – cedendo menos de 20 pontos nos playoffs.

E só de lembrar que tudo poderia ter acabado de novo depois daquele sack do James Harrison, quando Romo ficou no chão por alguns segundos mas conseguiu levantar e terminar o Game Winning Drive.

É até difícil escrever.

Mas é incrível como o Super Bowl não seja a cereja do bolo. O que mais poderia ser? Logo depois do jogo, Romo afirmou que será o técnico de quarterback da equipe. Ele tinha um acordo com Jerry Jones que, caso os Cowboys fossem campeões, ele se aposentaria e voltaria para treinar o brilhante Dak Prescott.

Nosso time é promissor. Ano que vem, Dak, Zeke e Dez estão de volta.

Rumo ao hepta!

Rafa Yamamoto

Rafa Yamamoto

Dono do posto de editor mais bonito do Blue Star Brasil, Rafa Yamamoto é redator e apresenta o Podcast.
Rafa Yamamoto