OPINIÃO | Um serviço para os Cowboys; um desserviço para a sociedade

OPINIÃO | Um serviço para os Cowboys; um desserviço para a sociedade

812
Foto: Chris Keane / AP Photo

“Ele me olhou nos olhos e disse que ia me matar”. Os Cowboys contrataram Greg Hardy.

A frase acima, embora eu gostaria muito que tivesse sido usada por Matt Ryan, Drew Brees ou qualquer quarterback da NFL, foi dita por Nicole Holder.

Nicole é uma bartender de 24 anos. Infelizmente, ela namorou Greg Hardy.

Hoje, eu vivo um dilema. Como torcedor, estou radiante e feliz porque teremos um pass rusher ótimo. Quanto tempo nós não esperamos por isso? Entretanto, como ser humano, me dá nojo e raiva de ver Greg Hardy usando o uniforme de uma franquia da NFL.

Não serei hipócrita ao ponto de achar que todos os jogadores, que hoje se encontram no elenco, são santos ou nunca fizeram nada de ruim. Mas é ainda mais desconfortante saber que um ser humano que acabou de ser acusado de “jogar a namorada na banheira, enforca-la com as próprias mãos, arrasta-la pelo chão, jogá-la no sofá – que tinha por volta de 30 armas, sendo algumas delas AK-47” voltar para a NFL como se nada tivesse acontecido.

Esse é o homem que idolatraremos na próxima temporada. Esse é o homem que nos trará alegria. Mas fica a pergunta: esse é homem que seu filho e filha irão se espelhar? Tudo bem que somos brasileiros, vivemos numa sociedade diferente e muitos de nós não temos filhos. Mas vamos sair um pouco da nossa caixinha e pensar no planeta como um todo.

Os EUA é uma fábrica de cultura. Por meio da forte mídia, eles conseguem mudar a cabeça das pessoas em todo o mundo. E o pior? A gente nem percebe.

Um jogador desse ser reintegrado à NFL – o que ainda não aconteceu com Hardy, mas acontecerá – é um crime contra a sociedade.

Um paradoxo bem simples é o sistema carcerário americano e de mais da metade do mundo. Nós tiramos o agressor da sociedade por um tempo para vivermos melhor; quando ele volta, ele não melhorou e não aprendeu com a sua pena, ele só ficou fora por um tempo. Simplificando, isso é o que está acontecendo com Hardy.

Ele fez a cagada dele e “pagou” sua pena – enquanto recebia $13.1 milhões de dólares sentado em seu sofá de cueca e dando tiros em stands – pelo o que ele fez. Isso é o suficiente?

O problema está nas raízes das pessoas. Se você quer fazer dessa uma sociedade melhor, você não deveria estar feliz que Greg Hardy está de volta. Foda-se se ele jogará pelos Cowboys ou pelos Jaguars, ele é uma pessoa que não deveria estar jogando futebol americano na NFL devido ao poder que a liga exerce sobre, acima de tudo, crianças.

Sim, eu torcerei pelos Cowboys temporada que vem. Não, eu não comprarei uma jersey do Hardy. E espero que você também não.

A minha opinião não reflete, necessariamente, com a do site Blue Star Brasil e de seus colaboradores. Caso você discorde, adoraria de saber o que você pensa sobre o assunto.

Rafa Yamamoto

Rafa Yamamoto

Dono do posto de editor mais bonito do Blue Star Brasil, Rafa Yamamoto é redator e apresenta o Podcast.
Rafa Yamamoto