A era de Tony Romo em Dallas aparentemente chegou ao fim. Ao menos o capítulo em que ele jogava como quarterback do Time da América.

A carreira de Romo foi uma montanha-russa de emoções desde o começo, quando ele saiu da pequena Eastern Illinois e lutava para ficar no elenco em 2003. Depois de alguns anos como reserva, Romo de repente se tornou o rosto da franquia, em um local que o deu tantas coisas boas e ruins.

No site oficial do Dallas Cowboys, foi listado os 10 melhores momentos da carreira de Tony Romo. E você, concorda com eles?

Menções Honrosas

2006 vs. Colts – No seu quarto jogo da carreira como titular, Romo enfrentou Peyton Manning e o invicto Colts no Texas Stadium. Ele não só foi quase perfeito, mas ele também teve um game-winning drive no último quarto que deu a vitória ao Cowboys e a primeira derrota ao futuro campeão do Super Bowl.

2014 vs. Colts – Com a chance de vencer o título da NFC East, Romo e o Cowboys dominaram o Colts do começo ao fim. Romo completou 18 de 20 passes para quatro touchdowns e um QB rating de 151,8 com o Cowboys amassando Indy, 42 a 7.

Playoffs de 2009 – Na temporada de 2009, o Cowboys amargava um jejum de 13 anos sem vencer um jogo de playoffs. Mas isso tudo terminou contra os rivais de divisão Eagles, que foram batidos na semana anterior quando o time garantiu o título da NFC East. Nos playoffs, Romo anotou 2 TDs e nenhuma interceptação enquanto o Cowboys dominou com uma vitória por 34 a 14.

 

 

10. Uma campanha gigante

Vídeo: NFL

Na abertura da temporada de 2015, Romo superou um começo ruim em duas campanhas de mestre, incluindo a campanha da vitória no minuto final (vídeo acima). Sem nenhum pedido de tempo e com Dez Bryant machucado, Romo enterrou a defesa do Giants e terminou o serviço com um passe para Jason Witten anotar o touchdown. A jogada veio segundos depois de evitar um fumble pelo snap ruim.

 

 

9. Saindo em grande estilo

 

Tony Romo jogou uma campanha em 2016. Ele lançou quatro passes na Semana 17 no que foi considerado um jogo inútil para a classificação. Ainda assim, Romo moveu as correntes contra o Eagles e lançou um passe para touchdown para Terrance Williams, no que foi seu último passe com o Cowboys.

 

8. Estreia nacional

Quando o Cowboys decidiu dar a titularidade para Romo, seu primeiro jogo como titular teve uma baita audiência. Jogando no Sunday Night Football, Romo mostrou seu cartão de visitas para a NFL com uma vitória por 35 a 14 sobre o Carolina Panthers. Foi nesse jogo que a era Romo começou.

 

7. Perus e Touchdowns

No primeiro jogo de Romo no Dia de Ação de Graças, ele colocou fogo no Buccaneers ao lançar cinco touchdowns em uma dominante vitória por 38 a 10 no velho Texas Stadium. O esforço de Romo deu ao Cowboys uma sequência de três vitórias consecutivas e ampliou seu recorde para 4-1 em seus cinco primeiros jogos da carreira.

 

6. A corrida de 4 jardas

Romo foi conhecido por sua habilidade em lançar a bola muito bem, mas no começo de sua carreira ele podia fazer mais do que isso. Contra o Rams, a corrida mais memorável de Romo garantiu apenas quatro jardas da linha de scrimmage. Diante de um snap ruim e mais um chute acidental, a bola andou 30 jardas para trás. Ao invés de cair em cima da bola para evitar um turnover, Romo fez o scramble para evitar o sack e conseguiu correr para recuperar todas as jardas perdidas e garantir o first down.

 

5. Próximo da perfeição

Em um jogo que resume a sua carreira, Tony Romo lançou para 506 jardas e cinco touchdowns em um tiroteio contra Peyton Manning e o Broncos em 2013. Precisando de mais uma campanha para dar à ele o recorde histórico da NFL de jardas aéreas em uma partida, Romo lançou uma interceptação que sacramentou a vitória de Denver. Ainda, o jogo é lembrado como um dos melhores que Tony Romo já teve, até o último passe.

 

4. A virada do Natal

Uma derrota para o Redskins definitivamente teria encerrado as chances de playoffs do Cowboys. Para piorar, Romo sofreu uma lesão grave nas costas no meio da partida na Semana 16 em Washington. Apesar da dor, Romo conseguiu liderar o Cowboys e garantiu a vitória nos segundos finais com um passe para touchdown de DeMarco Murray em uma quarta descida.

Ao fim da partida, foi constatada a gravidade da lesão, que acabou tirando Romo da última partida da temporada.

 

3. Romo-ing

Não apenas Tony Romo garantiu a reação em uma vitória dramática sobre o Detroit Lions no último quarto nos playoffs, como seu touchdown da vitória gerou sua comemoração oficial. Após ser derrubado logo depois de fazer o passe para Terrance Williams, Romo reagiu ao delírio da torcida com os dois braços esticados numa pose de Super-Homem. A reação acabou sendo chamada de “Romo-ing” pela torcida do Dallas Cowboys.

 

2. O milagre do Monday Night

 

Estatisticamente, esse foi um dos piores jogos da carreira de Romo. Mas em um jogo de Monday Night Football em Buffalo, ele provou que poderia superar um turnover — ou seis. Romo lançou cinco interceptações e sofreu um fumble, mas seus companheiros de time mantiveram o placar próximo o suficiente para que ele reagisse. Romo liderou o time para pontuar nove pontos no minuto final, dando uma vitória dramática por 25 a 24 após um field goal de Nick Folk e colocando o time de 2007 em um recorde de 5-0. O rating de 49,9 de Romo ficou marcado como a única vitória entre os oito jogos que ele terminou com um rating abaixo de 50.

 

1. Machucado, mas não incapacitado

Depois de uma pancada no meio da partida, Romo só saberia após o jogo que ele estava com o pulmão perfurado. A dor intensa pode tê-lo tirado de algumas jogadas, mas Romo convenceu o Cowboys a colocá-lo de volta no jogo contra o 49ers em 2011. Com problemas para respirar e até fazer os sinais antes da jogada, Romo conseguiu reverter um déficit de 10 pontos no placar nas últimas duas campanhas e forçou o jogo para a prorrogação. Na primeira jogada do tempo extra, Romo fez uma jogada perfeita para Jesse Holley ganhar 77 jardas e colocar Dan Bailey em condição de ganhar a partida com um field goal.

Gabriel Plat

Editor-Chefe em Blue Star Brasil
Curte NFL por escolha e o Dallas Cowboys por amor. Aprecia a boa música e compartilha outro sofrimento: o Botafogo. Um dos participantes do podcast.