Os Cowboys podem ter conseguido duas estrelas no draft do ano passado, mas se tem um jogador da classe da temporada passada que não está passando despercebido nos treinamentos e que certamente não passará sem ser notado na temporada regular é Maliek Collins.

Peça qualquer torcedor dos Cowboys para falar algum jogador escolhido no draft do ano passado e certamente o nome de Collins não será o primeiro nome a sair da boca dos fans.

Dak Prescott e Ezekiel Elliott foram estrelas no esporte quase que instantaneamente. Anthony Brown fez um ótimo trabalho quando começou a ser titular na metade da temporada como cornerback. Mesmo Jaylon Smith e Charles Tapper, que perderam sua temporada de estréia na liga por estarem lesionados, torcedores do time comentam sobre o potencial desconhecido destes jogadores.

A escolha de Collins é um exemplo do ótimo planejamento que os Cowboys vem fazendo no draft nos últimos anos. Collins foi um defensive tackle selecionado na terceira rodada da temporada passada. E a escolha do jogador é um exemplo de como um planejamento bem feito no draft mostra que bons jogadores ficam fora do radar da maioria das equipes da liga. Collins fez mais do que simplesmente evitar ser uma decepção em sua temporada de estreia. Em qualquer outra equipe da liga ele pode ser o jogador mais jovem e promissor do elenco.

Na última temporada, Collins foi o jogador de linha defensiva que mais participou de snaps do time com 61,9%. Ele conseguiu cinco sacks durante a temporada regular, dois no mesmo jogo contra o Cleveland Browns e forçou um fumble em um sack em Jameis Winston na vitória de Dallas sobre o Tampa Bay por 26-20.

“Ele sempre destacava nos treinos, e quanto mais snaps jogava, mais ele melhorava seu desempenho”, disse o coordenador defensivo Rod Marinelli sobre Collins no meio da temporada passada.

Collins conseguiu fazer tudo isso mesmo se lesionando no começo dos treinamentos da offseason da temporada passada, OTA’s minicamp e a maioria dos treinos em sua temporada de estréia na liga. E não há nada mais justo do que comentar que o jogador conseguiu entregar um desempenho acima das expectativas colocas sobre ele. Mas certamente o jogador não pensa dessa maneira.

“Eu nunca estabeleço minhas metas”, disse Collins durante a última semana de treinamentos do minicamp.”

Sua função dentro de campo é cansar o adversário constantemente. E ele acredita que as estatísticas não são uma boa forma de medir seu desempenho dentro de campo.

“Meu objetivo é ser o melhor jogador que possa ser para que eu sempre continue melhorando meu desempenho”, disse Collins. “É assim que eu estabeleço as minhas metas. Eu não analiso a minha atuação pelas estatísticas. O objetivo é sempre procurar ser melhor todos os dias, se não consigo melhorar todos os dias, eu sinto que estou fazendo alguma coisa de errado.”

Rod Marinelli é conhecido por ter treinado uma série de ótimos jogadores de linha defensiva. Ele treinou jogadores como Warren Sapp e Simeon Rice na época em que era treinador de linha defensiva do Tampa Bay Buccaneers.

Collins atua como defensive tackle na posição de “three-technique” no sistema defensivo de Marinelli. E na prática, toda a eficácia do sistema precisa de um jogador com as habilidades de Collins que consiga fazer uma boa penetração na linha ofensiva adversária. Collins comentou que não precisa dos treinadores e companheiros de equipe sempre o aconselhando no que deve fazer nas jogadas. Collins é um estudioso e historiador da posição que atua no esporte.

“O padrão do que se fazer na posição está praticamente determinado. Como atuo na posição de “three-technique“, os movimentos padrões da posição já estão registrados, sendo nos livros ou vídeos das jogadas. Eu gosto de dizer padrão, porque é bastante natural para os jogadores que desenvolveram muito bem esta posição no esporte, jogadores como John Randle, Warren Sapp e Keith Millard, jogadores que foram pioneiros na posição.

Todos esses jogadores citados por Collins, dominaram as linhas ofensivas adversárias ao longo de suas carreiras na NFL. E para Collins, a fórmula para o sucesso não é tão complicada. Ele quer ser dominante como esses jogadores foram no passado.

“Você tenta ter esse tipo de atuação,” disse o jogador.

Marcus Vinicius Tavares

Marcus Vinicius Tavares

Colaborador em Blue Star Brasil
Torce para os Cowboys desde 1995 e acompanha fielmente o time desde 2005. Curte o bom e velho rock and roll e tem como a comida favorita: Hamburger! Trocar idéia e beber uma gelada são seus passatempos prediletos.
Marcus Vinicius Tavares