Pode parecer estranho, mas o running back Jahad Thomas acredita que pode permanecer no roster final do Dallas Cowboys.

Este pensamento é um pouco intrigante se você considerar o atual elenco de backs da equipe. Ezekiel Elliott é o atual líder em jardas terrestres da NFL e uma das armas mais poderosas da equipe.

Porém, apesar de Zeke estar apenas entrando no segundo ano do seu contrato de calouro, Thomas visa outra maneira de permanecer em Dallas. Com a saída de Lance Dunbar, além de Darren McFadden e Alfred Morris entrando no último ano de contrato, Thomas vê uma oportunidade de ouro.

“Eu sei que com a saída de Dunbar, tenho a chance de preencher o seu papel, já que tenho o seu estilo de jogo”, revelou Thomas.

Com 1,78 m de altura, o jogador é um pouco mais alto que Dunbar, que serviu como running back em terceiras descidas durante anos nos Cowboys, contribuindo com a sua capacidade de receber passes. Considere a carreira universitária de Thomas e a comparação faz ainda mais sentido.

Em dois anos como titular no college, ele acumulou 2.215 jardas terrestres e 30 TDs, com uma média significativa de 4,6 jardas por corrida. Mas não foi só isso, Thomas recebeu 69 passes para 998 jardas, além de 6 TDs pelo ar. Ele também tem habilidade para retornar tanto kick offs quanto punts.

“Eu não treinei ainda com o time especial, mas vou tentar treinar lá e onde mais puder”, disse ele durante o mini camp dos calouros.

Esta foi a lógica usada por Thomas para assinar com os Cowboys. Ele tem um conjunto de características que a maioria dos jogadores no atual elenco não tem. Apesar de não ter sido draftado, Thomas acha que o ponto inicial para se manter na NFL é o fato de conseguir encontrar oportunidades e aproveitá-las, como agora está fazendo na franquia do Texas.

“Acho que o sonho de todos é ser draftado e ir até o palco, mas à medida que você fica mais maduro, você percebe que o importante não é como você inicia, mas até onde você consegue chegar aproveitando o melhor de suas oportunidades.”

Quando Stephen Jones foi questionado na semana passada sobre um possível substituto para Dunbar, ele respondeu que este foi um dos motivos para ter selecionado o WR Ryan Switzer. Mesmo assim, Thomas segue confiante na esperança de poder preencher não só este papel, mas também no special team. Mesmo Alfred Morris e Darren McFadden sendo mais experientes que ele, o undrafted Thomas garante que parte da motivação é a sua participação no time de especialistas.

“Eu sempre digo isto: em um mundo perfeito, você adoraria que seu terceiro RB ajudasse o special team.”

Nada disso o garante no roster. Mas ele prefere acreditar que tem boas chances.

“Agora que estou aqui, posso provar a mim mesmo que posso jogar aqui”, revelou. “Sou grato por já estar aqui.”

Márcio Silveira
Sigam-me

Márcio Silveira

Colaborador em Blue Star Brasil
Torcedor do Dallas Cowboys desde 2011, quando passou a acompanhar a NFL. Sonha em ver o time no Super Bowl cada vez que a temporada começa.
Márcio Silveira
Sigam-me