RECAP | Análise 2014 – Coaching Staff

RECAP | Análise 2014 – Coaching Staff

568
Foto: James D. Smith / Dallas Cowboys

Enfim chegamos ao final das análises de todo o roster. Dos quarterbacks para o special teams, chegou a vez de falar da comissão técnica do Dallas Cowboys. Depois de uma tempestado após três temporadas seguidas batendo na trave para a conquista do título de divisão, Garrett e cia. finalmente respiraram aliviados após uma campanha positiva, o título da NFC East e uma vitória na pós-temporada, que por muito pouco não se tornaram duas.

Enfim, vamos para as análises:

 

Jason Garrett (Head Coach)

Foto: Joe Nicholson / USA TODAY Sports
  • Premiação Individual:
    • Segundo mais votado para técnico do ano
  • Salário em 2014: US$ 5.000.000,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2020
  • Pontos Positivos: Após três temporadas conturbadas, Jason Garrett finalmente se firmou como head coach do Dallas Cowboys. Auxiliado por Scott Linehan e Rod Marinelli, Garrett passou longe de ser o antigo Garrett que era criticado por chamadas ruins. Dessa vez, Garrett mostrou mais ousadia, arriscando quartas descidas que não costumava arriscar e desafiando mais jogadas: sete no total, com os juízes voltando atrás em quatro delas. Além disso, Garrett conseguiu contornar situações adversas extra-campo, como o furto de Joseph Randle e fez jogadores desacreditados, como Rolando McClain, se tornarem peças fundamentais para o time.
  • Pontos Negativos: Com uma ótima temporada, Garrett teve poucos pontos negativos. Um deles, felizmente não comprometeu o time. Em jogos já ganhos, tal como o jogo contra o Jacksonville Jaguars e Indianapolis Colts e outros já perdidos, como o contra Philadelphia Eagles em casa e o Arizona Cardinals, Garrett demorou para poupar os titulares. Mesmo não tendo acontecido nenhuma lesão, os jogadores correram um risco desnecessário de poderem se lesionar em uma situação na qual o jogo já não valia mais nada.

 

 

Offensive Coaches (Técnicos do Ataque)

Fotp: Tim Heitman / USA TODAY Sports
  • Membros:
    • Scott Linehan (foto) – Coordenador do Jogo Aéreo
    • Bill Calahan – Coordenador do Jogo Corrido e OL
    • Garry Brown – Treinador de RB
    • Derek Dooley – Treinador de WR
    • Michael Pope – Treinador de TE
    • Wade Wilson – Treinador de QB
    • Kevin Carberry – Assistente Ofensivo
    • Kyle Valero – Assistente de WR
    • Frank Pollack – Assistente de OL
  • Números:
    • 29,2 pontos marcados por jogo (5° da NFL)
    • 383 jardas por jogo (7° da NFL)
    • 32:51 minutos de posse de bola por jogo (1° da NFL)
    • 105 faltas ofensivas na temporada (18° da NFL)
    • 839 jardas perdidas por falta (21° da NFL)
    • +6 de saldo entre fumbles cometidos e recuperados (9° da NFL)
    • 30 sacks sofridos (21º da NFL)
    • 16 touchdowns terrestres (5º da NFL)
    • 37 touchdowns aéreos (4º da NFL)
  • Premiação Individual:
    • Scott Linehan – 3º colocado na premiação de Assistente Técnico do Ano
  • Pontos Positivos: Com a temporada ruim de 2013, Bill Callahan acabou sendo preterido e Scott Linehan passou a chamar as jogadas. Balanceando melhor corridas e passes, Linehan conseguiu poupar Tony Romo, que teve seu menor número de tentativas de passe desde sua primeira temporada como titular na NFL. Com isso, Tony Romo, Dez Bryant e DeMarco Murray tiveram as melhores temporadas de suas carreiras como profissional.
  • Pontos Negativos: A sobrecarga em Murray. Mesmo tendo Joseph Randle com boa média de jardas por carregada, DeMarco Murray acabou sendo praticamente o único running back usado em toda a temporada e, mesmo tendo dado certo, poderia ter ocasionado problemas como lesões. Além disso, o Dallas Cowboys abusou de jogadas de passe a poucas jardas da endzone na primeira metade da temporada. Na segunda, coincidentemente depois que Tony Romo perdeu seu recorde de jogos consecutivos com passes para touchdown, Murray passou a ser mais usado na goal line.
  • Ficam para a próxima temporada? Quase todos. Bill Callahan já anunciou sua saída, com Frank Pollack assumindo suas funções. De resto, todos permanecem, assim como Scott Linehan, que renovou seu contrato.

 

 

Defensive Coaches (Técnicos da Defesa)

Foto: Tim Heitman / USA TODAY Sports
  • Membros:
    • Rod Marinelli (foto) – Coordenador Defensivo/DL
    • Monte Kiffin – Assistente do Head Coach e Defesa
    • Matt Eberflus – Treinador de LB
    • Jerome Henderson – Treinador da Secundária
    • Joe Baker – Assistente da Secundária
    • Leon Lett – Assistente Defensivo/DL
    • Ben Bloom – Quality Control defensivo/LB
    • Turner West – Assistente Defensivo
  • Números:
    • 22 pontos cedidos por jogo (17° da NFL)
    • 355,1 jardas cedidas por jogo (13° da NFL)
    • 28:02 minutos cedidos de posse de bola por jogo (29° da NFL)
    • 104 faltas defensivas na temporada (18° da NFL)
    • 861 jardas perdidas por falta (19° da NFL)
    • 18 interceptações (7º da NFL)
    • 28 sacks (28º da NFL)
    • 15 fumbles forçados (12º da NFL)
  • Premiação Individual:
    • Rod Marinelli – 2º colocado na premiação de Assistente Técnico do Ano
  • Pontos Positivos: A pior defesa da história do Dallas Cowboys (2013) se redimiu. Com algumas novas peças e outras importantes fora, tal como Sean Lee (lesionado) e DeMarcus Ware (cortado), a defesa foi o setor que mais melhorou da temporada retrasada para a passada. Com turnovers forçados nos minutos finais de jogos decisivos, e nele entram a vitória sobre o Seahawks, Rams, Giants, Eagles e outras, a defesa do Dallas Cowboys literalmente venceu jogos.
  • Pontos Negativos: O fraco pass rush. Mesmo com Rod Marinelli rotacionando jogadores da linha defensiva, ela pouco conseguiu pressionar o quarterback adversário, tendo sido a quarta pior defesa no quesito sacks. Sem pressionar o QB, a defesa sofreu com algumas big plays ao longo da temporada.
  • Ficam para a próxima temporada? Nem todos. Monte Kiffin, depois de uma temporada desastrosa como coordenador defensivo em 2013, pouco apareceu em 2014 e não deve ter seu contrato renovado. Como coordenador defensivo, Rod Marinelli segue em Dallas, dessa vez de contrato novo.

 

 

 

Specialty Coaches (Técnicos do Special Teams)

Foot: Kirby Lee / USA TODAY Sports
  • Membros:
    • Rich Bisaccia (foto) – Coordenador do ST
    • Keith O’Quinn – Asisstente do ST/K
  • Números:
    • 52,% de touchbacks em kickoffs (14º da NFL)
    • 21,4 jardas cedidas por retorno de kickoff (27º da NFL)
    • 23,9 jardas conseguidas por retorno de kickoff (13º da NFL)
    • 9,2 jardas conseguidas por retorno de punt (13º da NFL)
    • 86% de acertos em Field Goals (13º da NFL)
    • 44,6 jardas de distância por punt (19º da NFL)
  • Pontos Positivos: O time de especialistas foi mais uma vez sólido. Com Dan Bailey quebrando recordes, o ST ainda impediu um retorno (seja de punt ou de kickoff) para touchdown pelo segundo ano consecutivo. L.P. Ladouceur, o long snapper, ainda foi recompensado com uma nomeação ao Pro Bowl.
  • Pontos Negativos: A queda de produção. Sendo discutivelmente um dos melhores times de especialistas nos últimos anos, o special teams de 2014 não foi tão bem assim. Com Dwayne Harris em queda (e sofrendo fumbles), o time ainda teve punt bloqueado e field goal bloqueados. O bloqueado contra o Cardinals, inclusive, poderia ter selado a derrota já no intervalo, caso Jason Witten não tivesse impedido o retorno para touchdown.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Mesmo não tendo um grande desempenho, Bisaccia está garantido para a temporada de 2015.

 

 

O que esperar da comissão técnica para 2015?

Mais motivação do que nunca. Depois de conseguir uma temporada mais do que empolgante para o que era esperado, o grupo do Dallas Cowboys deve estar mais confiante e mais fechado do que nunca.

Com algumas saídas pontuais e permanências cruciais não só de Jason Garrett, como também de Scott Linehan e Rod Marinelli, o time deverá manter o estilo de jogo de 2014: muitas corridas e passes curtos, controlando sempre o relógio e a partida.

Já a defesa espera-se melhora também. Com a renovação de Marinelli e possíveis novas peças vindas do draft, especialmente para a linha defensiva, a secundária pode ter menos pressão e com isso a maior chance de evitar grandes jogadas e de forçar turnovers.

Por último, o time de especialistas. Com a queda de produção em 2014, é esperado um pouco mais de pressão para cima do setor. Com uma possível nova queda em 2015, ainda mais com a possível saída de Dwayne Harris, Jerry Jones deverá fazer algumas mudanças no setor.

 

 

Notas da Equipe

Nome Jason Garrett Offensive Coaches Defensive Coaches Specialty Coaches Geral
Gabriel Plat 8,5 8,5 8,0 6,5 8,5
João Lucas Rodrigues 10 9,0 10 6,0 9,0
Leonardo Sangiorge 10 9,5 8,5 6,0 9,0
Luiz Gustavo Ferreira 10 9,5 9,0 6,0 9,0
Rafael Yamamoto 9,0 9,0 9,0 7,0 9,0
Média 9,5 9,1 8,9 6,3 8,9

 

 

Conclusão

A comissão técnica do Dallas Cowboys, antes muito contestada, se redimiu. Dada funções mais importantes para Scott Linehan e Rod Marinelli no lugar de Bill Callahan e Monte Kiffin, respectivamente, o time pareceu que engrenou.

Pela primeira vez desde a chegada de Garrett, o time conseguiu manter sua estratégia de controlar o relógio balanceando corridas e passes. Cansando a defesa adversária com campanhas longas, o Dallas Cowboys conseguiu superar jogos duros, tais como Seahawks em Seattle e o Eagles em Philadelphia pra dar ao time o primeiro título de divisão desde 2009.

Recompensado pela boa temporada, o trio Garrett-Linehan-Marinelli renovou e continuará em Dallas. A maior pressão, entretanto, fica por conta do special teams, que mesmo não tendo indo mal, ficou abaixo do esperado e precisará de resultados melhores em 2015.


Quer ver as análises de todas as posições? Então clique aqui!

Gabriel Plat

Editor-Chefe em Blue Star Brasil
Curte NFL por escolha e o Dallas Cowboys por amor. Aprecia a boa música e compartilha outro sofrimento: o Botafogo. Um dos participantes do podcast.