RECAP | Análise 2014 – Wide Receivers

RECAP | Análise 2014 – Wide Receivers

1101
Foto: Max Faulkner / Star-Telegram

Depois da análise dos quarterbacks da última temporada, chegou a vez dos recebedores.

Com Tony Romo em grande fase, a posição de wide receiver foi privilegiada no ano de 2014. Com cinco jogadores da posição no roster, o Dallas Cowboys tentou ao máximo explorar todos, de Dez Bryant a Devin Street. Mesmo todos eles tendo pouco tempo na liga (todos eles ainda estão sob contrato de calouro, o primeiro feito ao entrar na liga), o corpo de recebedores teve poucos erros de calouros e demonstrou muita calma e experiência, principalmente na pós-temporada.

De fato, vamos às análises:

 

Dez Bryant

  • Números:
    • 142 passes lançados em sua direção
    • 94 recepções (66,7%)
    • 1.406 jardas (15,0 jardas p/ passe)
    • 427 jardas após recepção (4,5 jardas p/ passe)
    • 16 TDs
    • drops
    • fumble
    • 121,39 NFL QB Rating em passes em sua direção
  • Premiação Individual
    • Pro Bowl
    • First-Team All Pro
    • NFL Receiving Touchdowns Leader
    • 1x NFC Offensive Player of the Week (Week 15)
  • Salário em 2014: US$ 3.148.500,00
  • Situação ContratualFree Agent em 2015
  • Pontos Positivos: Bryant mais uma vez teve uma grande temporada e liderou a liga em touchdowns recebidos (16), maior marca da franquia em uma unica temporada. Dez ainda passou da marca das 1.300 jardas pela terceira temporada consecutiva e mais uma vez foi o principal alvo de Tony Romo. Mesmo recebendo dupla marcação em quase todas as partidas, Bryant aproveitou ao máximo as oportunidades que teve quando marcado individualmente, e teve mais uma ótima temporada, se consolidando como um dos melhores wide receivers da NFL.
  • Pontos Negativos: Por incrível que pareça, Dez Bryant não teve nenhum ponto negativo relevante na temporada dentro de campo. Apesar disso, Dez, com sua vontade de ganhar de sempre, acabou exagerando em algumas reclamações com a arbitragem. Mesmo não tendo causado problemas nessa temporada, a reclamação pode dar faltas desnecessárias ao Dallas Cowboys em 2015.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Mesmo com contrato se encerrando nessa temporada, Dez Bryant não sai de Dallas. Apesar de pressionar Jerry Jones por um novo contrato, chegando a dizer “não teste minha lealdade”, Dez Bryant já disse repetidas vezes que quer ficar. Não temendo usar a franchise tag caso não consiga chegar a um acordo com Dez, Jerry Jones já bateu o martelo: Bryant fica.

 

 

Terrance Williams

Foto: Smiley N. Pool / The Dallas Morning News
  • Números:
    • 70 passes lançados em sua direção
    • 41 recepções (58,6%)
    • 751 jardas (18,3 jardas p/ passe)
    • 197 jardas após recepção (4,8 jardas p/ passe)
    • 11 TDs
    • 3 drops
    • fumble
    • 123,27 NFL QB Rating em passes em sua direção
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 684.868,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2016
  • Pontos Positivos:  Por grande parte da temporada, Williams foi um bom recebedor número 2. Ele foi um alvo muito importante para Tony Romo na redzone, recebendo 8 touchdowns na temporada regular e mostrou muita segurança, tendo poucos drops, algo que preocupava no começo de sua carreira. Williams ainda teve uma grande atuação na pós temporada, conseguindo 130 jardas e 3 touchdowns, mostrando que pode ter uma grande temporada em 2015.
  • Pontos Negativos: Apesar de um ótimo começo de temporada, Williams ficou apagado boa parte do ano. Entre a partida contra o Arizona Cardinals, na semana 9, e a partida contra o Philadelphia Eagles, na semana 15, o camisa 83 recebeu apenas 7 passes e nenhum touchdown.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Terminando sua segunda temporada na liga, T-Will ainda está sob seu contrato de calouro e não sairá de Dallas antes do fim de seu contrato, em 2016.

 

Cole Beasley

Foto: Robert Deutsch / USA TODAY Sports
  • Números:
    • 59 passes lançados em sua direção
    • 44 recepções (74,6%)
    • 521 jardas (11,8 jardas p/ passe)
    • 311 jardas após recepção (7,1 jardas p/ passe)
    • 4 TDs
    • drop
    • fumbles
    • 123,62 NFL QB Rating em passes em sua direção
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 570.500,00
  • Situação ContratualFree Agent em 2015
  • Pontos Positivos: Mesmo com o foco do ataque do Cowboys sendo o jogo terrestre, Beasley foi fundamental no jogo aéreo,  mesmo sendo apenas o 4° alvo principal de Tony Romo. Beasley teve as melhores marcas da carreira em jardas recebidas e touchdowns, e foi mais uma vez muito importante nas terceiras descidas. O camisa 11 ganhou a confiança de Romo sendo ótimo correndo rotas e dropando poucos passes, e conseguiu uma boa atuação na pós temporada, recebendo 7 passes para 101 jardas.
  • Pontos Negativos: Em suas duas primeiras temporadas, Beasley sofreu apenas 1 fumble e este foi recuperado pelo time do Cowboys. Em 2014, mesmo recebendo apenas 37 passes, o camisa 11 sofreu 2 fumbles e ambos foram recuperados pela defesa adversária.
  • Fica para a próxima temporada? Provavelmente. Beasley é um restricted free agent, e por conta disso o Cowboys pode igualar qualquer oferta que seja feita para ele no período de free agency. Pelas regras da NFL em relação aos agentes livres restritos, o Dallas Cowboys pode optar por pagar um salário um pouco mais alto para Beasley e, se ainda assim ele assinar com outro time, o Cowboys recebe uma escolha de segunda rodada para “compensar” a perda. Pelas boas temporadas que teve nos últimos dois anos e por ser difícil algum time assinar com um agente livre restrito, Beasley tem grandes chances de permanecer.

 

Dwayne Harris

Foto: Elsa / Getty Images
  • Números:
    • 12 passes lançados em sua direção
    • 8 recepções (66,7%)
    • 121 jardas (15,1 jardas p/ passe)
    • 43 jardas após recepção (5,4 jardas p/ passe)
    • 0 TDs
    • drops
    • fumble
    • 99,65 NFL QB Rating em passes em sua direção
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 655.000,00
  • Situação ContratualFree Agent em 2015
  • Pontos Positivos: No special teams, Harris foi mais uma vez importante. Já jogando no ataque, Harris também foi muito importante para o jogo terrestre de Dallas, sempre ajudando nos bloqueios e entrando em situações de corrida para essa função.
  • Pontos Negativos: O camisa 17, que antes era o quarto recebedor do Dallas Cowboys, perdeu espaço para Cole Beasley. O reflexo disso está nos seus números: apenas 7 passes para 116 jardas em toda a temporada, não conseguindo ser um fator no jogo aéreo do Cowboys.
  • Fica para a próxima temporada? Talvez. Harris é ainda muito importante para o special teams e mesmo tendo uma temporada pior que a de 2013, ele ainda foi o retornador do time durante todo o ano. Porém, Dallas não deve abrir os cofres para segurar Harris e caso algum time faça uma oferta melhor, ele pode jogar com outro uniforme na próxima temporada.

 

Devin Street

Foto: Jake Roth / USA TODAY Sports
  • Números:
    • 7 passes lançados em sua direção
    • 2 recepções (28,6%)
    • 18 jardas (9,0 jardas p/ passe)
    • 5 jardas após recepção (2,5 jardas p/ passe)
    • 0 TDs
    • drops
    • fumble
    • 39,58 NFL QB Rating em passes em sua direção
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 470.493,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2018
  • Pontos Positivos: Street jogou pouco durante todo o ano, porém sempre recebe muitos elogios do técnico de wide receivers, Derek Dooley. Mesmo com o time precisando de vários jogadores na linha defensiva e linebackers, Street permaneceu no elenco principal durante toda a temporada e esteve ativo em todas as 18 partidas do time.
  • Pontos Negativos: A falta de opotunidades. Street recebeu apenas dois passes e ambos foram na partida contra San Francisco, quando a vitória do 49ers já estava garantida. Street precisa fazer uma boa offseason, principalmente ganhando mais massa muscular, para se tornar o 4° recebedor do time na próxima temporada, com a possível saída de Dwayne Harris no free agency. 
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Street teve apenas sua primeira temporada na liga e ainda tem um longo contrato para cumprir. Sua permanência em Dallas para a próxima temporada só não acontecerá caso haja problemas extra-campo, muito improvável para um jogador que não tem histórico de confusões.

 

O que esperar da posição para 2015?

No mínimo, a mesma qualidade que o Dallas Cowboys teve em 2014. Dez Bryant, mesmo não jogando para ganhar um contrato milionário, deve manter o alto nível e se consolidar ainda mais como um dos melhores, se não o melhor, WR da liga. Terrance Williams, mais maduro, poderá ter uma temporada com menos oscilação que a última e deverá continuar sendo um ótimo alvo para Romo em rotas longas.

Já Cole Beasley, mesmo sendo agente livre restrito, não deve sair e deverá ser ainda mais acionado em 2015, já que em 2014 ele passou a ser peça principal no ataque somente após o touchdown sobre o Giants em New York. Dwayne Harris, entretanto, tem chances de sair e pode abrir espaço para Devin Street ter mais espaço na equipe.

 

Notas da Equipe

Nome Dez Bryant Terrance Williams Cole Beasley Dwayne Harris Devin Street Geral
Gabriel Plat 10,0 7,5 7,0 5,5 8,5
João Lucas Rodrigues 10,0 8,0 8,0 6,0 9,0
Leonardo Sangiorge 10,0 7,5 8,0 5,0 8,5
Luiz Gustavo Ferreira 10,0 8,0 8,0  5,0 5,0 8,5
Rafael Yamamoto 9,0 6,0 7,0 4,0 1,0 8,0
Média 9,8 7,4 7,6 5,2 3,0 8,5

 

Conclusão

De todas as posições de um time de futebol americano, a de wide receiver foi certamente uma das mais queridas pelo torcedor de Dallas. Contando com a ajuda de uma linha ofensiva mais forte do que nunca, de um DeMarco Murray fazendo a temporada de sua vida e de uma comissão técnica que não abandona o jogo terrestre, o corpo de recebedores teve uma facilidade muito maior contra as defesas.

Com esse time mais terrestre, a defesa adversária passou a prestar mais atenção aos running backs, deixando os wide receivers em condições melhores de recepção. Nesse ambiente, Dez Bryant, Terrance Williams e Cole Beasley tiveram as melhores temporadas de sua carreira.

Com a permanência de todos eles para a próxima temporada, a posição ainda promete dar muitos sorrisos aos torcedores do Dallas Cowboys.

 


Quer ver as análises de todas as posições? Então clique aqui!

Gabriel Plat

Editor-Chefe em Blue Star Brasil
Curte NFL por escolha e o Dallas Cowboys por amor. Aprecia a boa música e compartilha outro sofrimento: o Botafogo. Um dos participantes do podcast.