Depois do primeiro texto analisando os signal callers da equipe, os quarterbacks, chegou a vez de analisar a temporada dos jogadores que correm com a bola.

A tranquilidade que o time teve em 2016 com seus corredores não se repetiu em 2017 devido a novela de suspensão de Ezekiel Elliott, mas o desempenho dentro de campo não deixou a desejar. Confira abaixo as nossas análises.

 

Ezekiel Elliott


 
Números Individuais

  • Correndo
    • 242 corridas
    • 983 jardas
    • 4,1 jardas por corrida
    • 98,3 jardas por jogo
    • 7 Touchdowns
    • 1 Fumble
  • Recebendo
    • 38 passes em sua direção
    • 26 recepções (68,4%)
    • 269 jardas recebidas
    • 10,4 jardas por recepção
    • 26,9 jardas recebidas por jogo
    • 2 Touchdowns Recebendo

 

Premiação Individual

Nenhuma

 

Situação Contratual

  • Salário em 2017: US$5.671.895,00
  • Salário em 2018: US$6.806.274,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2020

 

Pontos Positivos

Em campo, Ezekiel Elliott foi mais do mesmo jogador explosivo que vimos em 2016. Zeke continuou sendo um dos melhores da NFL correndo com a bola e isso se refletiu em seus números, onde teve uma média de quase 100 jardas por partida. Além disso, Elliott melhorou seu jogo recebendo bolas, inclusive anotando grandes TDs como o contra o San Francisco 49ers.

Por fim, Zeke melhorou sua proteção à bola. Foi apenas um fumble em toda a temporada, quatro a menos que em 2016. Ainda há de se levar em conta que o fumble sofrido foi em um jogo de muita chuva, o que releva o turnover.

 

Pontos Negativos

O ponto negativo fica por conta de sua suspensão. Apesar de toda a polêmica causada em torno dessa decisão da NFL, não há como negar que a ausência de Elliott por seis jogos fez a diferença o suficiente para tirar o time da pós-temporada.

 

Fica para a próxima temporada?

Sim. Elliott está no meio de seu contrato de calouro e não corre risco de sair.

 


 

Alfred Morris

 

Números Individuais

  • Correndo
    • 115 corridas
    • 547 jardas
    • 4,8 jardas por corrida
    • 42,1 jardas por jogo
    • 1 Touchdown
    • 0 Fumbles
  • Recebendo
    • 9 passes em sua direção
    • 7 recepções (77,8%)
    • 45 jardas recebidas
    • 6,4 jardas por recepção
    • 3,5 jardas recebidas por jogo
    • 0 Touchdowns Recebendo

 

Premiação Individual

Nenhuma

 

Situação Contratual

  • Salário em 2017: US$2.200.00,00
  • Salário em 2018: –
  • Situação ContratualFree Agent irrestrito em 2018

 

Pontos Positivos

Com a ausência de Ezekiel Elliott, Alfred Morris se tornou o titular e correspondeu. Morris teve grandes partidas como titular na última sequência de vitórias da equipe. Contra o Redskins, Morris teve incríveis 27 carregadas, mostrando que tem vigor físico de carregar o time nas costas quando preciso. Como reserva de Zeke, Morris ainda mostrou serviço, como quando correu para mais de 70 jardas em uma única tentativa contra o Rams.

 

Pontos Negativos

Se correndo com a bola Morris pode ser bastante útil, recebendo passes ele ainda deixa a desejar. Não foi por acaso que Morris não esteve nos gramados em jogadas óbvias de passe, deixando a responsabilidade para Rod Smith.

 

Fica para a próxima temporada?

Improvável. Com Rod Smith se destacando e pelo seu alto salário, Morris pode acabar não tendo seu contrato renovado, dando espaço para os outros jogadores do elenco.

 


 

Rod Smith

 

Números Individuais

  • Correndo
    • 55 corridas
    • 232 jardas
    • 4,2 jardas por corrida
    • 15,5 jardas por jogo
    • 4 Touchdown
    • 0 Fumble
  • Recebendo
    • 23 passes em sua direção
    • 19 recepções (66,7%)
    • 202 jardas recebidas
    • 10,3 jardas por recepção
    • 13,5 jardas recebidas por jogo
    • 0 Touchdowns Recebendo

 

Premiação Individual

Nenhuma

 

Situação Contratual

  • Salário em 2017: US$615.000,00
  • Salário em 2018: US$705.000,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2018

 

Pontos Positivos

Rod Smith se tornou um running back complementar a Ezekiel Elliott e a Alfred Morris, recebendo passes muito bem e até correndo bem com a bola. Seu desempenho foi tão bom que ele tomou o espaço de Darren McFadden no time e ganhou prestígio o suficiente para continuar tendo snaps mesmo com o retorno de Zeke.

 

Pontos Negativos

Apesar da surpresa positiva, Smith não é um RB que pode ter 20 carregadas por partida. Seu desempenho ainda é limitado a ser um complemento ao titular, apesar da possibilidade de uma evolução.

 

Fica para a próxima temporada?

Possivelmente. Como está sob contrato, o mais provável é que ele fique para 2018 e seja o reserva imediato de Ezekiel Elliott.

 


 

Keith Smith

 

Números Individuais

  • Correndo
    • 0 corridas
    • 0 jardas
    • 0 jardas por corrida
    • 0 jardas por jogo
    • 0 Touchdown
    • 0 Fumble
  • Recebendo
    • 5 passes em sua direção
    • 5 recepções (100%)
    • 26 jardas recebidas
    • 5,2 jardas por recepção
    • 1,6 jardas recebidas por jogo
    • 0 Touchdowns Recebendo

 

Premiação Individual

Nenhuma

 

Situação Contratual

  • Salário em 2017: US$690.00,00
  • Salário em 2018: –
  • Situação Contratual: Free Agent restrito até 2017

 

Pontos Positivos

Saindo da posição de linebacker para fullback, Keith Smith mostrou boa adaptação e teve um bom trabalho jogando em sua nova posição. Smith não correu com a bola na temporada, mas teve bom desempenho recebendo, tendo 100% de aproveitamento em bolas lançadas na sua direção.

 

Pontos Negativos

Pelo próprio esquema ofensivo de Dallas, Smith não é usado constantemente com a bola. Sua maior responsabilidade bloqueando acaba fazendo com que torcedores não notem sua presença em campo.

 

Fica para a próxima temporada?

Provavelmente. Por ser um free agent restrito, a possibilidade de permanência de Smith é alta.

 


 

Reservas / Outros

 

Situação Contratual

  • Darren McFadden
    • Salário em 2017: US$695.000,00
    • Salário em 2018: –
    • Situação Contratual: Dispensado
  • Trey Williams
    • Salário em 2017: US$158.825,00
    • Salário em 2018: –
    • Situação Contratual: Dispensado

 

Pontos Positivos

Darren McFadden mostrou talento na pré-temporada, enquanto Trey Williams veio apenas para tapar buraco na suspensão de Ezekiel Elliott.

 

Pontos Negativos

McFadden perdeu espaço ao longo da temporada e acabou sendo dispensado. Williams nem sequer jogou para se ter uma avaliação sobre o jogador.

 

Ficam para a próxima temporada?

Não. Darren McFadden se aposentou depois de ter sido dispensado e Trey Williams não deverá retornar e circunstâncias normais.

 


 

O que esperar da posição para 2018?

Renovação. Ezekiel Elliott estará fora da turbulência que o carregou durante toda a temporada de 2017 e pode querer mostrar serviço nessa próxima temporada para compensar o tempo perdido. Com ele em campo por mais uma temporada, não há dúvidas de que o jogo terrestre do time será um sucesso.

Entre os reservas, há a dúvida da permanência de Alfred Morris. Por conta do alto salário e da boa atuação do outro reserva, Rod Smith, Morris pode acabar saindo do time e abrindo espaço para que outro running back venha para Dallas. Por lógica, se a equipe não renovar com Morris por motivos salariais, o melhor caminho para buscar outro reserva seria o Draft. Ainda assim, não duvide de que Morris possa aceitar um salário menor para renovar e permanecer no Cowboys.

 


 

Conclusão

Apesar dos desfalques da linha ofensiva e da queda de produção no jogo aéreo, o jogo terrestre se manteve entre os pontos fortes da equipe em 2017.

Com Ezekiel Elliott, o time conseguiu manter a ótima média de jardas terrestres que teve na temporada de 2016, enquanto Alfred Morris o substituiu bem o suficiente para manter o nível do jogo corrido em um estado aceitável. Além disso, a grata surpresa de Rod Smith na pré-temporada também apareceu na temporada regular. Recebendo passes e correndo com a bola, Smith se tornou uma boa opção para o ataque e conseguiu se firmar no elenco.

Para 2018, é possível que o time veja outro veterano deixar o time. Depois de McFadden, dispensado, podemos ver Morris não renovando e indo buscar outra equipe para jogar na temporada que vem, justamente pelo seu alto salário e a temporada de Rod Smith. Caso isso aconteça, o mais provável é que seu substituto seja o próprio Smith ou uma escolha no Draft. Keith Smith, que teve bom trabalho bloqueando, também deve ficar.

 


Quer ver as análises de todas as posições? Então clique aqui!

 

Gabriel Plat

Editor-Chefe em Blue Star Brasil
Curte NFL por escolha e o Dallas Cowboys por amor. Aprecia a boa música e compartilha outro sofrimento: o Botafogo. Um dos participantes do podcast.