O RECAP chega agora aos recebedores. No terceiro texto da série, a hora é de falar dos wide receivers, que passaram por um momento turbulento. Mas será mesmo que foi tão ruim assim?

O resultado você vê abaixo.

 


 

Dez Bryant

 

Números Individuais

  • Recebendo
    • 16 jogos
    • 132 passes em sua direção
    • 69 recepções (52,3%)
    • 6 Drop (4,5%)
    • 838 jardas recebidas (12,1 por recepção)
    • 281 jardas após a recepção (4,1 por recepção)
    • 52,4 jardas por jogo
    • 6 Touchdowns
    • 1 Fumble

 

Premiação Individual

  • Jogador com mais touchdowns na história do Dallas Cowboys

 

Situação Contratual

  • Salário em 2017: US$17.000.000,00
  • Salário em 2018: US$16.500.000,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2019

 

Pontos Positivos

Dez Bryant é, sem sombra de dúvidas, o melhor recebedor do Dallas Cowboys. O jogador ainda tem a capacidade de conseguir recepções em jogadas improváveis, tornando situações desfavoráveis em favoráveis. Foi assim em jogos contra o Giants e o Redskins.

 

Pontos Negativos

Bryant teve mais um ano muito abaixo do que se espera de um jogador como ele. Além do baixo número de recepções, que até pode ter uma parcela de culpa em Dak Prescott, Dez teve seis drops em toda a temporada, número inaceitável. Bryant também foi o vilão da última derrota da temporada, a que acabou custando o sonho do time em ir para a pós-temporada, graças a um fumble e um passe que ele não agarrou e que terminou em interceptação.

 

Fica para a próxima temporada?

Provável. Apesar do ano ruim, Dez ainda tem um voto de confiança do Dallas Cowboys. No entanto, não se assustem se o jogador for trocado antes da temporada devido ao seu alto salário.

 


 

Terrance Williams

 

Números Individuais

  • 16 jogos
  • 78 passes em sua direção
  • 53 recepções (67,9%)
  • 2 Drops
  • 568 jardas recebidas (10,7 por recepção)
  • 229 jardas após a recepção (4,3 por recepção)
  • 35,5 jardas por jogo
  • 0 Touchdowns
  • 0 Fumble

 

Premiação Individual

Nenhuma

 

Situação Contratual

  • Salário em 2017: US$2.250.000,00
  • Salário em 2018: US$4.750.000,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2020

 

Pontos Positivos

Terrance Williams pode não ter aparecido em algumas circunstâncias, mas nunca deixou de ser um alvo confiável. Williams foi o recebedor com maior aproveitamento de recepção em passes lançados em sua direção nessa temporada pelo Dallas Cowboys, mostrando justamente essa confiança. Contra o Chiefs, T-Will teve seu maior número de passes em sua direção na temporada e teve também seu melhor jogo: 9 recepções em 9 passes para 141 jardas

 

Pontos Negativos

Por mais que Williams tenha tido destaque em alguns jogos, ainda é difícil entender a sua renovação. T-Will ainda é um wide receiver 2 não muito confiável e que não consegue fazer o trabalho de WR 1 caso necessário. A temporada de 2017 marcou a primeira da carreira em que Williams não anotou um TD sequer, marcando mais um declínio do jogador nos últimos anos.

 

Fica para a próxima temporada?

Sim. Williams está de contrato renovado e cortá-lo em 2018 é desvantajoso para a equipe.

 


 

Cole Beasley

 

Números Individuais

  • Recebendo
    • 15 jogos
    • 63 passes em sua direção
    • 36 recepções (57,1%)
    • 1 Drop (1,6%)
    • 314 jardas recebidas (8,7 por recepção)
    • 109 jardas após a recepção (3,0 por recepção)
    • 20,9 jardas por jogo
    • 4 Touchdowns
    • 0 Fumble

 

Premiação Individual

Nenhuma

 

Situação Contratual

  • Salário em 2017: US$4.000.000,00
  • Salário em 2018: US$4.250.000,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2018

 

Pontos Positivos

Em 2017, Beasley continuou sendo uma importante arma para o Dallas Cowboys. Mesmo sendo mais bem marcado pelas defesas adversárias, Cole Beasley ainda conseguiu ser importante para o ataque, principalmente em terceiras descidas. Foi o segundo wide receiver com mais TDs na equipe em toda a temporada, atrás somente de Dez Bryant.

 

Pontos Negativos

Muito por conta da marcação dupla acontecendo mais vezes, Beasley não repetiu o grande desempenho que teve em 2017. Apesar de não passar nenhum jogo zerado, Beasley também não teve nenhum jogo com mais de quatro recepções e apenas em um ele passou das 50 jardas. Muito pouco dado o ano de 2016 que ele teve.

 

Fica para a próxima temporada?

Provável. Beasley entra em seu último ano de contrato e deve cumpri-lo até o fim,

 


 

Brice Butler

 

Números Individuais

  • 13 jogos
  • 23 passes em sua direção
  • 15 recepções (65,2%)
  • 3 Drops (13,0%)
  • 317 jardas recebidas (21,1 jardas por recepção)
  • 32 jardas após a recepção (2,1 jardas por recepção)
  • 3 Touchdowns
  • 0 Fumbles

 

Premiação Individual

Nenhuma

 

Situação Contratual

  • Salário em 2017: US$1.100.000,00
  • Salário em 2018: –
  • Situação ContratualFree Agent irrestrito em 2018

 

Pontos Positivos

Apesar das poucas recepções, Butler se mostrou uma arma excelente em profundidade para o Dallas Cowboys. Foram grandes recepções que decidiram alguns jogos, como a partida contra o Arizona Cardinals. Com o Dez Bryant em baixa, Brice Butler emergiu como a única ameaça real em profundidade do Time da América.

 

Pontos Negativos

Mesmo aparecendo pouco, Brice Butler teve a pior média de drops por recepção. Isso indica que Butler precisa melhorar seus fundamentos para se tornar um recebedor mais confiável e assim ganhar mais recepções.

 

Fica para a próxima temporada?

Difícil. Brice Butler disse recentemente que só irá renovar o contrato se for titular. Como na atual situação do time é improvável que ele garanta esse status, fica difícil que ele renove com Dallas.

 


 

Reservas / Outros

 

Situação Contratual

  • Ryan Switzer
    • Salário em 2017: US$606.496,00
    • Salário em 2018: US$696.496,00
    • Situação Contratual: Em contrato até 2020
  • Noah Brown
    • Salário em 2017: US$482.984,00
    • Salário em 2018: US$572.984,00
    • Situação Contratual: Em contrato até 2020

 

Pontos Positivos

Ryan Switzer é um jogador muito dinâmico dentro de campo. Apesar das poucas aparições, Switzer mostrou ser capaz de substituir Lucky Whitehead em jogadas como reverse, além de ter substituído bem Cole Beasley no último jogo da temporada. Já Noah Brown mostrou bom trabalho bloqueando, o que rendeu um aumento de snaps progressivo ao longo da temporada.

 

Pontos Negativos

Ambos os jogadores ainda são muito pouco utilizados pelo time. Isso se dá também pelo fato de não serem alvos confiáveis o bastante para conseguir mais atenção no campo de ataque.

 

Ficam para a próxima temporada?

Sim. Ambos foram bem como calouro e ainda tem todo o contrato para cumprir.

 


 

O que esperar da posição para 2018?

Dúvidas. Depois de um 2016 em que os recebedores, com exceção de Cole Beasley, tiveram uma queda de desempenho, esperava-se que em 2017 a situação se resolvesse depois de toda uma pré-temporada com Dak Prescott para melhorar a química entre os jogadores. No entanto, os problemas continuaram.

Dez Bryant continuou tendo problemas e, para piorar, passou a deixar escapar recepções que não estava acostumado a deixar. Somado a isso, temos Cole Beasley sendo dobrado nas marcações e sumindo das partidas, enquanto Terrance Williams foi mais do mesmo, não justificando seu contrato renovado. Todos esses desempenhos deixam uma incógnita para a temporada que vem.

Com Brice Butler possivelmente não retornando para a próxima temporada, não é difícil acreditar que Noah Brown possa ter um espaço maior na equipe temporada que vem. O mesmo pode-se dizer de Ryan Switzer, que pode ser mais utilizado pensando já no fato de que Beasley entrará em seu último ano de contrato.

Por fim, é possível acreditar que possam haver outras mudanças no grupo. Não é impossível acreditar que Dez Bryant possa ser trocado diante do alto salário, o que deixaria uma clara necessidade em wide receiver ao time. Dessa forma, o time precisaria urgentemente buscar uma peça no Draft.

 


 

Conclusão

Com uma pré-temporada completa para entrosar com Dak Prescott, era esperado que os recebedores do Dallas Cowboys dessem um salto de qualidade em 2017. No entanto, o que aconteceu foi o exato oposto.

Seja por problemas do QB ou não, é inegável dizer que os wide receivers tiveram problemas na última temporada. Dez Bryant mais uma vez teve uma temporada ruim e já não é mais unanimidade entre os torcedores, enquanto Terrance Williams não fez valer seu novo contrato. Cole Beasley, a maior surpresa da posição na última temporada, foi muito bem marcado e terminou o ano abaixo do que foi em 2016. Os maiores pontos positivos, no entanto, foram os calouros.

Ryan Switzer e Noah Brown, apesar de terem tido pouco tempo em campo no ataque, mostraram o suficiente para acreditar que terão mais espaço no time na próxima temporada. Com a iminente saída de Brice Butler e Cole Beasley entrando em seu último ano de contrato, a situação ainda favorece para que os dois sejam mais utilizados.

Para 2018, há a necessidade de outro wide receiver, ainda que só o Butler deixe o time. Se por acaso Dez Bryant ou Terrance Williams deixem o time, então a necessidade aumenta a ponto de precisar escolher um jogador da posição nas primeiras rodadas do Draft.

 


Quer ver as análises de todas as posições? Então clique aqui!

 

Gabriel Plat

Editor-Chefe em Blue Star Brasil
Curte NFL por escolha e o Dallas Cowboys por amor. Aprecia a boa música e compartilha outro sofrimento: o Botafogo. Um dos participantes do podcast.