Em uma semana, o Dallas Cowboys desembarcará em Point Mugu, na Califórnia, para o início do training camp.

Os Cowboys irão chegar com um ataque que deveria estar entre os melhores da NFL, com Tony Romo e Dez Bryant saudáveis. Possuem uma ótima linha ofensiva, uma das melhores da NFL, e acrescentou a quarta escolha geral, o running back Ezekiel Elliott. Há também Jason Witten, um dos melhores tight ends da NFL. Além disso, o time tem a disposição alguns jogadores de papéis importantes que podem criar problemas para as outras equipes, tais como: Cole Beasley, Terrance Williams e até mesmo Alfred Morris.

Eles também chegarão com uma defesa que é perseguida por dúvidas, principalmente por causa de suspensões de Rolando McClain (dez jogos), Randy Gregory (quatro jogos) e DeMarcus Lawrence (quatro jogos). Orlando Scandrick não joga desde a derrota na rodada divisional nos playoffs de 2014, devido a uma grave lesão no joelho. Sean Lee não participou de nenhum trabalho de offseason por causa de uma pequena cirurgia no joelho. A escolha de terceira rodada, Maliek Collins, participou de algumas atividades da offseason, mas precisou passar por uma cirurgia no pé por causa de uma fratura. Jaylon Smith, escolha de segunda rodada, não deve jogar na temporada por causa de um grave lesão no joelho.

Brandon Carr não intercepta um passe desde o Dia de Ação de Graças de 2013. Morris Claiborne têm apenas duas interceptações nas últimas três temporadas.

Com uma quantidade tão grande de questionamentos sobre a defesa, o vice-presidente executivo dos Cowboys vê esperança na defesa. Muito disso vem por causa das expectativas ofensivas do time. Algumas delas são apenas a esperança que surge para cada time ao início de uma nova temporada. Outras coisas têm a ver com a temporada de 2014.

“Eu sei que tínhamos um time de futebol muito bom há dois anos, e acho que essa defesa que temos é melhor do que a defesa que tivemos há dois anos”, Jones disse em junho, antes da suspensão oficial de McClain.

Isto não quer dizer muita coisa, mas considerando os problemas previstos para a defesa de 2014 –alguns se perguntaram se ela seria a pior da história — isto já foi uma vantagem. Os Cowboys tiveram a décima nona melhor defesa em 2014, (oitava contra o jogo corrido e vigésima sexta contra o passe). Mas a defesa fez o suficiente para ajudar o time a terminar a temporada com um score de 12 vitórias e 4 derrotas.

A defesa de 2013 era uma bagunça, cedendo 6.645 jardas e terminando a temporada como a pior da liga, (27ª contra o jogo corrido e 30ª contra o passe).

Os Cowboys cortaram DeMarcus Ware naquela offseason. O time não fez nenhum enforço para assinar novamente com Jason Hatcher, que teve sua melhor marca de sacks em uma temporada em toda sua carreira, contabilizando 11 sacks naquele ano. Viram Sean Lee entrar para a temporada de treinos da primavera com uma lesão no joelho, que o fez perder a temporada inteira.

Suas maiores contratações na Free Agency foram os defensive tackles Henry Melton, que estava voltando de uma grave lesão no joelho, e Jeremy Mincey. Os Cowboys desistiram de suas escolhas de segunda e terceira rodada para escolherem Lawrence, que quebrou o pé no início training camp, uma lesão que o tirou da metade de sua temporada de estréia na liga.

Teve um treino no training camp naquele verão em que DeMarco Murray não foi tocado antes de ter pelo menos 7 jardas em campo.

Foi desolador, um desastre.

Mas os Cowboys e o coordenador defensivo Rod Marinelli correram por fora naquele ano e terminaram a temporada com 12 vitórias e 4 derrotas. Mincey liderou os Cowboys com seis sacks. Embora a equipe tenha terminado a temporada com apenas 28 sacks, eles terminaram a temporada na segunda colocação com 31 turnovers.

O sucesso ofensivo contribuiu diretamente para o desempenho da defesa. Enquanto controlar a bola é importante, pontuar é ainda mais importante. Os Cowboys marcaram pelo menos 30 pontos em 10 jogos. É muito mais fácil a defesa jogar com uma vantagem de 7-10 pontos de diferença.

Mas Jones analisa as diferenças de jogadores como uma razão para otimismo em 2016.

“Não tínhamos um Byron Jones há dois anos”, disse ele. “Não tínhamos Sean Lee jogando para nós há dois anos. Não tínhamos Tyrone Crawford jogando onde ele está agora, — ele tem muita experiência –. Lawrence e obviamente Gregory tem suas suspensões para cumprir, mas eles já percorreram um longo caminho. Então temos uma chance de termos uma boa defesa.

“Eu tenho muita confiança em Rod Marinelli e sei que ele vai vir com muitas maneiras diferentes de fazer pressão no quarterback. Mas me sinto bem com esta equipe, e sentimos bem que temos uma grande oportunidade de realmente competir para o campeonato.”

Marcus Vinicius Tavares

Marcus Vinicius Tavares

Colaborador em Blue Star Brasil
Torce para os Cowboys desde 1995 e acompanha fielmente o time desde 2005. Curte o bom e velho rock and roll e tem como a comida favorita: Hamburger! Trocar idéia e beber uma gelada são seus passatempos prediletos.
Marcus Vinicius Tavares