Tags Posts com as tags "2014"

2014

739
Zack Martin, a primeira escolha do Dallas Cowboys

Seguindo a sequência dos textos revisitando as escolhas do draft, faremos a última com os jogadores que foram escolhidos em 2014. Poderíamos sem dúvidas fazer um texto sobre as escolhas de 2015 e 2016, mas acreditamos que seria precipitado já colocar algumas escolhas desses últimos anos como acertada ou não. O de 2014, no entanto, já é possível fazer essa análise.

Confira ela abaixo:

 


 

OG Zack Martin

  • Rodada:
  • Número da Escolha: 16ª escolha geral

 

Se hoje Martin é uma das unanimidades do time, na hora de sua escolha ele passava longe disso. Afirmamos isso hoje pois na época o Dallas Cowboys estava mirando o DT Aaron Donald, que foi para o agora Los Angeles Rams, e o LB Ryan Shazier, que foi selecionado pelo Steelers. Esse último, inclusive, revelou que ficou a um passo de ir para Dallas. Do lado dos torcedores, o desejo era selecionar o QB Johnny Manziel.

Apesar disso, foi só Martin entrar em campo para silenciar qualquer tipo de dúvida sobre o jogador. Desde sua primeira partida, Zack Martin mostrou uma qualidade impressionante e isso pode ser indicado pela sua presença na seleção All-Pro e no Pro Bowl em todos os seus três anos de carreira profissional. Martin é hoje considerado um dos melhores em sua posição sem nenhum questionamento.

Valeu a pena a escolha? Sim.

 


 

DE Demarcus Lawrence

  • Rodada: 2ª
  • Número da Escolha: 34ª escolha geral

 

Precisando de um pass rusher pela saída de DeMarcus Ware, o Dallas Cowboys foi atrás do último bom especialista da posição. Para garantir a sua escolha, o time trocou sua escolha de segunda e terceira rodada para o rival Washington Redskins, que estava entre os primeiros a escolher na segunda rodada.

A escolha de Lawrence é provavelmente a que mais vai dividir opiniões aqui. Depois de ter tido uma lesão antes da temporada de 2014 e mal ter jogado, o defensive end estourou em 2015 e foi um dos poucos destaques do time naquela temporada. Em 2016, no entanto, o jogador voltou a ter uma produção abaixo do que era esperado.

Não acho que o D-Law seja um jogador ruim, ao contrário. No entanto, acredito que ter dado uma escolha de 2ª e 3ª rodada por ele acabou sendo demais pelo que ele deu em troca dentro de campo até o momento.

Valeu a pena a escolha? Não.

 


 

LB Anthony Hitchens

  • Rodada: 4ª Rodada
  • Número da Escolha: 119ª escolha geral

 

Primeira escolha do Dallas Cowboys no terceiro dia desse draft, Anthony Hitchens chegou para compor elenco de uma posição que ficaria sem Sean Lee por toda a temporada logo mais. Ao contrário do esperado, Hitchens se portou muito bem entre os titulares em seu ano de calouro, principalmente após a lesão de Justin Durant.

Com a péssima campanha do time em 2015, Hitchens acabou não jogando tão bem quanto a temporada anterior, mas hoje ele já possui qualidade suficiente para ser um bom reserva ou um titular “quebra galho”. E pra um jogador de quarta rodada, isso é muito bom.

Valeu a pena a escolha? Sim.

 


 

WR Devin Street

  • Rodada: 5ª Rodada
  • Número da Escolha: 146ª escolha geral

 

Considerado um recebedor de talento, Devin Street foi selecionado apenas na quinta rodada por seu físico: era magro demais. Disposto a resolver esse problema, o Dallas Cowboys deu uma chance ao jogador. Se nos treinos ele impressionava a comissão técnica, nos jogos ele não correspondia.

Na temporada de 2014, Street teve pouquíssimas oportunidades. Em 2015, o jogador poderia ter aparecido mais com a lesão de Dez Bryant, mas decepcionou. Foram poucas recepções e muitos fumbles, que ocasionaram na saída do jogador antes da temporada de 2016. Hoje, Street está no Indianapolis Colts.

Valeu a pena a escolha? Não.

 


 

DE Ben Gardner

  • Rodada: 7ª Rodada
  • Número da Escolha: 231ª escolha geral

 

O primeiro de uma série de escolhas de 7ª rodada do time, Gardner nunca jogou pelo time. Em sua temporada de calouro, uma lesão no ombro o impediu de entrar em campo. Em 2015, seu desempenho ruim na pré-temporada fez com que ele fosse dispensado antes do começo da temporada regular. Gardner assinou com o então San Diego Chargers e lá ficou até 2016, quando foi dispensado. Hoje está sem clube.

Valeu a pena a escolha? Não.

 


 

S Ahmad Dixon

  • Rodada: 7ª Rodada
  • Número da Escolha: 248ª escolha geral

 

Ahmad Dixon poderia sem problemas ter tido um desempenho melhor jogando por Dallas. Em sua primeira partida na pré-temporada de 2014, o safety conseguiu 12 tackles e ganhou elogio do técnico Jason Garrett. O problema é que constantes atrasos para os treinos após esse jogo fizeram com que o time dispensasse o jogador. Ele está fora da NFL desde o fim da temporada de 2014.

Valeu a pena a escolha? Não.

 


 

DT Ken Bishop

  • Rodada: 7ª Rodada
  • Número da Escolha: 251ª escolha geral

 

Escolhido entre as últimas seleções do draft, Bishop foi até ok jogando pelo Cowboys. O jogador participou de partidas da temporada regular ao substituir os lesionados Anthony Spencer e Demarcus Lawrence, mas logo perdeu espaço.

Na temporada de 2015, Bishop chegou a estar no elenco principal, mas foi dispensado para a chegada de Greg Hardy. Desde então, Bishop joga na CFL pelo Toronto Argonauts.

Valeu a pena a escolha? Sim.

 


 

CB Terrance Mitchell

  • Rodada: 7ª Rodada
  • Número da Escolha: 254ª escolha geral

 

A última escolha do time no Draft de 2014, Terrance Mitchell possuía um talento muito acima de um jogador de fim da 7ª rodada. Seu único problema era a indisciplina. Apesar da boa oportunidade de jogar por conta da suspensão de Orlando Scandrick e da dispensa de B.W. Webb, Mitchell não a aproveitou e foi cortado antes da temporada regular.

No fim de 2015, Mitchell retornou ao time e conseguiu uma interceptação em seu primeiro jogo. Ele ainda conseguiu um sack e um fumble em Colt McCoy, quarterback do Redskins. De forma surpreendente, o time o dispensou antes da temporada de 2016. Hoje, Mitchell está no Kansas City Chiefs.

Valeu a pena a escolha? Sim.

 


 

Undrafted de destaque

 

Da extensa lista que foi contratada após o fim do draft, dois merecem uma atenção especial.

O primeiro é Tyler Patmon. O cornerback brilhou na pré-temporada de 2014 ao interceptar duas vezes os QBs do Miami Dolphins, incluindo uma retornada para touchdown. Essa atuação o colocou entre o elenco principal da temporada regular. Ao longo dela, Patmon mostrou talento para ser um CB bom para a rotação. Seu momento de destaque foi no jogo contra o Arizona Cardinals, onde ele conseguiu uma pick six em cima de Carson Palmer. Em 2015, no entanto, ele acabou sendo dispensado para o retorno de Terrance Mitchell, já citado nesse texto.

O outro jogador é Keith Smith (foto). Apesar de ter chegado no time como linebacker, o jogador mudou sua posição para fullback e hoje é o titular do time nela. Sua adaptação foi tão boa que ele bateu um running back pela vaga. Teoricamente, a adaptação de um RB para FB é muito mais simples que a de um LB.

 


 

Conclusão

Analisando jogador por jogador, o Draft de 2014 não pode ser considerado ruim. E isso começa pelo primeiro jogador a ter sido selecionado pelo Dallas Cowboys.

Zack Martin é simplesmente uma máquina, um monstro em sua posição. Se ele mantiver esse desempenho por toda ou pela maior parte de sua carreira, ele provavelmente será eleito ao Hall da Fama. Foi com ele em campo que a linha ofensiva de Dallas passou de boa para uma das melhores da liga, e assim se mantém até hoje.

Na segunda rodada, temos um jogador que ainda não correspondeu ao investimento feito nele. Ainda assim, Lawrence tem qualidade e talento para fazer valer as duas escolhas dadas por ele.

Indo para o terceiro dia do draft, o Dallas Cowboys acertou em cheio com Anthony Hitchens. Para um jogador de quarta rodada, Hitchens vem se mostrando uma escolha muito acertada, por mais que não seja titular absoluto.

A partir daqui, as apostas do Time da América não deram tão certo. Street não desenvolveu como o esperado e já não está nem mais no time. Das quatro escolhas de sétima rodada, nenhuma está mais no time. Apesar disso, o pouco que Ken Bishop e Terrance Mitchell fizeram fez a baixa escolha por eles valerem.


Confira tudo sobre o Draft do Dallas Cowboys em nossa página especial e exclusiva! Clique aqui e veja o melhor conteúdo em português sobre o Time da América!

623
Foto: Ashley Landis / The Dallas Morning News

quarterback Tony Romo se juntou a Mickey Spagnola para o “The Jason Garrett Show”, que fez uma breve recapitulação da decepcionante temporada do Cowboys e falou sobre o futuro do jogador.

Romo, que disse que “seria capaz de jogar por mais um tempo” apesar das lesões de 2015, foi perguntado sobre seu pensamento quando lesionou novamente sua clavícula contra Carolina no Dia de Ação de Graças.

“Quando você volta, você sabe que está se arriscando a quebrar (a clavícula) de novo. Um tackle certo faria acontecer de novo — eu precisaria de três ou quatro semanas sem levar um desses, você sabe, desses tipos de tackle, e isso não aconteceu, e foi decepcionante porque eu senti que eu poderia ajudar o time e senti que nosso time estava pronto. Eu sei que nós provavelmente não venceríamos Carolina, mas eu queria ter visto nossas chances ao longo do restante da temporada.”

O Cowboys liderado por Romo passou por altos e baixos com ou sem a vitória contra o Panthers. Ao invés disso, Dallas — sem Romo — continuou no caminho para a 4ª escolha geral do próximo draft. Jon Machota, do Dallas Morning News, disse recentemente que o Cowboys com Romo por 16 jogos teria nove vitórias e ganharia a NFC East.

Mas voltando para a próxima temporada, Romo disse que o ataque pode voltar a forma de 2014. Ou até melhor.

“Eu acho que podemos jogar melhor (que jogamos em 2014), e eu sei que isso pode parecer bobeira vindo de uma temporada como essa do último ano, mas 2014 já acabou tem um tempo. Esse time já acabou. É hora de reestabelecer nossa identidade e descobrir no que esse time vai ser bom. Eu acho que nós precisamos olhar para nós mesmos bem de perto, precisamos avaliar (a temporada) de forma objetiva e ser honesto sobre o porquê das coisas não darem certo esse ano, e então nós temos que ir lá e confiar em qualquer coisa que nós decidirmos, e eu acho que é isso que vamos fazer.”

445
Foto: Bob Levey / Getty Images

Depois de recordar todos os setores da franquia, o RECAP chega ao seu fim falando de ninguém mais ninguém menos que o general manager do time, que por acaso também é o dono.

Muito criticado no passado, Jerry Jones realizou cortes e contratações de certa forma muito controversas. Esperando ter um resultado negativo na temporada, o Dallas Cowboys acabou tendo o contrário,

Sem mais delongas, a análise você vê abaixo:

 

Jerry Jones

Foto: geeksandcleats.com
Foto: geeksandcleats.com
  • Vice-Presidentes Executivos
    • Stephen Jones – Diretor de Operações / Personnel de Jogadores
    • Jerry Jones Jr. – Diretor de Vendas e Marketing
    • Charlotte Jones Anderson – Diretora da Marca

 

  • Principais Cortes/Saídas de 2014:
    • DeMarcus Ware (DE/OLB) → Denver Broncos
    • Miles Austin (WR) → Cleveland Browns
    • Jason Hatcher (DT) → Washington Redskins
    • Kyle Orton (QB) → Buffalo Bills
    • B.W. Webb (CB) → Pittsburgh Steelers
    • DeVonte Holloman (LB) → Aposentado

 

  • Principais Chegadas de 2014:
    • Henry Melton (DT) → Chicago Bears
    • Rolando McClain (LB) → Baltimore Ravens
    • Jeremy Mincey (DE) → Denver Broncos
    • Brandon Weeden (QB) → Cleveland Browns
    • Zack Martin (OG) → draft
    • DeMarcus Lawrence (DE) → draft
    • Anthony Hitchens (LB) → draft
    • Tyler Patmon (CB) → undrafted

 

  • Pontos Positivos

Jerry Jones, sempre execrado por torcedores e jornalistas que acompanham o Dallas Cowboys, esteve longe de ir mal em 2014. Após continuar sendo o time mais valioso da NFL em 2014, muito por mérito de sua equipe de executivos fora de campo, Jones ainda teve méritos dentro de campo. Cortes de Ware e Austin, mesmo tendo sido jogadores importantes nos últimos anos, foram acertados pra situação do time.

Além disso, optar por Zack Martin (e não Johnny Manziel) foi uma das situações mais acertadas de JJ no ano. Jogadores criticados pela alta escolha, como Hitchens, também provaram dentro de campo que valeram a escolha dada. Já jogadores não escolhidos no draft, como Patmon, também acabaram mostrando resultados dentro de campo.

Por fim, Jerry Jones acertou em renovar o contrato de Tyron Smith e Dan Bailey, dois jogadores que terminaram a temporada sendo um dos melhores da liga em suas posições. Bem estruturado, o contrato de ambos os jogadores não deverão causar um impacto grande no salary cap do time.

  • Pontos Negativos

Se Jerry Jones foi bem em 2014, não se pode dizer o mesmo nos anos anteriores. Sim, estamos falando de 2014, mas a situação complicada no salary cap em 2014 se deu por conta de erros de Jerry Jones no passado. Dessa forma, os cortes de Miles Austin e DeMarcus Ware só se deram porque Jones errou em contratos no passado, que acabaram levando a essa situação para os jogadores.

Por mais que a saída de Austin não tenha causado um impacto negativo no time, o mesmo não se pode dizer de Ware. Mesmo sofrendo com lesões, DeMarcus Ware, além de ídolo, é um dos melhores pass rushers da liga. Para um time que pouco pressionou o quarterback adversário, Ware fez falta.

 

O que esperar para 2015?

Ainda mais dúvidas. Mesmo com a situação do cap relativamente melhor, o Dallas Cowboys conta com várias incógnitas para renovação. Entre os principais jogadores, Jerry Jones terá de decidir se renova com Dez Bryant ou DeMarco Murray, Justin Durant, Bruce Carter ou Rolando McClain, Doug Free ou Jermey Parnell e por aí vai. Além disso, Jones terá de tomar uma decisão com contratos a serem reestruturados, tal como o de Brandon Carr.

Pelo lado das chegadas, JJ precisará se movimentar na offseason. Dependendo da saída dos jogadores na offseason, as prioridades aumentam para o draft, como por exemplo escolher um running back caso DeMarco Murray não permaneça no time. Além disso, algumas contratações pontuais, assim como feito em 2014, precisarão ser feitas na free agency também.

 

 

Notas da Equipe

Nome Gabriel Plat João Lucas Rodrigues Leonardo Sangiorge Luiz Gustavo Ferreira Rafael Yamamoto Média
Jerry Jones 8,0 8,0 8,5 8,5 10 8,6

 

Conclusão

Mesmo sendo muito criticado por suas decisões, Jerry Jones parece ter finalmente entrado nos eixos. Com escolhas pontuais em jogadores no ataque, como o calouro Zack Martin escolhido na primeira rodada do draft, e na defesa, Henry Melton e Jeremy Mincey vieram na free agency e DeMarcus Lawrence e Anthony Hitchens vieram no draft, Jones conseguiu arrumar e dar a Garrett um bom time, que terminaria a temporada chegando nos playoffs.

Também de acerto, Jerry Jones foi contra a crítica da imprensa e manteve Jason Garrett e sua comissão técnica em Dallas. Criticados, Garrett acabou como segundo colocado na premiação de técnico do ano, além de ver Scott Linehan e Rod Marinelli terminarem entre os três melhores da premiação de melhor auxiliar técnico do ano.

Com esses acertos, Jerry Jones mostra a cada dia que já é um novo Jerry Jones. Porém, com histórias de Adrian Peterson, resta acreditar que o velho Jerry Jones não apareça novamente em busca de tentar vencer no curto prazo, prejudicando mais uma vez o longo prazo do Dallas Cowboys.


Quer ver as análises de todas as posições? Então clique aqui!

680
Foto: James D. Smith / Dallas Cowboys

Enfim chegamos ao final das análises de todo o roster. Dos quarterbacks para o special teams, chegou a vez de falar da comissão técnica do Dallas Cowboys. Depois de uma tempestado após três temporadas seguidas batendo na trave para a conquista do título de divisão, Garrett e cia. finalmente respiraram aliviados após uma campanha positiva, o título da NFC East e uma vitória na pós-temporada, que por muito pouco não se tornaram duas.

Enfim, vamos para as análises:

 

Jason Garrett (Head Coach)

Foto: Joe Nicholson / USA TODAY Sports
  • Premiação Individual:
    • Segundo mais votado para técnico do ano
  • Salário em 2014: US$ 5.000.000,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2020
  • Pontos Positivos: Após três temporadas conturbadas, Jason Garrett finalmente se firmou como head coach do Dallas Cowboys. Auxiliado por Scott Linehan e Rod Marinelli, Garrett passou longe de ser o antigo Garrett que era criticado por chamadas ruins. Dessa vez, Garrett mostrou mais ousadia, arriscando quartas descidas que não costumava arriscar e desafiando mais jogadas: sete no total, com os juízes voltando atrás em quatro delas. Além disso, Garrett conseguiu contornar situações adversas extra-campo, como o furto de Joseph Randle e fez jogadores desacreditados, como Rolando McClain, se tornarem peças fundamentais para o time.
  • Pontos Negativos: Com uma ótima temporada, Garrett teve poucos pontos negativos. Um deles, felizmente não comprometeu o time. Em jogos já ganhos, tal como o jogo contra o Jacksonville Jaguars e Indianapolis Colts e outros já perdidos, como o contra Philadelphia Eagles em casa e o Arizona Cardinals, Garrett demorou para poupar os titulares. Mesmo não tendo acontecido nenhuma lesão, os jogadores correram um risco desnecessário de poderem se lesionar em uma situação na qual o jogo já não valia mais nada.

 

 

Offensive Coaches (Técnicos do Ataque)

Fotp: Tim Heitman / USA TODAY Sports
  • Membros:
    • Scott Linehan (foto) – Coordenador do Jogo Aéreo
    • Bill Calahan – Coordenador do Jogo Corrido e OL
    • Garry Brown – Treinador de RB
    • Derek Dooley – Treinador de WR
    • Michael Pope – Treinador de TE
    • Wade Wilson – Treinador de QB
    • Kevin Carberry – Assistente Ofensivo
    • Kyle Valero – Assistente de WR
    • Frank Pollack – Assistente de OL
  • Números:
    • 29,2 pontos marcados por jogo (5° da NFL)
    • 383 jardas por jogo (7° da NFL)
    • 32:51 minutos de posse de bola por jogo (1° da NFL)
    • 105 faltas ofensivas na temporada (18° da NFL)
    • 839 jardas perdidas por falta (21° da NFL)
    • +6 de saldo entre fumbles cometidos e recuperados (9° da NFL)
    • 30 sacks sofridos (21º da NFL)
    • 16 touchdowns terrestres (5º da NFL)
    • 37 touchdowns aéreos (4º da NFL)
  • Premiação Individual:
    • Scott Linehan – 3º colocado na premiação de Assistente Técnico do Ano
  • Pontos Positivos: Com a temporada ruim de 2013, Bill Callahan acabou sendo preterido e Scott Linehan passou a chamar as jogadas. Balanceando melhor corridas e passes, Linehan conseguiu poupar Tony Romo, que teve seu menor número de tentativas de passe desde sua primeira temporada como titular na NFL. Com isso, Tony Romo, Dez Bryant e DeMarco Murray tiveram as melhores temporadas de suas carreiras como profissional.
  • Pontos Negativos: A sobrecarga em Murray. Mesmo tendo Joseph Randle com boa média de jardas por carregada, DeMarco Murray acabou sendo praticamente o único running back usado em toda a temporada e, mesmo tendo dado certo, poderia ter ocasionado problemas como lesões. Além disso, o Dallas Cowboys abusou de jogadas de passe a poucas jardas da endzone na primeira metade da temporada. Na segunda, coincidentemente depois que Tony Romo perdeu seu recorde de jogos consecutivos com passes para touchdown, Murray passou a ser mais usado na goal line.
  • Ficam para a próxima temporada? Quase todos. Bill Callahan já anunciou sua saída, com Frank Pollack assumindo suas funções. De resto, todos permanecem, assim como Scott Linehan, que renovou seu contrato.

 

 

Defensive Coaches (Técnicos da Defesa)

Foto: Tim Heitman / USA TODAY Sports
  • Membros:
    • Rod Marinelli (foto) – Coordenador Defensivo/DL
    • Monte Kiffin – Assistente do Head Coach e Defesa
    • Matt Eberflus – Treinador de LB
    • Jerome Henderson – Treinador da Secundária
    • Joe Baker – Assistente da Secundária
    • Leon Lett – Assistente Defensivo/DL
    • Ben Bloom – Quality Control defensivo/LB
    • Turner West – Assistente Defensivo
  • Números:
    • 22 pontos cedidos por jogo (17° da NFL)
    • 355,1 jardas cedidas por jogo (13° da NFL)
    • 28:02 minutos cedidos de posse de bola por jogo (29° da NFL)
    • 104 faltas defensivas na temporada (18° da NFL)
    • 861 jardas perdidas por falta (19° da NFL)
    • 18 interceptações (7º da NFL)
    • 28 sacks (28º da NFL)
    • 15 fumbles forçados (12º da NFL)
  • Premiação Individual:
    • Rod Marinelli – 2º colocado na premiação de Assistente Técnico do Ano
  • Pontos Positivos: A pior defesa da história do Dallas Cowboys (2013) se redimiu. Com algumas novas peças e outras importantes fora, tal como Sean Lee (lesionado) e DeMarcus Ware (cortado), a defesa foi o setor que mais melhorou da temporada retrasada para a passada. Com turnovers forçados nos minutos finais de jogos decisivos, e nele entram a vitória sobre o Seahawks, Rams, Giants, Eagles e outras, a defesa do Dallas Cowboys literalmente venceu jogos.
  • Pontos Negativos: O fraco pass rush. Mesmo com Rod Marinelli rotacionando jogadores da linha defensiva, ela pouco conseguiu pressionar o quarterback adversário, tendo sido a quarta pior defesa no quesito sacks. Sem pressionar o QB, a defesa sofreu com algumas big plays ao longo da temporada.
  • Ficam para a próxima temporada? Nem todos. Monte Kiffin, depois de uma temporada desastrosa como coordenador defensivo em 2013, pouco apareceu em 2014 e não deve ter seu contrato renovado. Como coordenador defensivo, Rod Marinelli segue em Dallas, dessa vez de contrato novo.

 

 

 

Specialty Coaches (Técnicos do Special Teams)

Foot: Kirby Lee / USA TODAY Sports
  • Membros:
    • Rich Bisaccia (foto) – Coordenador do ST
    • Keith O’Quinn – Asisstente do ST/K
  • Números:
    • 52,% de touchbacks em kickoffs (14º da NFL)
    • 21,4 jardas cedidas por retorno de kickoff (27º da NFL)
    • 23,9 jardas conseguidas por retorno de kickoff (13º da NFL)
    • 9,2 jardas conseguidas por retorno de punt (13º da NFL)
    • 86% de acertos em Field Goals (13º da NFL)
    • 44,6 jardas de distância por punt (19º da NFL)
  • Pontos Positivos: O time de especialistas foi mais uma vez sólido. Com Dan Bailey quebrando recordes, o ST ainda impediu um retorno (seja de punt ou de kickoff) para touchdown pelo segundo ano consecutivo. L.P. Ladouceur, o long snapper, ainda foi recompensado com uma nomeação ao Pro Bowl.
  • Pontos Negativos: A queda de produção. Sendo discutivelmente um dos melhores times de especialistas nos últimos anos, o special teams de 2014 não foi tão bem assim. Com Dwayne Harris em queda (e sofrendo fumbles), o time ainda teve punt bloqueado e field goal bloqueados. O bloqueado contra o Cardinals, inclusive, poderia ter selado a derrota já no intervalo, caso Jason Witten não tivesse impedido o retorno para touchdown.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Mesmo não tendo um grande desempenho, Bisaccia está garantido para a temporada de 2015.

 

 

O que esperar da comissão técnica para 2015?

Mais motivação do que nunca. Depois de conseguir uma temporada mais do que empolgante para o que era esperado, o grupo do Dallas Cowboys deve estar mais confiante e mais fechado do que nunca.

Com algumas saídas pontuais e permanências cruciais não só de Jason Garrett, como também de Scott Linehan e Rod Marinelli, o time deverá manter o estilo de jogo de 2014: muitas corridas e passes curtos, controlando sempre o relógio e a partida.

Já a defesa espera-se melhora também. Com a renovação de Marinelli e possíveis novas peças vindas do draft, especialmente para a linha defensiva, a secundária pode ter menos pressão e com isso a maior chance de evitar grandes jogadas e de forçar turnovers.

Por último, o time de especialistas. Com a queda de produção em 2014, é esperado um pouco mais de pressão para cima do setor. Com uma possível nova queda em 2015, ainda mais com a possível saída de Dwayne Harris, Jerry Jones deverá fazer algumas mudanças no setor.

 

 

Notas da Equipe

Nome Jason Garrett Offensive Coaches Defensive Coaches Specialty Coaches Geral
Gabriel Plat 8,5 8,5 8,0 6,5 8,5
João Lucas Rodrigues 10 9,0 10 6,0 9,0
Leonardo Sangiorge 10 9,5 8,5 6,0 9,0
Luiz Gustavo Ferreira 10 9,5 9,0 6,0 9,0
Rafael Yamamoto 9,0 9,0 9,0 7,0 9,0
Média 9,5 9,1 8,9 6,3 8,9

 

 

Conclusão

A comissão técnica do Dallas Cowboys, antes muito contestada, se redimiu. Dada funções mais importantes para Scott Linehan e Rod Marinelli no lugar de Bill Callahan e Monte Kiffin, respectivamente, o time pareceu que engrenou.

Pela primeira vez desde a chegada de Garrett, o time conseguiu manter sua estratégia de controlar o relógio balanceando corridas e passes. Cansando a defesa adversária com campanhas longas, o Dallas Cowboys conseguiu superar jogos duros, tais como Seahawks em Seattle e o Eagles em Philadelphia pra dar ao time o primeiro título de divisão desde 2009.

Recompensado pela boa temporada, o trio Garrett-Linehan-Marinelli renovou e continuará em Dallas. A maior pressão, entretanto, fica por conta do special teams, que mesmo não tendo indo mal, ficou abaixo do esperado e precisará de resultados melhores em 2015.


Quer ver as análises de todas as posições? Então clique aqui!

702
Foto: Ronald Martinez

Com o fim das análises de todas as posições de defesa, chegou a vez do time de especialistas. Sim, muitos jogadores do special teams são reservas que apenas desempenham um papel nele, seja de bloquear, abrir espaço para retornos ou simplesmente evitar retornos do adversário. Porém, quatro posições do time de especialistas são fundamentais: o kicker, o punter, o retornador e, caso não recorde, o long snapper.

A análise de cada um você vê a seguir:

 

Dan Bailey

Foto: Tim Heitman / USA Today Sports
  • Números:
    • Kickoffs:
      • 105 Kickoffs
      • 57 Touchbacks (52%)
      • 68,2 jardas por kickoff em média
      • 4.64 Hang Time* máximo
      • 44,8% de kickoffs com retorno

*tempo (segundos) em que a bola fica no ar

    • Field Goals:
      • 5-5 em Field Goals de 20-29 jardas (100%)
      • 6-7 em Field Goals de 30-39 jardas (85,7%)
      • 9-10 em Field Goals de 40-49 jardas (90%)
      • 6-9 em Field Goals de 50+ jardas (66,7%)
      • 26-31 no total de Field Goals (83,9%)

 

  • Premiação Individual:
    • Kicker com maior aproveitamento da história da NFL (mínimo 100 chutes)
    • Maior número de field goals certos consecutivos na história do Dallas Cowboys (30)
  • Salário em 2014: US$ 1.700.000,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2020
  • Pontos Positivos: Dan Bailey mostrou mais uma vez que é um dos melhores kickers da NFL. Seu recorde de 30 field goals certos consecutivos se tornou a maior sequência da história do Dallas Cowboys. Além disso, Bailey se tornou o kicker mais preciso da história da NFL após acertar um chute de 48 jardas no jogo contra o Seattle Seahawks. Com alguns field goals bloqueados durante a temporada, o único erro de Bailey foi contra o Houston Texans, quando seu chute de 53 jardas foi para fora. Entretanto, Bailey compensou ao acertar um de 48 jardas na prorrogação, dando a vitória ao time de Dallas.
  • Pontos Negativos: A pós-temporada. Mesmo com um ótimo desempenho na temporada regular, Bailey teve problemas nos playoffs, errando chutes contra o Detroit Lions e o Green Bay Packers. O último, mesmo tendo sido desviado, acabou custando uma vantagem maior no placar, que fez falta no fim.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Bailey acabou de renovar seu contrato e não deve sair antes de seu fim.

 

 

Chris Jones

Foto: Scott Boehm / AP Photo
  • Números:
    • 68 punts
    • 45,5 jardas por punt (em média)
    • 62 jardas o punt mais longo
    • 5,14 Hang Time* máximo
    • 42,9% de punts retornados
    • punt bloqueado
    • touchbacks
    • 11 punts chutados out of bounds
    • 17 fair catches
    • 24 punts dentro da linha de 20 jardas
    • 8,9 jardas cedidas por retorno (em média)

*tempo (segundos) em que a bola fica no ar

  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 645.000,00
  • Situação ContratualRestricted Free Agent em 2015
  • Pontos Positivos: Chris Jones não comprometeu. Com nenhum punt retornado para touchdown, muito dos méritos se dá ao punter de Dallas, que evitou um retorno, em média, duas vezes a cada três punts. Além disso, Jones faz um ótimo papel de holder, não tendo prejudicado uma vez sequer os field goals de Dan Bailey.
  • Pontos Negativos: Apesar de não ter nenhum punt retornado para TD, Jones ainda tem dificuldades em fazer bons punts, sendo muitas vezes questionado pelo seu desempenho.
  • Fica para a próxima temporada? Provavelmente. Jones é um agente livre restrito e por conta disso deverá receber uma proposta para renovação. Mesmo sendo improvável que algum time cubra a proposta e tire o jogador de Dallas, o Cowboys ainda deverá trazer um punter para a pré-temporada para disputar posição com Jones.

 

 

Dwayne Harris

Foto: Paul Spinelli / AP Photo
  • Números:
    • Retorno de Kickoffs:
      • 35 Retornos
      • 859 jardas totais retornadas
      • 24,5 jardas por retorno (em média)
      • 42 jardas do retorno mais longo
      • fair catches
      • Touchdowns
    • Retorno de punt:
      • 32 Retornos
      • 292 jardas totais retornadas
      • 9,1 jardas por retorno (em média)
      • 38 jardas do retorno mais longo
      • 17 fair catches
      • Touchdowns
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 655.000,00
  • Situação Contratual: Free Agent 2015

 

  • Pontos Positivos: Preterido como wide receiver, Harris continuou firme com sua posição de retornador número 1 da equipe. Mesmo não tendo anotado nenhum touchdown em retorno de kickoffs, sua média de retornos foi acima de 20 jardas, o que é considerado bom para um retornador. Além disso, Harris foi bem nos bloqueios ajudando Chris Jones a chutar o punt.
  • Pontos Negativos: Harris teve uma temporada bem abaixo de suas últimas temporadas de 2012 e 2013, quando teve mais de um touchdown de retorno em cada uma delas. Além disso, Harris sofreu fumbles que poderiam ter comprometido vitórias como a sobre o Seahawks em Seattle.
  • Fica para a próxima temporada? Já contamos isso em nossa análise para wide receivers, que você pode ver clicando aqui.

 

 

L.P. Ladouceur

Foto: Sharon Ellman / AP Photo
  • Números: Nenhum
  • Premiação Individual:
    • Pro Bowl
  • Salário em 2014: US$ 1.000.500,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2017

 

 

  • Pontos Positivos: Ladouceur é um long snapper, a posição mais esquecida do futebol americano. Tendo como função apenas fazer o snap para Chris Jones (no caso como punter ou holder, dependendo da situação), Ladouceur é indiscutivelmente o titular menos falado do Dallas Cowboys. Entretanto, o jogador teve uma temporada impecável. Ou você viu algum de seus snaps indo longe da mão do Jones?
  • Pontos Negativos: Assim como é difícil de apontar pontos positivos em uma posição tão pouco lembrada, o mesmo serve para os pontos negativos. Mas, para não dizer que não procuramos, aí está: Ladouceur cometeu um false start no jogo dos playoffs que acabou com a eliminação do Dallas Cowboys e na jogada que acabou com um field goal errado de Dan Bailey.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Ladouceur é um medalhão em Dallas e ainda tem um longo contrato para cumprir.

 

 

O que esperar da posição para 2015?

Dúvida. Não por parte do kicker long snapper. Bailey e Ladouceur, respectivamente, mostraram qualidade de serem um dos melhores da liga em suas posições e caso não haja algo completamente inesperado para 2015, os dois jogadores continuarão no elenco e terão uma temporada do mesmo nível que a de 2014.

A dúvida, portanto, fica por conta do punter e do retornador. Chris Jones, por ter tido um bom desempenho como holder e por ser um agente livre restrito, deve permanecer, mesmo não sendo unanimidade entre os torcedores – e provavelmente também não entre a comissão técnica.

Já Dwayne Harris tem uma situação um pouco mais complicada. Com seu contrato terminando agora, Harris pode testar o mercado e pode acabar recebendo proposta de outro time. Sem ele, o Cowboys terá que encontrar outro retornador, que pode acabar não tendo o mesmo nível de Harris – mesmo ele estando abaixo do esperado em 2014.

 

Notas da Equipe

Nome Dan Bailey Chris Jones Dwayne Harris L.P. Ladouceur Geral
Gabriel Plat 9,0 6,0 6,0 10 8,5
João Lucas Rodrigues 9,0 6,0 6,0 10 8,0
Leonardo Sangiorge 9,0 6,5 6,5 10 8,0
Luiz Gustavo Ferreira 8,5 6,0 6,0 10 8,0
Rafael Yamamoto 9,0 6,5 7,0 10 9,0
Média 8,9 6,2 6,3 10 8,3

 

 

Conclusão

O time de especialistas do Dallas Cowboys, embora um pouco abaixo do esperado em 2014, continua em um nível alto em relação a liga. Dan Bailey, que fez uma boa temporada em 2013, se consolidou como um dos melhores kickers da NFL na última temporada. Ladouceur, o “esquecido” do time de Dallas, foi recompensado com mais uma boa temporada sendo chamado ao Pro Bowl.

Chris Jones, mesmo não tendo tido uma temporada extraordinária, não comprometeu. Sua função como holder no entanto, não comprometeu nenhum chute do Bailey – o que para um holder é ótimo. Harris, apesar de estar abaixo do esperado, também não foi mal. Sim, cometeu alguns turnovers, mas pode-se dizer que seu saldo foi mediano.

A preocupação agora fica para a continuação dos jogadores para 2015. Sem Dwayne Harris, quem retornará kickoffspunts? Sem Chris Jones, quem será o punter e o holder do time? Gostaríamos de responder, mas preferimos que o tempo diga. Ou, se preferirem, Jason Garrett em algumas semanas.


Quer ver as análises de todas as posições? Então clique aqui!

607
Foto: Mark Zaleski / AP Photo

Depois de análises de todas as posições ofensivas e defensivas, chegou a vez dos safeties. Um dos responsáveis para evitar as big plays do adversário, a dupla de safeties veio para 2014 com a missão de ter uma temporada no mínimo melhor que a catastrófica 2013. O resultado, no entanto, não foi ruim. A análise você confere abaixo:

 

Barry Church

Foto: 5pointsblue.com
  • Números:
    • Pass Rushing:
      • 11 Pass rush snaps
      • 1 Sack (9,09% por snap)
      • Hits
      • Hurries
    • Jogo Terrestre:
      • 401 Run snaps
      • 45 tackles  (11,22% por snap)
      • assists (1,99% por snap)
      • tackles errados (1,74% por snap)
      • 11 stops (2,74% por snap)
      • 8,6 tackles tentados por tackle errado
    • Jogo Aéreo:
      • 614 snaps
      • 40 passes em sua direção
      • 27 recepções (67,50%)
      • 335 jardas (12,4 jardas por recepção)
      • 3 Passes desviados
      • Touchdowns
      • 2 Interceptações
      • 89,1 NFL QB Rating em sua direção
      • 7,8 tackles tentados por tackle errado
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 2.000.000,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2016
  • Pontos Positivos: Barry Church liderou o Cowboys em tackles pelo segundo ano consecutivo e foi mais uma vez um dos jogadores mais consistentes da defesa de Dallas. Church foi um capitão do time pela primeira vez em sua carreira e conseguiu 2 interceptações na temporada, melhor marca desde que entrou na liga.
  • Pontos Negativos: Church é um bom safety jogando próximo a linha de scrimmage, porém ainda precisa melhorar na marcação contra o passe.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Church ainda está sob contrato para a temporada de 2015 e permanecerá em Dallas.

 

 

J.J. Wilcox

Foto: Tim Sharp / AP
  • Números:
    • Pass Rushing:
      • 6 Pass rush snaps
      • 0 Sacks 
      • Hits (16,67% por snap)
      • Hurries 
    • Jogo Terrestre:
      • 452 Run snaps
      • 28 tackles (6,19% por snap)
      • assists (1,76% por snap)
      • tackles errados (1,76% por snap)
      • stops (1,32% por snap)
      • 5,5 tackles tentados por tackle errado
    • Jogo Aéreo:
      • 680 snaps
      • 33 passes em sua direção
      • 22 recepções (66,77%)
      • 247 jardas (11,22 jardas por recepção)
      • 1 Passes desviados
      • Touchdowns
      • 3 Interceptações
      • 71,1 NFL QB Rating em sua direção
      • 5,4 tackles tentados por tackle errado
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 661.517,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2016
  • Pontos Positivos: Após jogar como wide receiver running back nos 3 primeiros anos na universidade, Wilcox mudou de posição e jogou como safety em seu último ano de elegibilidade na NCAA. Com apenas um ano de experiência na posição, Wilcox foi escolhido pelo Cowboys na 3ª rodada do draft de 2013. Por jogar há pouco tempo na posição, Wilcox ainda tem muito o que aprender, porém já mostrou boa evolução em relação a sua primeira temporada. Wilcox ficou em terceiro no time em tackles, com 74 e liderou os defensive backs em interceptações, com 3.
  • Pontos Negativos: Apesar das 3 interceptações, Wilcox teve dificuldades durante toda temporada na cobertura de passes. Nos primeiros jogos do ano, ele foi utilizado para marcar os tight ends adversários e não fez um bom trabalho.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Wilcox ainda está sob contrato de calouro e não sairá de Dallas.

 

 

Jeff Heath

Foto: Jake Roth / USA TODAY Sports
  • Números:
    • Pass Rushing:
      • 2 Pass rush snaps
      • 0 Sack
      • Hit (50% por snap)
      • Hurries
    • Jogo Terrestre:
      • 59 Run snaps
      • tackles (8,47% por snap)
      • assists (6,77% por snap)
      • tackle errado (1,69% por snap)
      • stops (3,38% por snap)
      • 10 tackles tentados por tackle errado
    • Jogo Aéreo:
      • 99 snaps
      • 8 passes em sua direção
      • 5 recepções (62,50%)
      • 38 jardas (7,6 jardas por recepção)
      • 0 Passes desviados
      • Touchdowns
      • 0 Interceptação
      • 74,0 NFL QB Rating em sua direção
      • tackles tentados por tackle errado
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 495.666,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2015
  • Pontos Positivos: Jeff Heath é um dos melhores jogadores de Special Teams do Cowboys, tendo sido creditado com 9 special team tackles, segunda melhor marca do time. Heath jogou pouco na defesa, apenas 130 snaps na temporada, porém mostrou evolução em relação a sua temporada de calouro.
  • Pontos Negativos: Heath é o reserva imediato de Church e Wilcox, porém, apesar de ele ser um bom jogador de Special Teams, ele não é um bom safety. Os dois titulares jogaram todas as partidas da temporada. Caso Heath tivesse que entrar no lugar de um deles, ocorreria uma grande queda de rendimento.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Assim como os dois safeties titulares, Heath ainda tem contrato a cumprir e fica em Dallas para 2015.

 

 

C.J. Spillman

Foto: Tom Gannam / AP
  • Números:
    • Pass Rushing:
      • 3 Pass rush snaps
      • 0 Sacks
      • Hits 
      • Hurries
    • Jogo Terrestre:
      • 23 Run snaps
      • tackles (13,04% por snap)
      • assists (4,34% por snap)
      • tackle errado (4,34% por snap)
      • stop (4,34% por snap)
      • 5,0 tackles tentados por tackle errado
    • Jogo Aéreo:
      • 52 snaps
      • 4 passes em sua direção
      • 2 recepções (50,0%)
      • 27 jardas (13,5 jardas por recepção)
      • 0 Passes desviados
      • Touchdowns
      • 0 Interceptação
      • 71,9 NFL QB Rating em sua direção
      • 6,0 tackles tentados por tackle errado
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 570.000,00
  • Situação Contratual: Free Agent em 2015
  • Pontos Positivos: Spillman foi contratado antes da temporada para ser um dos principais jogadores de Special Teams do Cowboys, e foi isso o que aconteceu. Spillman foi creditado com 7 Special Team tackles, terceira melhor marca do time.
  • Pontos Negativos: Assim como Heath, Spillman é apenas um bom jogador de Special Teams, sem muita qualidade para jogar de safety. Spillman jogou apenas 76 snaps na defesa na temporada.
  • Fica para a próxima temporada? Provavelmente. Spillman disputará na próxima pré-temporada a vaga com alguns jogadores recém contratados, mas caso mantenha o nível da temporada de 2014, C.J. não deverá ter problemas em continuar no time.

 

 

O que esperar da posição para 2015?

O mesmo que em 2014, no mínimo. Com Church e Wilcox ficando, a dupla de safeties deverá ter o mesmo desempenho que na temporada anterior. Entretanto, podemo ver uma melhora caso um jogador mantenha sua evolução: J.J. Wilcox.

Wilcox, mesmo sofrendo no começo da temporada, terminou 2014 tendo bons jogos e forçando turnovers decisivos, como os da vitória sobre o Eagles em Philadelphia e uma interceptação em Andrew Luck na vitória esmagadora sobre o Colts. Jeff Heath, muito contestado em 2013, mostrou uma evolução em 2014 e pode não comprometer em 2015 caso tenha que jogar como titular.

 

Notas da Equipe

Nome Barry Church J.J. Wilcox Jeff Heath C.J. Spillman Geral
Gabriel Plat 7,0 7,0 6,0 6,0 6,5
João Lucas Rodrigues 8,0 8,0 7,0 7,0 7,5
Leonardo Sangiorge 7,5 7,0 6,0 6,0 7,0
Luiz Gustavo Ferreira 7,5 7,0 7,0 7,0 7,0
Rafael Yamamoto 7,0 7,0 7,0 7,0 7,0
Média 7,4 7,2 6,6 6,6 7,0

 

 

Conclusão

A posição de safety no Dallas Cowboys deverá ser uma das posições que menos terá alteração de 2014 para 2015. Com a manutenção de Church e Wilcox, além da permanência dos dois reservas, os safeties deverão ter o mesmo desempenho que na última temporada.

Com três jogadores que não foram escolhidos nos seus respectivos drafts e um escolhido apenas na terceira rodada, a posição não conta com nenhum medalhão ou com um grande nome. Entretanto, a qualidade mostrada em campo pelos quatro jogadores vão bem acima do que as análises de suas carreiras na universidade mostraram. Com a evolução planejada, a dupla de safeties tem mais uma chance de, no mínimo, não comprometer jogos em 2015 – o que, cá entre nós, não é ruim para titulares da pior defesa da liga em 2013.


Quer ver as análises de todas as posições? Então clique aqui!

767
Foto: James D. Smith / AP Photo

Depois de analisar a linha defensiva e os linebackers, chegou a vez de começar a falar dos defensive backs. Entre eles, começaremos pelos cornerbacks.

Com cinco CBs no roster sendo utilizados de maneira mais ativa, o Dallas Cowboys teve surpresas com jogadores pouco acreditados e decepções com jogadores em que se confiavam. Brandon Carr, um dos mais bem pagos da liga na posição, e Morris Claiborne, uma das maiores “revelações” do college na posição nos últimos anos, tiveram uma temporada bem abaixo do esperado, enquanto Sterling Moore, não draftado em 2011, e Tyler Patmon, não escolhido no draft de 2014, surpreenderam e tiveram uma temporada acima das expectativas.

De qualquer forma, as análises vem a seguir:

 

Orlando Scandrick

Foto: ICON SMI
  • Números:
    • Pass Rushing:
      • 37 Pass rush snaps
      • 1 Sack (2,85% por snap)
      • 1 Hit (2,85% por snap)
      • Hurry (2,85% por snap)
    • Jogo Terrestre:
      • 400 Run snaps
      • tackles (1,93% por snap)
      • assists (0,82% por snap)
      • tackles errados (0,82% por snap)
      • stops (0,55% por snap)
      • 4,3 tackles tentados por tackle errado
    • Jogo Aéreo:
      • 590 snaps
      • 85 passes em sua direção
      • 64 recepções (76,19%)
      • 655 jardas (10,2 jardas por recepção)
      • 5 Passes desviados
      • Touchdowns
      • 2 Interceptações
      • 87,1 NFL QB Rating em sua direção
      • 6,4 tackles tentados por tackle errado
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 3.513.014,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2017
  • Pontos Positivos: Orlando Scandrick foi pela segunda temporada seguida o melhor Cornerback do Cowboys. Por boa parte de sua carreira, Scandrick foi apenas um cornerback de nickel, marcando os recebedores que se alinhavam no slot. Porém, nos últimos dois anos, o camisa 32 se tornou o principal CB de Dallas, e em diversas partidas marcou o principal recebedor adversário. Scandrick não cedeu nenhum touchdown em bolas lançadas na sua direção e conseguiu 2 interceptações em 2014.
  • Pontos Negativos: Durante a offseason, Scandrick foi pego no exame anti-doping por uso de substâncias ilegais, e foi suspenso pela NFL, perdendo os dois primeiros jogos da temporada. O baixo número de interceptações, apenas 2, também é um ponto negativo da boa temporada de Scandrick.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Scandrick tem um contrato longo para cumprir e não deverá sair do time antes de seu fim.

 

 

Brandon Carr

Foto: imgkid.com
  • Números:
    • Pass Rushing:
      • 3 Pass rush snaps
      • 1 Sack (33,33% por snap)
      • Hit (33,33% por snap)
      • Hurries 
    • Jogo Terrestre:
      • 462 Run snaps
      • 16 tackles (3,46% por snap)
      • assists (0,65% por snap)
      • 5 tackles errados (1,08% por snap)
      • stops (1,52% por snap)
      • 4,8 tackles tentados por tackle errado
    • Jogo Aéreo:
      • 705 snaps
      • 100 passes em sua direção
      • 60 recepções (60,00%)
      • 1.007 jardas (16,8 jardas por recepção)
      • 7 Passes desviados
      • Touchdowns
      • 0 Interceptações
      • 114,0 NFL QB Rating em sua direção
      • 5,4 tackles tentados por tackle errado
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 12.217.000,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2017
  • Pontos Positivos: Apesar de um começo ruim de temporada, Carr foi muito bem nas últimas partidas disputadas pelo Cowboys. Carr teve boas atuações marcando Reggie Wayne, Pierre Garçon, Calvin Johnson e Jordy Nelson para fechar a temporada, e não cedeu nenhum touchdown nas últimas 5 partidas do ano, incluindo os playoffs. 
  • Pontos Negativos: Carr é o 5° defensive back mais bem pago da NFL, e sua atuação dentro de campo não condiz com seu salário. Carr cedeu 6 touchdowns em bolas lançadas em sua direção e não conseguiu interceptar nenhum passe em 18 jogos disputados. Jogando em Nova York, Carr será para sempre lembrado como o cornerback que levou o touchdown histórico de Odell Beckham Jr., partida que o Cowboys acabou vitorioso.
  • Fica para a próxima temporada? Provavelmente. Para permanecer em Dallas, Carr terá de aceitar uma redução salarial. Porém, é bem provável que ele aceite a nova oferta do Cowboys, pois mesmo que ocorra uma redução pela metade em seu salário, ainda seria mais do que ele provavelmente receberia caso virasse um free agent. Caso não aceite a redução salarial, Carr deve ser cortado.

 

 

Morris Claiborne

Foto: Matthew Emmons / USA TODAY Sports
  • Números:
    • Pass Rushing:
      • 1 Pass rush snaps
      • 0 Sack
      • Hit 
      • Hurries
    • Jogo Terrestre:
      • 49 Run snaps
      • tackles 
      • assists 
      • tackle errado
      • stops
    • Jogo Aéreo:
      • 101 snaps
      • 15 passes em sua direção
      • 10 recepções (66,67%)
      • 225 jardas (22,5 jardas por recepção)
      • 0 Passes desviados
      • Touchdowns
      • 1 Interceptação
      • 121,05 NFL QB Rating em sua direção
      • tackles tentados por tackle errado
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 4.435.773,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2015
  • Pontos Positivos: Durante o Training Camp, muitos jornalistas elogiaram a participação de Claiborne nos treinos, e disseram que ele estava na melhor forma de sua carreira. Porém, algumas lesões antes da temporada atrapalharam Claiborne, que teve apenas um bom momento na temporada, uma interceptação que decretou a vitória do Cowboys na partida contra o Rams.
  • Pontos Negativos: Três anos se passaram após Claiborne ser selecionado com a 6ª escolha do draft, e ele ainda não conseguiu chegar perto das expectativas que se tinham para sua carreira profissional, quando ainda jogava na universidade de Louisiana State. Claibrone jogou apenas 4 jogos em 2014 e mesmo assim cedeu 3 touchdowns e foi queimado diversas vezes, principalmente na partida da semana 3, contra Saint Louis.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Mesmo tendo uma temporada muito ruim, Claiborne ainda tem um contrato a cumprir e por conta disso deve permanecer em Dallas. Agora, para 2016…

 

 

Sterling Moore

Foto: G.J. McCarthy / The Dallas Morning News
  • Números:
    • Pass Rushing:
      • 13 Pass rush snaps
      • 0 Sacks
      • Hits 
      • Hurries (7,69% por snap)
    • Jogo Terrestre:
      • 281 Run snaps
      • tackles (2,13% por snap)
      • assists (0,35% por snap)
      • tackle errado (1,62% por snap)
      • stops (1,06% por snap)
      • 10 tackles tentados por tackle errado
    • Jogo Aéreo:
      • 572 snaps
      • 82 passes em sua direção
      • 51 recepções (62,2%)
      • 671 jardas (13,2 jardas por recepção)
      • 8 Passes desviados
      • Touchdowns
      • 0 Interceptação
      • 92,1 NFL QB Rating em sua direção
      • 7,8 tackles tentados por tackle errado
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 645.000,00
  • Situação Contratual: Restricted Free Agent em 2015
  • Pontos Positivos: Pouco se esperava de Moore em 2014, que era apenas o 4° cornerback do Cowboys no início da temporada. Porém, ele teve uma boa atuação e foi o segundo melhor CB da equipe no ano. Após a lesão de Claiborne, Moore se estabeleceu como o terceiro cornerback do time, e entrava em campo quando a defesa estava na formação nickel. Moore não cedeu nenhum touchdown em bolas lançadas em sua direção e desviou 8 passes em 2014.
  • Pontos Negativos: Assim como Carr, Moore não conseguiu interceptar nenhum passe na temporada. Ele ainda teve sua pior atuação do ano no jogo mais importante da temporada, contra o Packers no Divisional Round, onde foi queimado diversas vezes por Davante Adams, terceiro Wide Receiver da equipe de Green Bay.
  • Fica para a próxima temporada? Provavelmente. Moore é um agente livre restrito, e deve renovar com o Cowboys por um ano no valor de 1.5M, pelas regras do Restricted Free Agency. A única possibilidade de Moore não jogar em Dallas em 2015, é se ele receber uma oferta de outra equipe que o Cowboys não tenha a intenção de igualar, o que é improvável.

 

 

Tyler Patmon

Foto: Brandon Wade / AP Photo
  • Números:
    • Pass Rushing:
      • 2 Pass rush snaps
      • 0 Sacks
      • Hit
      • Hurry (50% por snap)
    • Jogo Terrestre:
      • 15 Run snaps
      • tackles 
      • assists
      • tackles errados
      • stops
      • tackles tentados por tackle errado
    • Jogo Aéreo:
      • 100 snaps
      • 16 passes em sua direção
      • 13 recepções (81,3%)
      • 122 jardas (9,4 jardas por recepção)
      • 0 Passes desviados
      • Touchdowns cedidos
      • 1 Interceptação
      • 72,4 NFL QB Rating em sua direção
      • 3,5 tackles tentados por tackle errado
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 420.000,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2016
  • Pontos Positivos: Após não ser escolhido no draft de 2014, Patmon não recebeu nenhuma oferta de contrato dos 32 times da NFL. No começo do mês de maio, Patmon foi convidado para participar dos treinamentos para calouros, como um teste,  impressionou os técnicos e acabou recebendo um contrato para participar do Training Camp. Após boas atuações na pré-temporada, incluindo um jogo com duas interceptações (uma retornada para touchdown) contra o Dolphins, Patmon conseguiu uma vaga entre os 53 do elenco principal e chegou a participar de 10 jogos na temporada regular e playoffs. O momento mais marcante da temporada de Patmon foi a interceptação que conseguiu na partida contra o Arizona Cardinals, a qual ele retornou 58 jardas para um touchdown. 
  • Pontos Negativos: São poucos os jogadores que após não ser draftados e não receber nenhuma oferta de contrato pós-draft conseguem uma vaga no elenco e participam de 10 jogos de um time na temporada. Patmon ainda é um jogador em evolução e tem muito o que aprender, principalmente na sua habilidade de fazer tackles.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Com contrato renovado, dessa vez até 2016, Patmon permanece em Dallas.

 

 

O que esperar da posição para 2015?

Dúvida e, talvez, decepção. Brandon Carr, mesmo tendo terminado bem a temporada, ainda não é um cornerback que o Dallas Cowboys precisa – e confia. Junto a ele, o camisa 24, Morris Claiborne, passa a ser cada vez menos uma incógnita, e mais uma certeza: bust. Com três temporadas na liga e três temporadas abaixo do que se esperava do jogador, Claiborne ainda se recupera de uma lesão no joelho e com isso pode perder parte da pré-temporada, dificultando ainda mais as chances de Mo ter uma boa temporada.

A decepção vem por conta de que o Cowboys talvez não vá atras de um cornerback no draft ou na free agency. Caso Carr aceite o paycut e Moore renove, o que é provável, o Dallas Cowboys vai manter os cinco CBs no roster e com isso não terá espaço para trazer outro jogador da posição. A exceção, no entanto, pode vir em um novo Tyler Patmon, ou seja, um jogador não draftado que se destaque na pré-temporada.

 

Notas da Equipe

Nome Orlando Scandrick Brandon Carr Morris Claiborne Sterling Moore Tyler Patmon Geral
Gabriel Plat 7,5 6,0 3,0 5,5 5,5 6,5
João Lucas Rodrigues 8,0 6,0 4,0 7,5 7,0 7,0
Leonardo Sangiorge 8,0 5,5 3,0 7,0 6,5 6,5
Luiz Gustavo Ferreira 8,0 6,0 4,0 7,0 6,5 6,0
Rafael Yamamoto 8,0 5,7 1,0 7,0 6,0 6,0
Média 7,9 8,0 3,0 6,8 6,3 6,4

 

 

Conclusão

A posição de cornerback, bastante contestada, continuou e muito possivelmente continuará sendo. Começando a temporada com atos de indisciplina, Claiborne viu as chances de não permanecer em Dallas aumentarem após a temporada destrasosa, coroada com uma lesão no joelho que o tirou dos gramados em 2014.

Brandon Carr, um dos CBs mais bem pagos da liga, passou longe de ser um dos melhores da posição, não sendo inclusive o melhor do Cowboys – espaço ocupado por Orlando Scandrick. Assim como Claiborne, Carr deve permanecer em Dallas, pelo menos até 2015.

O que resta é acreditar. Acreditar que Carr seja o CB que foi nas últimas partidas da temporada. Acreditar que Claiborne possa ser ao menos um jogador útil. Acreditar que Moore teve apenas um dia ruim contra o Packers. E, por fim, acreditar que Scandrick mantenha o bom nível e que Patmon evolua ainda mais.


Quer ver as análises de todas as posições? Então clique aqui!

848
Foto: Jake Roth / USA TODAY Sports

Depois de começar a analisar a defesa e falar da linha defensiva, chegou a vez de falar dos linebackers. Bastante oscilante, a posição alternou momentos bons e ruins nos últimos anos, muito influenciada pelas lesões de seus principais jogadores.

Tratando-se de lesões, o principal nome fica por conta de Sean Lee. Capitão e um dos líderes da equipe, o camisa 50 ficou de fora da temporada após uma lesão no joelho na pré-temporada. Para lidar com sua lesão, Rolando McClain chegou e deu sinais de que o seu bom football não está perdido. Enfim, chega de enrolação e “simbora” pras análises!

 

 

Justin Durant

Tom Pennington / Getty Images North America
  • Números:
    • Pass Rushing:
      • 20 Pass rush snaps
      • 0 Sacks
      • 1 Hit (5,0% por snap)
      • Hurries (25,0% por snap)
    • Jogo Terrestre:
      • 123 Run snaps
      • 22 tackles (17,88% por snap)
      • assists (5,69% por snap)
      • tackles errados (3,25% por snap)
      • 20 stops (16,3% por snap)
      • 8,3 tackles tentados por tackle errado
    • Jogo Aéreo:
      • 163 snaps
      • 28 passes em sua direção
      • 23 recepções (82,14%)
      • 213 jardas (7,6 jardas por recepção)
      • Touchdowns
      • 1 Interceptação
      • 107,29 NFL QB Rating em sua direção
      • 23 tackles tentados por tackle errado
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 1.460.000,00
  • Situação ContratualFree Agent em 2015
  • Pontos Positivos: Sem Sean Lee, coube a Justin Durant exercer o papel de líder na defesa. E o #52 correspondeu. Nomeado como capitão mesmo não sendo unanimidade para torcedores e especialistas, Durant foi o nome da defesa nos jogos em que participou, liderando o time em tackles (61), forçando mais fumbles (2) que o resto do time e empatado com Rolando McClain em tackles para perda de jardas (4). Coroando sua atuação, Durant ainda teve uma interceptação em cima de Drew Brees.
  • Pontos Negativos: Lesões. Por melhor que tenha jogado, Durant só participou de seis partidas na temporada – menos que a metade do total. Nos três primeiros jogos, Durant participou apenas de um, o primeiro do ano. Contra o Titans e Rams, Justin ficou de fora por uma lesão na virilha. A pá de cal aconteceu no jogo contra o Washington Redskins, na semana 8: lesão no bíceps e cirurgia, acabando com suas chances de voltar aos gramados em 2014.
  • Fica para a próxima temporada? Talvez. Com o time tendo pouco orçamento para gastar em salários e ainda tendo Bruce Carter para renovar, talvez não haja espaço para ele em 2015. Apesar disso, suas chances são maiores de ficar em Dallas em relação ao Bruce Carter devido a sua lesão e sua idade mais avançada, o que diminuiria o número de times interessados.

 

 

Rolando McClain

Foto: Scott Boehm / AP Photo
  • Números:
    • Pass Rushing:
      • 41 Pass rush snaps
      • 0 Sacks
      • Hit (7,31% por snap)
      • Hurries (19,51% por snap)
    • Jogo Terrestre:
      • 261 Run snaps
      • 49 tackles (18,77% por snap)
      • assists (1,91% por snap)
      • 5 tackles errados (1,91% por snap)
      • 39 stops (14,9% por snap)
      • 11,8 tackles tentados por tackle errado
    • Jogo Aéreo:
      • 335 snaps
      • 37 passes em sua direção
      • 32 recepções (86,48%)
      • 275 jardas (7,4 jardas por recepção)
      • Touchdown
      • 2 Interceptações
      • 84,12 NFL QB Rating em sua direção
      • 8,2 tackles tentados por tackle errado
  • Premiação Individual:
    • 2º colocado no prêmio Comeback Player of The Year
  • Salário em 2014: US$ 700.000,00
  • Situação ContratualFree Agent em 2015
  • Pontos Positivos: Vindo ao Dallas Cowboys junto com uma escolha de sétima rodada em troca de uma escolha de sexta rodada, Rolando McClain recuperou parte de sua habilidade, vista pela última vez em 2009, quando ainda jogava na universidade de Alabama. Sem expectativas, McClain, que estava aposentado, foi do inferno ao céu: conquistou sua vaga no elenco principal no campo e se consolidou como um dos grandes nomes da defesa. Sua atuação na primeira metade da temporada, com duas interceptações nos primeiros seis jogos, mostrou que o #55 ainda tem (bastante) lenha para queimar.
  • Pontos Negativos: Sua inconsistência. Após ótima primeira metade da temporada, McClain caiu de rendimento. Na semana 8, contra Washington, McClain teve quatro tackles errados, número maior do que ele havia em toda temporada antes da partida. Além disso, lesões o tiraram não só de partidas da temporada regular, como de parte dos dois jogos da pós-temporada.
  • Fica para a próxima temporada? Talvez. Pela sua recuperação, é capaz que haja times interessados em McClain. Apesar disso, Rolando McClain é um jogador que confia pouco nas pessoas. Já tendo dito que considera o Dallas Cowboys a sua casa, é capaz de McClain aceitar um salário menor que o oferecido por outro time para se manter no Time da América.

 

 

Bruce Carter

Foto: Associated Press
  • Números:
    • Pass Rushing:
      • 23 Pass rush snaps
      • 1 Sack (4,34% por snap)
      • Hit 
      • Hurry (4,34% por snap)
    • Jogo Terrestre:
      • 245 Run snaps
      • 45 tackles (18,36% por snap)
      • assists (3,67% por snap)
      • tackles errados (2,85% por snap)
      • 27 stops (11,02% por snap)
      • 11,8 tackles tentados por tackle errado
    • Jogo Aéreo:
      • 345 snaps
      • 58 passes em sua direção
      • 43 recepções (82,14%)
      • 358 jardas (8,32 jardas por recepção)
      • Touchdowns
      • 5 Interceptações
      • 78,09 NFL QB Rating em sua direção
      • 6,35 tackles tentados por tackle errado
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 1.644.645,00
  • Situação Contratual: Free Agent em 2015
  • Pontos Positivos: Bruce Carter, após péssima temporada em 2013, ressurgiu em 2014 como o homem dos turnovers da defesa. Suas cinco interceptações foram a maior da equipe, sendo uma delas retornada para touchdown, ajudando o time a conseguir a maior virada de sua história. Já as últimas três interceptações foram em jogos de divisão, sendo uma delas contra o Eagles em Philadelphia, selando a vitória de Dallas e encaminhando o título da NFC East.
  • Pontos Negativos: Bruce Carter, mesmo mostrando bons números no quesito turnover, é um jogador “montanha russa”. Tendo ótimos e péssimos momentos, Carter não consegue se firmar como titular absoluto no time, já que alterna entre jogos excelentes e jogos muito ruins.
  • Fica para a próxima temporada? Difícil. Por ser jovem e ter bons números, principalmente roubando a bola, Carter deverá receber propostas relativamente altas de outros times. Com o salary cap apertado, o Dallas Cowboys dificilmente deve cobrir alguma proposta muito alta de salário.

 

 

 Kyle Wilber

Foto: Paul Spinelli / AP Photo
  • Números:
    • Pass Rushing:
      • 37 Pass rush snaps
      • 2 Sacks (5,4% por snap)
      • 1 Hit (2,7% por snap)
      • Hurries (2,7% por snap)
    • Jogo Terrestre:
      • 123 Run snaps
      • tackles (3,25% por snap)
      • assists (2,43% por snap)
      • tackles errados (1,62% por snap)
      • stops (2,43% por snap)
      • 4,5 tackles tentados por tackle errado
    • Jogo Aéreo:
      • 70 snaps
      • 12 passes em sua direção
      • 8 recepções (66,67%)
      • 69 jardas (8,6 jardas por recepção)
      • Touchdowns
      • 1 Interceptação
      • 46,87 NFL QB Rating em sua direção
      • tackles tentados por tackle errado
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 679.806,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2015
  • Pontos Positivos: Mesmo jogando em uma posição diferente, Wilber conseguiu ter uma boa adaptação e ter bons jogos. Sua titularidade em alguns jogos indicam sua boa adaptação.
  • Pontos Negativos: Com um bom fim de temporada em 2013, era esperado que Wilber mantivesse o rendimento para 2014, o que acabou não acontecendo. Tendo sido um defensive end em boa parte de 2013, esperava-se que Wilber pudesse pressionar mais o quarterback adversário jogando de linebacker, o que acabou não acontecendo.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Ainda sob contrato, Wilber não sai de Dallas.

 

 

Anthony Hitchens

Foto: Tim Heitman / USA TODAY Sports
  • Números:
    • Pass Rushing:
      • 26 Pass rush snaps
      • 0 Sacks
      • Hit (7,69% por snap)
      • Hurries (11,53% por snap)
    • Jogo Terrestre:
      • 262 Run snaps
      • 45 tackles (17,17% por snap)
      • assists (3,43% por snap)
      • tackles errados (2,67% por snap)
      • 31 stops (11,83% por snap)
      • 12,14 tackles tentados por tackle errado
    • Jogo Aéreo:
      • 295 snaps
      • 47 passes em sua direção
      • 38 recepções (80,08%)
      • 356 jardas (9,36 jardas por recepção)
      • Touchdowns
      • 1 Interceptação
      • 103,56 NFL QB Rating em sua direção
      • 17,5 tackles tentados por tackle errado
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 528.716,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2017
  • Pontos Positivos: Considerado um reach no draft (quando o jogador é escolhido antes de quando ele estava planejado para ser escolhido), Hitchens calou a boca dos críticos ao mostrar grande potencial e superar todas as expectativas. Com a lesão de Durant, Hitchens mostrou maturidade suficiente para ser titular e manter um nível de qualidade de, pelo menos, na média da liga. No mesmo jogo da pick six de Bruce Carter, Hitchens parou uma quarta descida para polegadas, marcando um de seus pontos altos da temporada. Sua primeira interceptação da carreira caiu em seu colo após Kyle Wilber desviar passe de Andrew Luck.
  • Pontos Negativos: Mesmo tendo superado todas suas expectativas nessa temporada, Hitchens ainda precisa terminar seu processo de adaptação ao futebol americano profissional. Mesmo sendo natural para um calouro, alguns erros de seu aspecto de jogo, como a cobertura do passe, devem ser corrigidos para a próxima temporada.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Hitchens é apenas um calouro e ainda tem todo seu primeiro contrato da liga para cumprir.

 

 

Reservas

Foto: Louis DeLuca/The Dallas Morning News
  • Números: –
  • Premiação Individual: –
  • Salário em 2014:
    • Dekoda Watson: US$ 411.765,00
    • Keith Smith: US$ 123.259,00
    • Cameron Lawrence: US$ 285.882,00
  • Situação Contratual:
    • Dekoda Watson: Em contrato até 2015
    • Keith Smith: Exclusive-Rights Free Agent em 2015
    • Cameron Lawrence: Exclusive-Rights Free Agent em 2015
  • Pontos Positivos: Mesmo tendo jogado pouco na defesa, jogadores como Cameron Lawrence e Dekoda Watson tiveram grande importância jogando no time de especialistas.
  • Pontos Negativos: A falta de qualidade. Não sendo bons o suficiente, os reservas foram preteridos e pouco jogaram, deixando uma dúvida para o futuro do time caso a posição sofra com lesões novamente.
  • Ficam para a próxima temporada? Sim. Ainda sob contrato, Watson fica. Já Smith e Lawrence se encaixam em uma peculiaridade da free agency, o Exclusive-Rights Free Agent (ERFA). Só podendo ser ERFA jogadores com dois ou menos anos na liga, o Dallas Cowboys poderá renovar com o jogador oferecendo apenas o salário mínimo estipulado pela liga no terceiro ano do jogador na liga. Caso não aceitem, o jogador terá que deixar a NFL e não poderá procurar outro time. Assim sendo, é muito provável que Smith e Lawrence continuem em Dallas.

 

 

O que esperar da posição para 2015?

Infelizmente não temos a resposta. A posição de linebacker no Dallas Cowboys em 2015 é uma incógnita por conta de dois fatores: free agency e lesões.

Com um histórico de lesões, Sean Lee continua sendo uma incógnita para 2015, ainda mais por sua lesão em 2014 que o deixou fora de toda a temporada. Junto com ele, soma-se Justin Durant, com uma lesão que o fez perder quase toda a temporada, e Rolando McClain, que teve de lidar com diversas lesões ao longo da temporada.

Além das lesões, tem-se os problemas dos contratos: Durant, Carter e McClain serão agentes livres e podem sair do time, fazendo com o que o Cowboys tenha de buscar jogadores no draft.

 Mas também há o lado positivo: se Lee e Durant recuperaram de suas season ending injuries e Carter e McClain (além do próprio Durant) renovarem seus contratos, a posição de linebacker do Dallas Cowboys será uma das menos preocupantes do times para 2015. O problema é: o quanto podemos contar com esse “e se”?

 

Notas da Equipe

Nome Justin Durant Rolando McClain Bruce Carter Kyle Wilber Anthony Hitchens Reservas Geral
Gabriel Plat 7,5 7,0 7,0 5,0 6,5 4,5 7,0
João Lucas Rodrigues 9,0 8,5 8,0 5,0 8,0 7,0 8,0
Leonardo Sangiorge 9,0 8,0 8,0 5,0 7,5 5,0 7,5
Luiz Gustavo Ferreira 8,0 8,5 8,0 5,0 8,0 6,0 8,0
Rafael Yamamoto 8,0 8,0 7,0 6,0 8,0 6,0 8,0
Média 8,3 8,0 7,6 5,2 7,6 5,7 7,7

 

 

Conclusão

A posição de linebacker, vinda de muita esperança ao time em 2015, acabou oscilando pro lado ruim e lado bom. De um lado teve Sean Lee se machucando sozinho no começo da pré-temporada e perdendo toda a temporada e DeVonte Holloman tendo que se aposentar por conta de uma lesão no pescoço.

Para repor a perda, Rolando McClain foi contratado e correspondeu muito bem, chegando a quase ser o Comeback Player of The Year. Já Anthony Hitchens, contestado por não ser bom o suficiente para a escolha de quarta rodada que o Cowboys utilizou para escolhê-lo, mostrou grande potencial e teve uma boa temporada, sendo o melhor calouro defensivo do time.

Justin Durant, contestado por ser nomeado capitão, correspondeu e teve uma excelente temporada até a fatídica lesão que o tirou do resto da temporada.

Por fim, a posição de LB continua sendo um mistério para o time. Como já dito, há chances de ela ser tanto 8 quanto 80. Qual dos dois será? Saberemos na pré-temporada, talvez…


Quer ver as análises de todas as posições? Então clique aqui!

696
Foto: G.J. McCarthy/The Dallas Morning News

Com o fim das análises das posições do ataque (que você pode ver clicando aqui), o RECAP vai agora falar dos jogadores de defesa.

Considerada a pior da liga em 2013 e a pior da história da franquia, a defesa vinha sendo uma dor de cabeça para o time de Dallas. Com contratações pontuais, porém, a defesa deu um salto de qualidade. A linha defensiva, discutivelmente o setor com mais carências em 2013, foi reforçada e teve um grande salto de qualidade.

No mais, vamos direto ao ponto: as análises.

 

George Selvie

Foto: Wesley Hitt
  • Números:
    • 212 Run Snaps
    • 12 tackles
    • assists 
    • 2 missed tackles
    • 10 stops
    • 265 Passing Snaps
    • sacks
    • 5 hits
    • 16 hurries
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 730.000,00
  • Situação ContratualFree Agent em 2015
  • Pontos Positivos: Selvie foi titular de 15 dos 18 jogos do Cowboys na temporada, jogando na posição de left defensive end. Selvie teve uma boa atuação parando o jogo terrestre e ainda conseguiu 3 sacks e 17 pressões nos quarterbacks adversários.
  • Pontos Negativos: A queda de rendimento. Em 2013, quando pouco se esperava de Selvie, após assinar um contrato de dois anos durante o Training Camp, ele conseguiu 7 sacks e 32 pressões nos quarterbacks adversários. Esse ano, seus números caíram pela metade quando as expectativas eram um pouco maiores.
  • Fica para a próxima temporada? Dificilmente. Com o Cowboys querendo renovar a linha defensiva, e o baixo rendimento de Selvie na temporada, Dallas deve buscar outras opções via free agency ou draft para a posição de left defensive end.

 

 

Nick Hayden

Foto: Ronald Martinez / Getty Images North America
  • Números:
    • 247 Run Snaps
    • 24 tackles
    • assists 
    • 1 missed tackles
    • 16 stops
    • 293 Passing Snaps
    • sacks
    • hits
    • hurries
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 730.000,00
  • Situação ContratualFree Agent em 2015
  • Pontos Positivos: Hayden foi titular de todos os jogos do Cowboys pela segunda temporada consecutiva. Ele é muito valorizado pelos técnicos por ser um jogador muito dedicado e esforçado durante os jogos. Hayden mais uma fez foi bem parando o jogo terrestre, principal função de um defensive tackle 1 technique no esquema de Rod Marinelli.
  • Pontos Negativos: Hayden é praticamente nulo pressionando os quarterbacks adversários. Sendo titular de todas as 34 partidas disputadas pelo Cowboys nos últimos dois anos, Hayden não conseguiu nenhum sack, e em 2014 pressionou os QBs adversários apenas 10 vezes.
  • Fica para a próxima temporada? Talvez. Hayden não deve receber nenhuma proposta acima do valor mínimo permitido pela liga para veteranos, e pode acabar renovando com Dallas por um preço bem baixo. Porém, por ser um jogador bom apenas contra o jogo terrestre, o Cowboys pode buscar uma outra alternativa mais eficiente para a posição nessa offseason. 

 

 

Tyrone Crawford

Foto: Brandon Wade / AP Photo
  • Números:
    • 184 Run Snaps
    • 18 tackles
    • assists 
    • 2 missed tackles
    • 16 stops
    • 307 Passing Snaps
    • sacks
    • hits
    • 16 hurries
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 733.813,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2015
  • Pontos Positivos: Após começar a temporada como left defensive end, Crawford foi colocado na posição de defensive tackle 3 technique após problemas na posição, e melhorou muito seu rendimento. Crawford foi um dos melhores jogadores de defesa do Cowboys na temporada, conseguindo parar muito bem o jogo corrido, e ainda pressionar os quarterbacks adversários jogando no interior da linha defensiva.
  • Pontos Negativos: Foram poucos os pontos negativos na temporada de Crawford, que se estabeleceu como um dos melhores jogadores defensivos do time. Porém, o números de sacks, apenas 4, é algo que pode melhorar para a próxima temporada.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Ainda sob contrato e vindo de uma boa temporada, o Dallas Cowboys não deve se desfazer do jogador.

 

 

 Jeremy Mincey

Foto: Ronald Martinez / Getty Images
  • Números:
    • 261 Run Snaps
    • 13 tackles
    • assists 
    • 4 missed tackles
    • 10 stops
    • 453 Passing Snaps
    • sacks
    • hits
    • 43 hurries
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 1.250.000,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2017
  • Pontos Positivos: Após assinar um contrato de pouco valor no free agency, pouco se esperava de Mincey para essa temporada. Porém, ele acabou sendo um dos jogadores mais importantes do elenco do Cowboys, sendo um líder da inexperiente defesa do time. Mincey ainda liderou o time em sacks, com 8, e em pressões nos quarterbacks adversários, com 43.
  • Pontos Negativos: Mincey foi produtivo durante toda a temporada, porém conseguiu seu primeiro sack apenas na semana 8. Ele também pode evoluir na defesa contra o jogo terrestre. Uma possível mudança para Left Defensive End em 2015 pode melhorar ainda mais o rendimento de Mincey.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Tendo uma boa temporada e ainda sob contrato, Mincey só sairá caso uma improvável proposta de troca aparecer.

 

Henry Melton

Foto: Scott Kane / AP Photo
  • Números:
    • 108 Run Snaps
    • tackles
    • assists 
    • 0 missed tackles
    • stops
    • 297 Passing Snaps
    • sacks
    • 5 hits
    • 19 hurries
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 2.359.625,00
  • Situação ContratualFree Agent em 2015
  • Pontos Positivos: Durante a temporada, Melton teve grandes momentos, e pareceu ser o jogador de 2012, quando foi eleito ao Pro Bowl pelo Chicago Bears. Ele conseguiu 5 sacks em um período de 8 semanas, e teve grande atuação entre a semana 2 e 9 da temporada regular.
  • Pontos Negativos: A inconsistência. Melton não conseguiu nenhum sack nos últimos 7 jogos da temporada e seu rendimento caiu muito em relação ao começo e meio do ano. Ele chegou a ser cotado até para ficar de fora de algumas partidas pela baixa produção. Sua vontade e dedicação foi questionada pelos técnicos e jornalistas.
  • Fica para a próxima temporada? Talvez. Dallas pode exercer uma opção que pagaria 9M para Melton na próxima temporada, porém isso com certeza não vai acontecer. O Cowboys ainda pode negociar com Melton um novo contrato, parecido com o desse ano, com salário base razoável e bônus por produtividade.

 

 

Anthony Spencer

Foto: Matthew Emmons / USA TODAY Sports
  • Números:
    • 125 Run Snaps
    • 11 tackles
    • assists 
    • 0 missed tackles
    • stops
    • 275 Passing Snaps
    • sacks
    • hits
    • 18 hurries
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 1.296.875,00
  • Situação ContratualFree Agent em 2015
  • Pontos Positivos: Após uma lesão grave ocorrida no início da temporada de 2013, Spencer voltou ao Cowboys em um contrato de um ano, com um baixo salário. O camisa 93 foi voltando aos poucos para a rotação da linha defensiva, e participou de 15 dos 18 jogos de Dallas na temporada. Spencer não foi o mesmo de anos anteriores, porém teve uma atuação decente parando o jogo terrestre e conseguiu 1.5 sack na temporada.
  • Pontos Negativos: Poucos jogadores voltam a jogar após passar pela cirurgia na qual Spencer foi submetido. Sua recuperação levou mais de um ano, e ele foi entrando aos poucos na rotação durante a temporada. Seu rendimento, porém, foi abaixo do esperado. Apenas 0.5 sacks durante a temporada regular.
  • Fica para a próxima temporada? Talvez. Spencer foi um jogador de alto nível pelo Cowboys, e chegou a ser escolhido para disputar o Pro Bowl em 2012. Porém, a grave lesão e a idade pesam, e Spencer pode nunca mais voltar a ser o jogador de algumas temporadas atrás. Uma renovação em um contrato parecido com o deste ano, um ano e salário baixo, com bônus por produtividade, ainda não está descartado. Porém Dallas pode preferir pagar por jogadores mais novos no Free Agency. 

 

 

DeMarcus Lawrence

Foto: Twitter.com
  • Números:
    • 80 Run Snaps
    • tackles
    • assists 
    • 1 missed tackles
    • stops
    • 147 Passing Snaps
    • sacks
    • hit
    • 10 hurries
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 1.001.209,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2017.
  • Pontos Positivos: DeMarcus Lawrence teve boa produção enquanto esteve em campo, conseguindo pressionar os quarterbacks adversários 8 vezes em 7 jogos na temporada regular. Contudo, seu maior impacto veio na pós temporada, onde Lawrence conseguiu 2 sacks, sendo um para decretar a vitória do Cowboys na partida contra o Lions. A boa atuação nos playoffs pode ser uma indicação de que Lawrence terá uma grande temporada em 2015.
  • Pontos Negativos: Sua lesão. Lawrence se machucou no início do Training Camp, e com isso perdeu muitos treinos e toda a pré-temporada, que seriam fundamentais para sua evolução. Ainda, o jogador escolhido na segunda rodada do Draft de 2014 perdeu os 8 primeiros jogos da temporada regular.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Lawrence é calouro e teve apenas sua primeira temporada na liga. Com contrato até 2017, D-Law não sai de Dallas.

 

 

Reservas

Foto: Matthew Emmons / USA TODAY Sports
  • Números: –
  • Premiação Individual: –
  • Salário em 2014:
    • Josh Brent: US$ 265.588,00
    • Terrell McClain: US$ 850.000,00
    • Ken Bishop: US$ 184.415,00
    • Davon Coleman: US$ 296.971,00
    • Kenneth Boatright: US$ 88.200,00
    • Jack Crawford: US$ 570.000,00
    • Lavar Edwards: US$ 262.059,00
  • Situação Contratual:
    • Josh Brent: Free Agent em 2015
    • Terrell McClain: Em contrato até 2016
    • Ken Bishop: Em contrato até 2016
    • Davon Coleman: Em contrato até 2016
    • Kenneth Boatright: Em contrato até 2016
    • Jack Crawford: Em contrato até 2015
    • Lavar Edwards: Em contrato até 2016
  • Pontos Positivos: Alguns outros jogadores tiveram boas atuações em 2014. Terrell McClain fez alguns bons jogos após perder tempo com lesão no início da temporada. Ken Bishop, escolhido na 7ª rodada do último draft, recebeu algumas oportunidades e jogou bem, principalmente na partida contra Green Bay nos playoffs. Jack Crawford teve bons momentos antes de se machucar, e conseguiu 2 sacks na temporada.
  • Pontos Negativos: Poucos jogadores contribuíram efetivamente na rotação da linha defensiva do Cowboys. Terrell McClain teve uma grande offseason, porém uma lesão prejudicou seu desempenho na temporada. Jack Crawford fez alguns bons jogos, porém se lesionou e perdeu o restante da temporada. Josh Brent voltou de lesão e não foi um grande fator. Jogadores como Ken Bishop, Davon Coleman, Chris Whaley e Ben Gardner atuaram pouco, porém terão mais chances em 2015.
  • Ficam para a próxima temporada? Talvez. Por serem reservas e terem contratos baixos, todos eles podem ser dispensados facilmente. A resposta virá no training camp, quando todos eles disputarão um espaço no time com outros jogadores que virão. Apesar disso, Brent, Terrell McClain, Ken Bishop e Jack Crawford são os que tem mais chances de retornar ao time. Davon Coleman, um dos únicos do practice squad a não renovar por dois anos, pode não ficar em Dallas.

 

 

O que esperar da posição para 2015?

Difícil dizer. Sendo a pior posição do time em 2013, a DL teve uma boa evolução em 2014, mas ainda assim longe de ser uma posição de destaque.

Com a saída de DeMarcus Ware, ídolo do time, a linha defensiva contou com Henry Melton e Anthony Spencer para serem os homens do pass rush. Entretanto, o que se viu foi Jeremy Mincey se destacar. Com destaque também para Tyrone Crawford, a linha defensiva não pode dizer que teve outros jogadores que tiveram uma boa temporada.

Decepcionante, George Selvie foi bem abaixo do que se espera. Nick Hayden, também, terminou a temporada sem um mísero sack.

A esperança da posição fica por conta de Demarcus Lawrence. Lesionado na primeira metade da temporada, D-Law mostrou um bom football na pós-temporada, dando a imaginar que o jogador pode ser importante em 2015.

Também em 2015, a linha defensiva deve ser reforçada a offseason. No draft, muitos apostam que a primeira escolha do Cowboys será um jogador de linha defensiva. Já na free agency, é capaz de algum jogador também aterrissar em Dallas.

 

 

Notas da Equipe

Nome George Selvie Nick Hayden Tyrone Crawford Jeremy Mincey Henry Melton Anthony Spencer DeMarcus Lawrence Reservas Geral
Gabriel Plat 5,0 5,5 6,5 7.0 7,0 6,5 6,5 5,0 5,5
João Lucas Rodrigues 5,0 7,0 9,0 9.0 7,0 7,0 8,0 7,0 7,0
Leonardo Sangiorge 5,0 6,0 9,0 9.0 6,5 6,0 7,5 6,0 7,0
Luiz Gustavo Ferreira 5,0 6,0 9,0 9.0 7,0 7,5 7,0 6,0 7,0
Rafael Yamamoto 6,0 7,0 10,0 8.0 7,0 7,0 7,0 8,0 7,0
Média 5,2 6,3 8,7 8.4 6,9 6,8 7,2 6,4 6,7

 

 

Conclusão

A linha defensiva do Cowboys é, discutivelmente, o pior setor da equipe. Pressionando pouco o quarterback adversário, a DL fez com que a secundária passasse por mais sufoco, visto que o QB teve mais tempo para lançar a bola e com isso mais tempo para os reebedores se desmarcarem e conseguirem a recepção.

Com uma melhora em 2014, a linha defensiva ainda não conseguiu pressionar o adversário de forma eficaz, sofrendo em jogos como o do thanksgiving, contra o Eagles. Entretanto, a DL apareceu em momentos cruciais, decidindo a partida contra o Lions nos playoffs e forçando um fumble contra Aaron Rodgers em Green Bay.

De qualquer forma, a DL precisará de reforços. Com o draft free agency, é esperado melhoras na posição.


Quer ver as análises de todas as posições? Então clique aqui!

878
Foto: DallasCowboys.com

Depois de análises de todas as posições do ataque, faltou falar dos carregadores de piano. Sim, estamos falando da linha ofensiva. Com um trabalho imenso e fundamental, a OL não é tão valorizada quanto deve.

No Dallas Cowboys, isso não parece acontecer. Tendo ganho prêmios como computadores e tênis de jogadores como DeMarco Murray e Dez Bryant, respectivamente, a linha ofensiva do Dallas Cowboys se tornou o ponto chave do ataque, sendo um dos principais fatores para a grande temporada dos “triplets” Romo, Dez e Murray.

Quer saber como cada um foi individualmente? Então vamos para as análises

 

Tyron Smith

Foto: Tom Fox / Staff Photographer
  • Números:
    • 518 Pass block snaps
    • sacks cedidos (0,38%)
    • hits cedidos (1,54%)
    • 13 hurries cedidos (2,51%)
    • 96,8 PFF Pass Block Efficiency Rating
  • Premiação Individual
    • Pro Bowl
    • First-Team All Pro
    • NFC Offensive Player of the Week (Week 6)
  • Salário em 2014: US$ 4.976.031,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2023
  • Pontos Positivos: Pelo segundo ano consecutivo, Tyron Smith foi eleito um All Pro, dessa vez ficando no primeiro time, e se estabeleceu como um dos melhores Tackles de toda a NFL. Smith cedeu apenas 14 pressões nos quarterbacks do Cowboys em 18 jogos e foi mais uma vez excepcional protegendo o lado cego de Tony Romo. O camisa 77 teve a dura tarefa de bloquear jogadores como JJ Watt, Jason Pierre Paul, Jared Allen e Robert Quinn durante a temporada, e ganhou praticamente todos os duelos contra esses grandes defensores da liga.
  • Pontos Negativos: É difícil criticar um jogador da qualidade de Smith, ainda mais tendo uma grande temporada e ganhando diversos prêmios como fez. Porém, em 2014, o Left Tackle cedeu 3 sacks, dois a mais do que havia cedido na temporada de 2013. Talvez esse tenha sido o único ponto negativo em mais uma grande temporada de Tyron Smith.
  • Fica para a próxima temporada? Com toda a certeza do mundo. Tyron Smith renovou seu contrato no começo da última temporada por mais oito anos e não corre riscos de sair.

 

 

Doug Free

Foto: Ronald Martinez / Getty Images
  • Números:
    • 343 Pass block snaps
    • sacks cedidos (0,87%)
    • hits cedidos (0,58%)
    • 17 hurries cedidos (4,95%)
    • 95,0 PFF Pass Block Efficiency Rating
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 6.520.000,00
  • Situação ContratualFree Agent em 2015
  • Pontos Positivos: Free foi um jogador sólido durante toda a temporada de 2014 e foi o líder da jovem linha ofensiva do Cowboys, sendo o jogador mais veterano da unidade, com 31 anos. Free cedeu 3 sacks em 11 jogos disputados, porém teve uma ótima sequência de 9 jogos sem ceder nenhum sack em Tony Romo. Free também foi muito importante no jogo terrestre, abrindo espaços para as corridas de Murray, jogando ao lado de Zack Martin.
  • Pontos Negativos: As lesões. Free perdeu 7 dos 18 jogos do Cowboys na temporada, e apesar de Parnell ser um bom reserva, Free ainda é um jogador melhor. O ruim começo de temporada também foi uma preocupação para o camisa 68, tendo cedido 3 sacks nas duas primeiras semanas da temporada.
  • Fica para a próxima temporada? Provavelmente. Free não tem contrato garantido para 2015, porém ele já é um veterano e passou por uma cirurgia ao fim da temporada, e por isso não deve receber grandes propostas como Free Agent. Doug Free é o jogador mais experiente da linha ofensiva do Cowboys e é muito importante para a evolução dos jogadores mais novos. Com boa qualidade, confiança dos técnicos e preço razoável, Free deve jogar em Dallas na próxima temporada.

 

 

Ronald Leary

Foto: Tony Gutierrez / AP Photo
  • Números:
    • 479 Pass block snaps
    • sacks cedidos (0,62%)
    • hits cedidos (0,42%)
    • 22 hurries cedidos (4,59%)
    • 95,6 PFF Pass Block Efficiency Rating
  • Premiação Individual: Nenhuma
  • Salário em 2014: US$ 495.000,00
  • Situação Contratual: Restricted Free Agent em 2015
  • Pontos Positivos: Em seu segundo ano como titular, Leary teve mais uma temporada decente como o Left Guard de Dallas. Ele foi fundamental para o jogo terrestre da equipe, abrindo muitos espaços para as corridas de Murray, jogando ao lado de Travis Frederick e Tyron Smith. O camisa 65 teve uma ótima atuação na semana 5, quando enfrentou na maior parte da partida o Jogador Defensivo do Ano, JJ Watt. Leary vem evoluindo a cada ano, após nao ser draftado em 2012 por conta de uma lesão em seu joelho, e já é uma importante peça na linha ofensiva do Cowboys.
  • Pontos Negativos: A proteção contra o passe. Leary foi o jogador de linha ofensiva de Dallas que mais cedeu sacks em 2014, tendo cedido 5, incluindo 2 na partida contra Green Bay no Divisional Round.
  • Fica para a próxima temporada? Provavelmente. Sendo um agente livre restrito, o Dallas Cowboys oferecerá a Leary um valor não tão alto, mas o suficiente para nenhuma outra franquia cobrir e tirar o jogador de Dallas.

 

 

 Zack Martin

Foto: Tim Heitman / USA TODAY Sports
  • Números:
    • 517 Pass block snaps
    • sacks cedidos (0,00 %)
    • hits cedidos (0,38%)
    • hurries cedidos (1,55%)
    • 98,5 PFF Pass Block Efficiency Rating
  • Premiação Individual:
    • First Team All-Pro
    • Pro Bowl
    • 3º mais votado para Offensive Rookie of The Year
  • Salário em 2014: US$ 1.630.509,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2017
  • Pontos Positivos: Martin é o único jogador do Cowboys a ser eleito um All Pro em sua temporada de calouro nos últimos 45 anos. Selecionado na 16ª escolha da primeira rodada do Draft, Martin foi titular desde os primeiros dias de treinos e solidificou a linha ofensiva de Dallas, dando mais tempo para Romo lançar a bola, e mais confiança para os técnicos chamarem jogadas de corridas. Martin mudou a cara do Cowboys, passando a ser um time físico e dominante na linha de scrimmage. Martin cedeu apenas 1 sack em toda a temporada, no jogo contra o Lions nos playoffs, e já é um dos jogadores mais valiosos do elenco de Dallas. Ele tem tudo para ser um dos, se não o melhor guard da NFL nos próximos anos.
  • Pontos Negativos: Nenhum.
  • Fica para a próxima temporada? Sim. Zack Martin teve apenas sua primeira temporada na liga e ainda tem todo seu contrato de calouro para cumprir.

 

 

Travis Frederick

Foto: Matthew Emmons / USA TODAY Sports
  • Números:
    • 518 Pass block snaps
    • sacks cedidos (0,19%)
    • hits cedidos (0,38%)
    • 11 hurries cedidos (2,12%)
    • 97,9 PFF Pass Block Efficiency Rating
  • Premiação Individual
    • Pro Bowl
    • Second-Team All Pro
  • Salário em 2014: US$ 1.561.370,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2016
  • Pontos Positivos: Frederick teve uma ótima temporada em seu segundo ano na liga, e foi escolhido para o segundo time dos All Pro. Frederick foi dominante bloqueando em corridas durante toda a temporada, e evoluiu em relação a sua temporada de calouro na proteção do quarterback, cedendo apenas 1 sack após ceder 4 em 2013. Sua chegada há dois anos fez com que a linha ofensiva de Dallas tivesse uma grande evolução, e agora jogando ao lado de Zack Martin, a linha ofensiva do Cowboys se tornou a melhor da NFL. Tony Romo sempre teve problemas em sua carreira quando sofre pressão pelo interior da linha ofensiva, e a aquisição de Frederick e Martin ajudaram muito Romo a ter o pocket limpo em sua frente.
  • Pontos Negativos: Nenhum.
  • Fica para a próxima temporada? Com toda a certeza do mundo. Travis Frederick ainda está sob contrato de calouro e teve apenas sua segunda temporada na liga. Sua chance de sair antes do fim de seu contrato é (quase) zero.

 

 

Reservas

Foto: ESPN.com
  • Números: –
  • Premiação Individual: –
  • Salário em 2014:
    • Jermey Parnell: US$ 1.833.333,00
    • Tony Hills: US$ 472.253,00
    • Mackenzy Bernadeau: US$ 2.924.166,00
    • Donald Hawkins: US$ 420.000,00
  • Situação Contratual:
    • Jermey Parnell: Free Agent em 2015
    • Tony Hills: Free Agent em 2015
    • Mackenzy Bernadeau: Em contrato até 2-15
    • Donald Hawkins: Em contrato até 2016
  • Pontos Positivos: Mesmo tendo jogado pouco, os reservas tiveram um papel importante no time. Entre eles está Jermey Parnell, que substituiu Free, fora de alguns jogos da temporada lesionado. Mesmo não tendo a mesma atuação do titular, Parnell conseguiu ao menos o papel de não comprometer, o que é algo bom se tratando de um reserva.
  • Pontos Negativos: Dentre os outros reservas, apenas Mackenzy Bernadeau jogou. Em apenas uma partida, Bernadeau teve um desempenho apenas razoável, o que é muito pouco para seu salário de quase três milhões de dólares. Já os outros reservas não tiveram mais de 5 snaps na temporada inteira, sendo assim impossível de os avaliar.
  • Ficam para a próxima temporada? Assim como Doug Free, Parnell é um agente livre irrestrito, e Dallas só deve manter um dos dois para ser o right tackle titular. A primeira opção do Cowboys deve ser Free, porém caso time e jogador não cheguem a um acordo, Parnell pode receber uma proposta. Sob contrato, tanto Bernadeau quanto Hawkins devem permanecer. Já Hawkins, por ter um salário baixo, também pode ficar em Dallas, dependendo apenas de seu desempenho na pré temporada.

 

 

O que esperar da posição para 2015?

Por ter um ano quase perfeito, a linha ofensiva entrará em 2015 com a expectativa de, no mínimo, manter o nível. Com Zack Martin mais adaptado após seu ano de calouro, o guard poderá ter um desempenho ainda melhor (se é que isso é possível). Com Martin, Frederick e Smith também deverão manter o nível de 2014. O problema fica por conta dos outros dois jogadores que compõem a linha ofensiva: Doug Free e Ronald Leary.

Com seus contratos encerrando antes da temporada de 2015, há chances, mesmo que remotas, de os dois não jogarem em Dallas. Leary, por ser menos badalado e ser um agente livre restrito, deve ficar. Já Doug Free, veterano, pode acabar não conseguindo chegar a um acordo com o Cowboys e pode terminar assinando com outro time. Parnell, seu reserva, por melhor que seja, não tem a mesma habilidade de Free e pode acabar comprometendo o atual nível da OL.

Por já ter 31 anos e ter acabado de passar por uma cirurgia, Free não deve ser muito desejado por outros times na free agency, o que deve fazê-lo permanecer em Dallas. O ponto negativo é: a idade e a cirurgia comprometerão seu desempenho?

Bom, saberemos em setembro. Mas ao que tudo indica, a linha ofensiva será (mais uma vez) motivo de alegria para Tony Romo e, principalmente, a torcida.

 

 

Notas da Equipe

Nome Tyron Smith Doug Free Ronald Leary Zack Martin Travis Frederick Reservas Geral
Gabriel Plat 9,5 9,0 8,5 10 10 8,5 10
João Lucas Rodrigues 10 9,5 9,5 10 10 8,5 10
Leonardo Sangiorge 10 9,0 9,0 10 10 8,5 10
Luiz Gustavo Ferreira 10 9,5 9,5 10 10 9,0 10
Rafael Yamamoto 9,5 9,5 9,5 10 10 9,0 10
Média 9,8 9,3 9,2 10 10 8,7 10

 

 

Conclusão

A linha ofensiva do Dallas Cowboys era, sem dúvidas, o pior setor do ataque em 2012. Nesse ano, o Dallas Cowboys teve dificuldades em estabelecer o jogo terrestre e, com isso, a conta acabou sobrando para Tony Romo. Tendo que abusar do jogo aéreo, Romo acabou sofrendo muitos sacks, pelo fato de a OL não conseguir parar o pass rush adversário, e acabou cometendo muitos turnovers também.

Em 2014, entretanto, tudo mudou. Gastando as escolhas de primeira rodada de 2013 e 2014 com Travis Frederick, center, e Zack Martin, guard, respectivamente, o Dallas Cowboys fez da sua linha ofensiva a melhor da liga. Com Tony Romo bem protegido e DeMarco Murray conseguindo correr, o Dallas Cowboys teve sua melhor temporada em cinco anos, deixando de ser um time 8-8 para ser um, porque não, Super Bowl contender?

Com Tyron Smith de contrato renovado e Zack Martin e Travis Frederick ainda com contratos de calouro a cumprir, a linha ofensiva garante sua qualidade por, no mínimo, mais duas temporadas. Para uma posição carente de bons jogadores, até que o que se tem hoje não é lá de tão ruim…


Quer ver as análises de todas as posições? Então clique aqui!