Tags Posts com as tags "Joseph Randle"

Joseph Randle

653
Foto: USA Today

O Dallas Cowboys continua mantendo seu carrossel no backfield. Na quarta-feira, o time contratou o ex-jogador de Texas A&M Trey Williams do practice squad do Washington Redskins.

Williams, como dito pelo repórter David Moore do jornal Dallas Morning News, vai substituir Joseph Randle no elenco do Cowboys.

Tradução: “Cowboys contratou o EB Trey Williams do practice squad de Washington. O ex-running back de Texas A&M ocupará a vaga de Joseph Randle no elenco”

O novo running back do Cowboys, listado como 1,70m e 88kgs no site oficial da NFL, correu para 1.343 jardas durante sua carreira em Texas A&M, incluindo 18 touchdowns em três temporadas. Ele também teve 38 recepções para 330 jardas e um TD.

Randle foi dispensado na terça-feira depois de duas semanas turbulentas, onde ele saiu de running back titular para free agent.

O Cowboys estava preocupado com a estabilidade mental de Randle nas últimas duas semanas enquanto ele estava fora do time lidando com diversos problemas pessoais.

Uma caótica junção de eventos que incluiu uma lesão, sua ida ao banco de reservas, uma possível punição da NFL por violar a política de conduta pessoal em fereveiro e uma ligação incomum para a polícia de Irving na quarta-feira tirou Randle do time nos últimos dias. Randle não treinou na última semana e passou a maior parte do tempo longe do CT.

912
Foto: G.J. McCarthy / The Dallas Morning News

Essa era pra ser uma temporada de destaque para Joseph Randle, que começou o ano como running back titular. Com o passar do tempo, ele não conseguiu chegar nem na metade da temporada.

O Dallas Cowboys oficialmente dispensou Randle na terça-feira, terminando sua saga de três anos com o time. Saga essa que incluiu uma variedade de problemas extra-campo, algumas dela que colocaram o jogador perto de sofrer suspensões ou multas da NFL.

Mas o Cowboys decidiu cortá-lo na terça, deixando a posição de running back com apenas três jogadores de novo: Darren McFadden, Christine Michael e Rod Smith.

Na terça de manhã, o dono/general manager Jerry Jones disse para a rádio 105.3 The Fan que Randle não jogaria o próximo jogo contra o Eagles e não especularia uma data de retorno quando perguntado sobre sua situação para o resto do ano. Randle perdeu o último jogo contra Seattle, tanto por motivos pessoais mas também por estar lidando com uma lesão no oblíquo sofrida contra o Giants no dia 25 de outubro.

Randle foi titular desse jogo e teve duas carregadas para 24 jardas antes de sair do jogo lesionado. Na temporada, Randle teve 76 carregadas para 315 jardas e quatro touchdowns, maior marca do time.

Mas mesmo sua atuação dentro de campo gerou problemas, como por exemplo o jogo em New Orleans quando ele foi contra a ordem dos técnicos e pulou sobre a linha para alcançar a endzone. Ao contrário da jogada original, que era pra apenas correr, ele pulou e sofreu um fumble, que foi revertido depois. Apesar dos “seis pontos”, como ele respondeu em uma coletiva de imprensa depois do jogo, Randle foi para o banco por boa parte do segundo tempo contra o Saints.

Seus problemas fora de campo certamente estão mais tumultuados e não aparentam ser coisas do passado para o jogador.

443
Foto: James D. Smith / Dallas Cowboys

Em meio às especulações da massa sobre status fora de campo de Joseph Randle, o head coach dos Cowboys, Jason Garrett, confessou que Randle estará de fora do jogo domingo contra Seattle – mas por razões relacionadas ao football.

“Não antecipamos a presença de Joe nessa semana por causa de sua lesão. Ele precisa cuidar desse problema,” disse Garrett.

Randle não treinou na quarta-feira por causa de uma torção no oblíquo que sofreu no último fim de semana. Mas um problema pessoal o levou a deixar as instalações dos Cowboys em Valley Ranch, causando um alvoroço sobre o real motivo para ele estar fazendo isso. Garrett desistiu de investigar a fundo o problema, mas disse que não é relacionado a uma possível suspensão da NFL.

“É um problema diferente,” disse ele.

As últimas 24 horas têm sido turbulentas para o running back. Randle informou que treinaria na quarta-feira e faria um trabalho de reabilitação em seu oblíquo, mas não participou. Garrett disse que ele deixou as instalações para resolver problemas particulares, e que essa foi uma ausência justificada.

“Realmente não quero ir muito a fundo nessa situação,” confessou Garrett. “O maior problema de Joe é tratar de sua lesão, ficar saudável e esperamos que possa cuidar desses problemas pessoais.”

Reportagens iniciais deram conta de que Randle deixou os treinamentos após a desmotivação em saber que não seria o running back titular. Garrett declarou no início da semana que Darren McFadden iniciaria o jogo deste fim de semana contra Seattle, após carregar a bola 29 vezes para 152 jardas contra o New York Giants.

Para contribuir com a suposição, mais reportagens – reveladas na manhã da quinta-feira – revelaram que Randle poderia estar na mira de uma investigação da NFL por violar a política de conduta da liga em fevereiro, quando foi preso em sua cidade natal, em Wichita, Kansas.

“Não quero entrar nesse assunto,” disse Garrett.

Randle não treinou na quinta-feira enquanto ainda estava lidando com o problema, o que, pelo menos, esclarece algumas coisas para o Dallas Cowboys. Ainda não se há muitas confirmações de um lado ou de outro, ou se de fato ele será suspenso. Garrett reiterou que seu desejo é de que ele continue focado em sua reabilitação.

“Ele apenas está resolvendo um problema pessoal. Isso é tudo que existe,” disse ele. “Ele está tentando ficar saudável. Ele treinou pouco ontem (quarta-feira) e ele está tentando se cuidar. Ele se cuidou ontem (quarta-feira). Ele está se cuidando hoje (ontem). Esperamos que tudo fique bem.”

A não ser que outra informação venha a aparecer, isso soa que dificilmente a torção no oblíquo seja motivo suficiente para deixar Randle no banco de reservas contra os Seahawks. Por hora, os Cowboys irão para o jogo terrestre com o trio McFadden, Christine Michael e Rod Smith.

1044
Foto: G.J. McCarthy / The Dallas Morning News

Joseph Randle, descontente por perder sua titularidade, abandonou o CT do Dallas Cowboys no meio do treino. Por fonte, o jogador é esperado que se reuna com a comissão técnica e volte a treinar nessa quinta.

A mesma fonte ainda mencionou que o running back passou por cima do seu descontentamento após ser substituido por Darren McFadden e está pronto para aceitar a decisão e seguir em frente.

Randle não treinou na quarta-feira por conta de uma lesão no abdômen. Ele andou pelo vestiário por 20 minutos usando o shoulder pads enquanto carregava seu capacete até começar a treinar a parte com o preparador físico.

Depois, quando Randle deveria ir para o tratamento, ele não foi mais encontrado. Funcionários do clube rodaram o local para descobrir aonde o jogador foi.

Fontes disseram que Randle deixou o Valley Ranch para se encontrar com pessoas que ele confiava para ajudá-lo a esvaziar a cabeça e conversar sobre o que aconteceu. As mesmas fontes ainda disseram que Randle saiu do CT na tarde de quarta-feira, quando pegou seu carro e foi embora.

Randle foi titular do Cowboys nos primeiros seis jogos da temporada depois de substituir DeMarco Murray, que foi para Philadelphia na ofsseason. Randle deixou o jogo de domingo com apenas duas carregadas na primeira campanha de ataque por conta dessa lesão no oblíquo que o vem acompanhando desde o training camp.

Isso abriu espaço para o veterano McFadden, que correu para 152 jardas e um touchdown em 29 carregadas. O head coach Jason Garrett anunciou na quarta que McFadden será o titular contra Seattle.

Essa é a segunda vez em algumas temporadas que um jogador do Cowboys deixou o Valley Ranch depois de deixar de ser titular. Em setembro de 2014, o cornerback Morris Claiborne foi o da vez.

Claiborne era um dos CBs titulares nos primeiros três jogos da temporada antes de ser substituído por Orlando Scandrick. Claiborne então teve um ataque de fúria, deixando o treino e retornando oito horas depois para conversar com Garrett.

Claiborne acabou voltando a treinar no dia seguinte, mas uma lesão no jogo do fim de semana o tirou de toda a temporada.

388
Foto: John F. Rhodes / Special Contributor to Dallas Morning News

Joseph Randle tem assistido Christine Michael ganhar oportunidades com o time titular de ataque. Os Cowboys têm dado mais chances ao veterano running back nos treinos e planejam fazer o mesmo nos jogos.

Mas como Randle, o running back titular do time, se sente com essa decisão?

“Eu só quero que saibam que estou pronto para todas as oportunidades que eu tiver, não importa se lançando ou entregando a bola para mim. Só quero que tenham a certeza que estou tentando fazer as melhores coisas que eu posso para ajudar o time a vencer,” disse Randle na terça-feira. “Quanto as outras coisas, isso está fora do meu controle. Não vou me preocupar com coisas que eu não posso controlar.”

Randle está com uma média de menos de 15 carregadas e 57,8 jardas por jogo nesta temporada, com quatro touchdowns. Mas o jogo terrestre tem dado dores-de-cabeça e os técnicos estão procurando meios de reverter as coisas.

Ainda é esperado que Randle participe de um significante no jogo, mas isso pode mudar um pouco, dividindo mais as carregadas com Michael e Darren McFadden.

“Eu só quero ser alguém bom no vestiário, que não fica bravo com isso ou com aquilo, tendo a certeza de que não sou um câncer nesse vestiário,” disse Randle. “Então eu não vou ser aquele que se queixa por mais carregadas e outras coisas. Não vai ser como eu irei jogar.”

1090
Foto: James D. Smith / Dallas Cowboys

Assim como no começo da temporada, a posição de running back dos Cowboys voltou a dar o que falar e está totalmente diferente do que estava há um mês. Lance Dunbar teve uma lesão no tornozelo que o tirou do restante da temporada, e os Cowboys aproveitaram a semana de bye para adicionar o calouro Rod Smith, dispensado pelo Seattle Seahawks.

De repente, Christine Michael, adquirido numa troca com Seattle seis semanas atrás, já parece um veterano no grupo de tanto que tem se falado sobre ele nos últimos tempos. De acordo com os técnicos, Michael passará a receber uma contagem maior de snaps, assim como um jogador veterano.

“Nós vamos dar a ele uma oportunidade de participar de mais snaps; Acho que ele mereceu. Trabalhou duro, vem sendo tudo aquilo que esperávamos e é um estudioso do jogo. Estamos ansiosos para vê-lo jogar”, disse o técnico dos running backs Gary Brown.

Michael vem sendo alvo de muitas especulações (principalmente durante os jogos da semana 4 e 5) – especialmente porque o jogo corrido dos Cowboys não tem sido efetivo nos últimos três jogos. O jogador de segunda escolha do draft esteve inativo durante os três primeiros jogos. Contra New Orleans e New England, Michael teve pouco uso, tendo apenas uma corrida para perda de jardas contra o Saints e uma de seis jardas contra os Patriots.

O técnico Jason Garrett disse que “desde que ele chegou, o time tentou colocá-lo em campo. Foram dadas algumas oportunidades, além da tentativa de acostumá-lo com o ataque”.

Perguntado sobre o período de aclimatação do ataque durante o último mês, Brown não foi tímido ao dizer do que o terceiro-anista é capaz: “Ele pode fazer mais coisas. Acho que ele teve que aprender e se sentir confortável. Eu acho que ele está onde precisa estar, e nós queremos tirar esse peso dele e deixá-lo se soltar”.

É difícil dizer o que isso significa até que os Cowboys retornem a campo, mas o jogo corrido realmente precisa de ajuda. O time tem apenas o décimo nono ataque da NFL, com média de 106 jardas por jogo. O líder do time Joseph Randle tem uma média de 3.9 jardas por carregada. Darren McFadden tem apenas 3.5.

Muito disto está ligado ao ineficaz ataque aéreo, com certeza. Os problemas em lançar a bola sem Tony Romo fizeram as defesas se ajustarem, colocando oito ou até nove jogadores para limitar o jogo corrido.

Jason Garrett ressaltou que os Cowboys já enfrentaram esse tipo de defesa antes e lutaram contra o problema. Já Gary Brown mencionou que dada a força que Michael traz ao time, ele certamente irá ajudar: “Eu acho que ele vai ajudar; Não que os outros jogadores não tenham força, mas penso que ele provavelmente tem um pouco mais. Precisamos tirar proveito disto. Claro, com oito jogadores marcando, será um pouco mais difícil encontrar espaço para correr, mas nós temos que aproveitar os buracos que forem abertos pela linha ofensiva.”

505
Foto: SportsNaut

Nos três jogos da temporada até agora, o Dallas Cowboys é apenas o 16° da NFL em jardas terrestres.

Com Joseph Randle, Darren McFadden e Lance Dunbar liderando o caminho do backfield de Dallas, o time tem em média 105,3 jardas por jogo e quatro touchdowns terrestres. No último domingo, o Cowboys colocou seu jogo terrestre em ação cedo, correndo para mais de 100 jardas no primeiro tempo. Mas o ataque terrestre acabou morrendo no segundo tempo e o Cowboys não conseguiu manter a posse da bola.

É por conta disse que o head coach Jason Garrett quer mais consitência de seus running backs.

“Nós temos que correr melhor com a bola”, disse Garrett durante sua coletiva de imprensa na quarta-feira. “Eu acho que fizemos um bom trabalho na primeira metade do jogo semana passada correndo com a bola. Nós apenas precisamos ser mais consistentes e isso não é fácil. Não foi fácil ano passado quando fomos produtivos correndo com a bola. Aquelas corridas de três, quatro, cinco jardas jogada por jogada quebravam as defesas. Eu acho que demonstramos a habilidade para fazer isso diferentes vezes ao longo dos últimos três jogos. Nós temos que fazer isso de forma mais consistente a partir daqui.”

Alguns podem dizer que a linha ofensiva não está sendo tão brilhante quanto os últimos anos, mas eles ainda estão fazendo um ótimo trabalho abrindo caminho para os RBs. Mesmo com o left guard Ronald Leary de fora das últimas duas semanas, o calouro La’el Collins conseguiu dar conta do recado.

Ainda assim, uma quantidade elevada de faltas nos últimos dois jogos não caiu bem para a linha ofensiva e isso é parte da crítica. Eles definiram um padrão alto de qualidade e precisam manter esse nível.

“Nós temos uma boa linha ofensiva”, disse Garrett. “Ninguém joga tão bem quanto eles são capazes de jogar. Nós queremos mais. Nós temos caras que treinam do eito certo. Eles treinam forte, eles todos jogam bem juntos, eles são fortes. Eles fazem bem o run block, fazem bem o pass block. Mas o padrão é realmente alto para todo mundo e eles definiram um nível muito alto para eles mesmos. Nós certamente não estamos satisfeitos com o jogo deles, e eles certamente também não estão.”

Nos últimos dois jogos, a linha ofensiva do Cowboys teve 12 faltas. Algumas custaram mais do que outras, especialmente considerando a maneira que o Cowboys usou seu ataque.

719
Foto: James D. Smith / Dallas Cowboys

Não deu. Após ótimo primeiro tempo do ataque, com três touchdowns do Randle e um do McFadden, o Cowboys implodiu no segundo tempo. Sem pontuar uma única vez, a torcida viu o Falcons virar a partida com ótima atuação de Julio Jones e Devonta Freeman.

 

O Jogo

Começando com a bola, o Dallas Cowboys iniciou seus trabalhos pegando fogo. Na primeira campanha, bastou uma falta e duas corridas para 65 jardas de Randle para o Cowboys anotar seu primeiro touchdown do jogo. Forçando um punt do Falcons logo de cara, o Cowboys tratou de ampliar depois de outra campanha com uma boa corrida de Randle. O próprio running back entrou na endzone após pular sobre a linha ofensiva: 14 a 0 depois do chute extra.

Após o baque, o Atlanta reagiu. Em um drive longo, o Falcons anotou seu primeiro TD da partida com uma corrida de Devonta Freeman. A resposta de Dallas veio apenas no segundo quarto, com um outro running back. Correndo pela esquerda, Darren McFadden anotou o terceiro touchdown do Cowboys no jogo e aumentou a vantagem para 21 a 7.

Após forçar um punt, o Cowboys teve tudo para ampliar a vantagem. No entanto, Brandon Weeden acabou errando e forçou o passe ao invés de jogar a bola para fora. Resultado: interceptado. O Falcons aproveitou o turnover e diminuiu a vantagem para 21 a 14, novamente com Freeman.

A resposta, entretanto, veio rápida. Com bons passes de Weeden para Dunbar, Joseph Randle fechou a campanha com seu terceiro touchdown do jogo, após corrida de uma jarda. Mesmo com 40 segundos no relógio, o Falcons fechou o primeiro tempo anotando um field goal, deixando o placar em 28 a 17.

Weeden não conseguiu conduzir o Cowboys à vitória.
Weeden não conseguiu conduzir o Cowboys à vitória.

Com a chegada do segundo tempo, o Cowboys pareceu ter deixado o bom futebol no vestiário. Depois de um punt pra cada lado, o Falcons encostou no placar após um touchdown de 45 jardas de Julio Jones. Com uma conversão de dois pontos, o jogo ficou 28 a 25.

No último quarto, veio o já esperado. Com uma campanha longa, o Falcons conseguiu virar após Devonta Freeman anotar seu terceiro touchdown na partida, dessa vez correndo pelo meio sem ao menos ser tocado. Precisando pontuar, o Cowboys foi ao ataque e não conseguiu anotar um mísero firstdown, tendo que devolver a bola após três jogadas do ataque.

Gastando o relógio e correndo com a bola, o Falcons novamente atravessou o campo inteiro até a endzone do Cowboys. Dessa vez, Julio Jones recebeu um passe de 2 jardas e não teve dificuldades para aumentar a vantagem para 39 a 28.

Com apenas 3 minutos no relógio, o Cowboys tentou o possível para empatar a partida, mas não conseguiu passar do meio do campo. Não conseguindo converter uma quarta descida, bastou ao Falcons ajoelhar e selar a vitória fora de casa.

 

Números
  • Passando

Brandon Weeden: 22/26, 232 jardas, INT. Rating: 87,82
Matt Ryan: 24/36, 285 jardas, 2 TD. Rating: 109,14

  • Correndo

Joseph Randle: 14 att, 87 jardas, 3 TD
Darren McFadden: 6 att, 35 jardas, TD
Lance Dunbar: 1 att, 5 jardas
Devonta Freeman: 30 att, 141 jardas, 3 TD
Matt Ryab: 2 att, 17 jardas

  • Recebendo

Lance Dunbar: 10 rec, 100 jardas
Jason Witten: 6 rec, 65 jardas
Cole Beasley: 4 rec, 49 jardas
Joseph Randle: 2 rec, 18 jardas
Julio Jones: 12 rec, 164 jardas, 2 TD
Devonta Freeman: 5 rec, 52 jardas
Leonard Hankerson: 3 rec, 45 jardas

 

Pontos Positivos
  • Brandon Weeden

Muitos reclamarão da escolha do quarterback para os pontos positivos. Ele teve uma interceptação boba, é verdade. Mas o QB acertou 22 passes de 26 tentados, uma marca relativamente boa para um QB. Além disso, seus passes ajudaram a construir a vantagem do primeiro tempo e sua culpa pela má atuação do time no segundo tempo é mínima.

  • Lance Dunbar

Mais acionado que o normal nessa temporada, Dunbar correspondeu. Pela segunda vez em três semanas, Dunbar foi líder do time em recepções, dessa vez alcançando a marca das 100 jardas.

  • Joseph Randle

Apesar do apagão no segundo tempo, o primeiro tempo de Randle foi algo fulminante. Com três touchdowns e um início avassalador, Randle foi o nome do ataque do Cowboys no jogo… pelo menos no primeiro tempo.

 

Pontos Negativos
  • Terrance WIlliams

Sem Dez Bryant, esperava-se que T-Will tivesse mais presença em campo como WR1. Ao contrário, Williams teve um jogo apagadíssimo, sem conseguir uma recepção sequer. Quando foi acionado, numa quarta descida crucial no fim do jogo, T-Will deixou escapar uma bola lançada em seu peito.

  • J.J. Wilcox

safety teve uma partida muito ruim. Além de errar tackles, Wilcox teve falhas na cobertura do passe, podendo sim ser um dos culpados pela grande atuação de Julio Jones.

  • Linha Defensiva

Sem Randy Gregory, Greg Hardy e Jeremy Mincey, a linha defensiva quase reserva já esperava que poderia sofrer com o ataque do Falcons. Mesmo assim, os erros foram acima do tolerável, com o running back Devonta Freeman tendo deitado e rolado em cima da DL. Seu segundo touchdown, uma corrida pelo meio sem ao menos ser tocado, evidenciou os problemas da DL no jogo.

 

Próximo Jogo

Depois dessa derrota, o Dallas Cowboys volta a enfrentar um time da NFC South. O adversário da vez é o New Orleans Saints, derrotado para o Carolina Panthers também nesse domingo. O jogo será em New Orleans e no já conhecido Sunday Night Football, o horário nobre americano. Dessa forma, o jogo terá transmissão tanto da ESPN quanto do Esporte Interativo.

630
Foto: James D. Smith / Dallas Cowboys

O Dallas Cowboys não parece ter a posição de running back definida e está aberto para a adição de um novo corredor.

Na segunda-feira, o chefe de operações e vice-presidente executivo Stephen Jones comentou a possibilidade da expansão do backfield do time, que atualmente conta com Darren McFadden, Joseph Randle e Lance Dunbar dividindo as jardas terrestres. Contratar um running back jovem pode ser uma hipótese que o Cowboys considerará nas próximas semanas.

“Se nós víssemos um jovem RB para colocar no rolo”, disse Jones a uma rádio, “com certeza iríamos olhar com atenção.”

Pode ser que o novo RB seja alguém como o recentemente dispensado pelo Raiders, Trent Richardson? Ele está com apenas 25 anos e ainda lhe resta bastante gasolina no tanque.

A entrevista saiu no mesmo dia em que o Buffalo Bills dispensou o veterano running back Fred Jackson, mas o Cowboys já manifestou que não há interesse pelo jogador neste momento. Jones chegou a dizer que o Cowboys está “contente” com os running backs que possui no momento, mas as coisas “podem mudar” nas próximas semanas, dependendo dos jogadores que forem sendo cortados – Os times da NFL estão passando um “pente fino” em seus respectivos elencos, para chegar ao número de 53 atletas para a temporada regular.

Jones também disse que jogadores mais velhos que estão sendo cortados, como Jackson, não são necessariamente o que o Cowboys está interessado. Isso significa que o Cowboys não irá contratar jogadores sem contrato como Ray Rice (ex-Ravens), Steven Jackson (ex-Falcons) e Ahmad Bradshaw (ex-Colts).

O Cowboys tem duas áreas que precisam de uma melhora em se tratando de backfield. A primeira é a proteção do passe.

Enquanto Jones gosta de Joseph Randle como uma opção de protetor de passe na posição de running back, o atleta não mostrou muito sua categoria durante esta pré-temporada. Contra o Minnesota Vikings, Randle perdeu um bloqueio que levou a um sack do quarterback Tony Romo. Darren McFadden é considerado um bloqueador acima da média. Mas ele estará pronto para proteger Tony Romo por toda a temporada?

A segunda área que precisa de um aprimoramento para o backfield do Cowboys é na linha de gol. O Cowboys só tem um running back que conseguiu ir bem nesse quesito nesta pré-temporada: Gus Johnson. Entretanto, ele continua uma dúvida e pode ser considerado um risco depois de ter deslocado o ombro durante o primeiro jogo da pré-temporada.

No fim das contas, o Cowboys tem dois talentosos que podem acabar recebendo a maior parte das carregadas: McFadden e Randle. Mas se o Cowboys pretende abordar bastante os running backs nesta temporada, achar um bom atleta nos quesitos de bloqueio e linha de gol pode ser o próximo passo.

589
Foto: Smiley N. Pool / The Dallas Morning News

O Cowboys vem treinando por mais de duas semanas e já jogou seu primeiro jogo de pré-temporada, uma derrota para o San Diego Chargers. Mas o Cowboys ainda tem mais duas semanas de treinos na California, e os jovens jogadores ainda tem tempo para ganhar as vagas restantes no elenco.

O elenco de 90 jogadores será reduzido para 75 apenas no dia 1 de setembro. Já o roster final, de 53 jogadores, será anunciado apenas no dia 5 de setembro.

Com o training camp na metade, os jogadores voltam aos treinos no sábado e com cinco detalhes que merecem um pouco mais de atenção após o jogo de quinta-feira.

 

1) Fique de olho em Tony Romo

Romo deve estar afiado no treino de sábado. O quarterback titular não jogou contra o Chargers e teve três dias consecutivos de folga, tendo treinado apenas uma vez nos últimos cinco dias. Depois de ter sua folga no training camp do ano passado, Romo teve sua melhor participação nos treinos, o que pode voltar a repetir esse ano.

 

2) Dez Bryant voltará aos treinos?

O técnico Jason Garrett disse depois do jogo de quinta que ele não tinha certeza de que Bryant voltaria a treinar no sábado. Bryant não treinou na última semana por conta de um desconforto na coxa e não jogou contra o Chargers. Como você pode imaginar, ele está se coçando para voltar a campo. Mas o Cowboys não vai apressar sua volta nesse training camp.

 

3) Espere que Darren McFadden e Lance Dunbar voltem a treinar, e talvez até Joseph Randle

McFadden está programado para treinar pela primeira vez desde o começo do training camp no sábado. Ele perdeu as primeiras semanas com uma distensão muscular na coxa. O Cowboys vem lidando de forma muito lenta com McFadden, considerando seu histórico de lesões. Dunbar, que não vem treinando por conta de uma torção no tornozelo, é esperado que volte no sábado. Ainda, o Cowboys pode ter de volta Joseph Randle depois de uma lesão no abdômen tê-lo tirado de alguns treinos.

 

4) La’el Collins poderá treinar entre os titulares na posição de left guard?

Collins, o calouro undrafted de LSU, foi dominante no primeiro jogo do Cowboys na pré-temporada. Até o momento, Ronald Leary vem treinando entre os titulares como left guard e não fez nada que pudesse ameaçar sua vaga de titular. Mas Collins foi tão dominante em alguns momentos contra o Chargers, que você começa a pensar se o Cowboys vai começar a dar a ele algumas repetições com o time titular para ver como ele se comporta contra a defesa titular do time.

 

5) Por quanto tempo o RB Gus Johnson estará de fora?

Johnson sofreu uma lesão no ombro no terceiro quarto do jogo de quinta-feira. Ele foi o titular e jogou por todo esse tempo com o Cowboys até se lesionar. Ele teve alguns bons momentos no jogo, como seu primeiro touchdown na NFL. Mas por quanto tempo ele estará fora com seu ombro lesionado? Johnson disse após o jogo que ele esperava treinar sábado, mas um running back com uma lesão no ombro não costuma voltar a treinar tão cedo. Johnson, entretanto, sabe que ele não pode ficar muito tempo fora se ele quiser mostrar aos times que ele merece estar na NFL. Ele precisa voltar rápido.