Tags Posts com as tags "La’El Collins"

La’El Collins

282

O RECAP segue firme e forte, com todas as posições do ataque já abordadas.

Mas calma lá… todas? Como falar do ataque do Dallas Cowboys sem citar a unidade que é o pilar que faz todo o resto funcionar?

Pois é, pessoal. Chegou a hora de falar da unidade mais badalada do Time da América: a linha ofensiva. Será que todos eles jogaram tão bem quanto foi dito?

A resposta vem a seguir, nas nossa análises:

 


 

Tyron Smith

 

Números Individuais

  • 13 jogos
  • 758 snaps totais

Premiação Individual

  • Pro Bowl

 

Situação Contratual

  • Salário em 2017: US$8.820.000,00
  • Salário em 2018: US$17.545.000,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2023

 

Pontos Positivos

Falar de Tyron Smith é falar de um modelo de tudo que há de melhor em um jogador de linha ofensiva. Muito bom protegendo o quarterback da pressão e abrindo espaços para a corrida, Smith é sem dúvidas um dos melhores jogadores de toda a NFL em sua posição.

 

Pontos Negativos

Apesar da altíssima qualidade de Smith, sua lesão atrapalhou a sequência do time. Foram três jogos perdidos que praticamente acabaram com o jogo, deixando Dak Prescott extremamente vulnerável. Além disso, Smith cometeu oito faltas na temporada, o maior número de um jogador de ataque. Isso precisa ser corrigido.

 

Fica para a próxima temporada?

Com certeza. Tyron Smith é dono do contrato mais longo entre todos do Dallas Cowboys e não corre nenhum risco de sair.

 


 

Zack Martin

 

Números Individuais

  • 16 jogos
  • 1018 snaps totais

 

Premiação Individual

  • Pro Bowl
  • 2nd Team All-Pro
  • PFWA All-NFL Team

 

Situação Contratual

  • Salário em 2017: US$2.853.391,00
  • Salário em 2018: US$9.341.000,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2018

 

Pontos Positivos

Zack Martin é sem dúvidas uma das melhores escolhas do Dallas Cowboys na última década. Novamente eleito para o Pro Bowl e All-Pro, Martin teve uma temporada incrível em todos os aspectos, inclusive o disciplinar: não houve nenhuma falta do jogador em 2017. Impecável.

 

Pontos Negativos

A qualidade de Zack Martin é tão grande que fica até difícil achar um ponto negativo em seu jogo. Tem alguma dica para nós aqui?

 

Fica para a próxima temporada?

Sim. O Dallas Cowboys ativou a renovação automática de um ano de seu contrato de calouro e Martin fica para 2018.

 


 

Travis Frederick

 

Números Individuais

  • 16 jogos
  • 1065 snaps totais

 

Premiação Individual

  • Pro Bowl

 

Situação Contratual

  • Salário em 2017: US$4.531.978,00
  • Salário em 2018: US$13.235.000,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2023

 

Pontos Positivos

Ano vem e ano vai e Travis Frederick continua sendo o melhor jogador da linha ofensiva quando se trata de consistência. Foram 16 jogos e impressionantes zero sacks cedidos na temporada. Ou seja: por melhor que tenha sido o interior da linha defensiva adversária, nenhum deles conseguiu passar por Frederick e derrubar Dak Prescott. 

 

Pontos Negativos

Além de três faltas de seguradas cometidas, Frederick não foi tão bem em 2017 quando tratamos de bloquear para o jogo terrestre. A prova disso foi o jogador não ter sido eleito ao All-Pro, honraria da NFL maior que o Pro Bowl.

 

Fica para a próxima temporada?

Com certeza. Frederick acabou de renovar seu contrato e não corre nenhum risco de sair..

 


 

Jonathan Cooper

 

Números Individuais

  • 13 jogos
  • 835 snaps totais

 

Premiação Individual

Nenhuma

 

Situação Contratual

  • Salário em 2017: US$1.656.250,00
  • Salário em 2018: –
  • Situação ContratualFree Agent irrestrito em 2018

 

Pontos Positivos

Jonathan Cooper disputou a titularidade como left guard contra Chaz Green e foi muito bem, herdando a vaga deixada por Ronald Leary. Apesar de não ser o jogador que esperavam que fosse quando foi selecionado no Draft de 2013, Cooper teve uma temporada muito sólida.

 

Pontos Negativos

Cooper foi o segundo jogador de linha ofensiva mais faltoso da equipe, com seis no total. Isso é reflexo de que o jogador perdeu alguns combates na trincheira e precisou cometer falta para evitar a pressão no quarterback ou que o running back conseguisse correr.

 

Fica para a próxima temporada?

Talvez. Com uma boa temporada, Cooper pode testar o mercado para ver se consegue um contrato melhor. Ainda assim, há o interesse do Cowboys de renovar seu vínculo com o time.

 


 

La’el Collins

 

Números Individuais

  • 16 jogos
  • 1065 snaps totais

 

Premiação Individual

Nenhuma

 

Situação Contratual

  • Salário em 2017: US$2.340.333,00
  • Salário em 2018: US$5.833.333,00
  • Situação Contratual: Em contrato até 2019

 

Pontos Positivos

La’el Collins assumiu a posição de right tackle deixada por Doug Free e conseguiu manter uma regularidade. Collins jogou todos os snaps ofensivos da temporada, deixando pra longe seu histórico de lesões.

 

Pontos Negativos

Quando enfrentou pass rushers de maior qualidade, Collins decepcionou. Desempenhos ruins enfrentando Von Miller e Khalil Mack mostraram que La’el ainda não é um OT de elite.

 

Fica para a próxima temporada?

Sim. La’el Collins está de contrato renovado e não deve sair antes do fim.

 


 

Reservas

 

Jogadores

  • Chaz Green (foto)
  • Byron Bell
  • Joe Looney
  • Kadeem Edwards

 

Situação Contratual

  • Chaz Green
    • Salário em 2017: US$786.467,00
    • Salário em 2018: US$877.245,00
    • Situação Contratual: Em contrato até 2019
  • Byron Bell
    • Salário em 2017: US$1.775.000,00
    • Salário em 2018: –
    • Situação Contratual: Free Agent irrestrito em 2017
  • Joe Looney
  • Kadeem Edwards
    • Salário em 2017: US$27.353,00
    • Salário em 2018: US$555.000,00
    • Situação Contratual: Em contrato até 2018

 

Pontos Positivos

Chaz Green é um reserva útil considerando sua posição original de guard. Byron Bell conseguiu segurar as pontas como reserva de Tyron Smith, enquanto Joe Looney entrava em campo somente em situações de corrida, trabalhado quase como um tight end. Kadeem Edwards não jogou nenhum snap.

 

Pontos Negativos

Nenhum deles mostrou talento o suficiente para ser titular do Dallas Cowboys. Chaz Green e Byron Bell foram uma tragédia substituindo Tyron Smith, enquanto os outros dois nem sequer tiveram a oportunidade de mostrar o que são.

 

Ficam para a próxima temporada?

Por já estar sob contrato e com um valor baixo, Chaz Green deverá continuar no time como reserva, enquanto Joe Looney pode se manter pelo bom trabalho no jogo terrestre. Kadeem Edwards está sob contrato e pode disputar uma posição no elenco em 2018, enquanto Byron Bell dificilmente renova.

 


 

O que esperar da posição para 2018?

Melhora. Enquanto o trio de ferro Tyron Smith, Zack Martin e Travis Frederick deverá se manter entre os melhores da liga, as outras duas posições ainda estão em dúvida para o time. La’el Collins será o titular na extremidade direita da linha ofensiva, mas ainda precisa melhorar seu jogo enquanto enfrenta pass rushers mais capazes. No interior da linha, Jonathan Cooper foi um bom achado, mas nada garante que ele retorne.

Diante disso, é necessário reforçar o setor. Se Cooper deixar o time, o time precisa de reforços na free agency, para titularidade ou não. Do outro lado, é necessário um offensive tackle que consiga suprir bem a ausência de Tyron Smith ou La’el Collins caso eles se machuquem. Não se surpreenda se o reforço vir no segundo dia do Draft.

 


 

Conclusão

A linha ofensiva continua sendo o ponto forte do ataque. Três dos cinco jogadores estão entre os melhores de suas posições na NFL e são bastante responsáveis pelo sucesso do jogo terrestre. No entanto, as outras duas posições restantes ainda geram dor de cabeça.

La’el Collins se manteve como ponto seguro, mas ainda não se confirmou como um ótimo right tackle depois de mudar de posição. Por outro lado, Jonathan Cooper foi bem, mas pode deixar o time. Entre os reservas, vimos muito pouco para achar que eles supririam a ausência dos titulares.

Para 2018, será necessário reforçar o setor. Entre reforços pontuais na free agency e até uma escolha no draft, tudo deverá ser feito para evitar que a tragédia que aconteceu em 2017 se repita, quando Dak foi exaustivamente pressionado após a lesão de Smith.


Quer ver as análises de todas as posições? Então clique aqui!

 

191
Roger Steinman/Associated Press

O right tackle La’el Collins deve voltar aos treinos de quinta-feira pela primeira vez em mais de duas semanas segundo o técnico Jason Garrett.

Collins tem sido segurado por uma lesão nas costas, que tem causado dores no jogador e o limita nos treinos.

Collins não treinou nas últimas duas semanas antes dos jogos contra os Redskins e contra os Giants, mas jogou nos dois jogos. A expectativa é que o jogador jogue no domingo contra Oakland.

“La’el tem feito um ótimo trabalho nas últimas semanas em que não consegue treinar, mas mesmo assim participa dos jogos,” disse Garrett. “Ele é um daqueles jogadores que fica cada vez melhor. Ele ama jogar futebol americano, ele é muito físico e eu acho que ele está aprendendo e crescendo com a experiência que tem.”

Assim como Collins, o left tackle Tyron Smith também tem sido freado por uma lesão nas costas. Smith e Collins não treinaram na quarta-feira. Smith, que deve voltar aos treinos na quinta-feira, perdeu a maioria dos treinos de quarta-feira com o objetivo de descansar suas costas. No ano passado, Smith sofreu com uma hérnia e as suas dores nas costas voltaram durante o training camp e não pararam mais.

Os Cowboys estão esperançosos que o jogador de linha defensiva David Irving possa retornar aos treinos também no fim dessa semana. Irving perdeu o jogo do último domingo contra os Giants com uma concussão e não chegou nem a viajar com o time. Ele não treinou na quarta-feira.

O cornerback Orlando Scandrick (costas), o recebedor Brice Butler (pé) e o tight end James Hanna (joelho) também não treinaram na quarta-feira, Scandrick não viajou com o time para Nova Iorque no domingo devido à duas fraturas nas costas.

O defensive tackle Maliek Collins (pé), o linebacker Justin Durant (concussão) e o linebacker Sean Lee (coxa) treinaram de forma limitada na quarta-feira. Durant também não viajou com o time para Nova Iorque no domingo passado.

369

Durante a última segunda feira havia-se muito especulado sobre uma possível renovação de contrato de dois anos com um dos jogadores de linha ofensiva dos Cowboys.

E aconteceu, nesta tarde de terça feira, a renovação de um jogador da linha ofensiva que ninguém esperava a renovação.

Os Cowboys entraram em acordo com os termos contratuais com La’el Collins em uma extensão de contrato de dois anos, garantindo a presença do jogador até 2019. Collins estava estrando para o último ano de um contrato assinado em 2015, quando ele era um agente livre não escolhido no draft daquele ano.

E não era esperado que Collins viesse a se tornar um agente livre não escolhido naquele ano. O offensive line de LSU era esperado ser escolhido na primeira rodada no Draft de 2015 da NFL, mas suas projeções caíram após o jogador ser procurado pela polícia e interrogado pela morte de uma ex-namorada.  No final da investigação da polícia, concluíram que Collins não havia participado do crime, mas esta situação fizeram com que as equipes da NFL não o escolhessem no draft. Após o draft, o jogador assinou com Dallas em um valor muito menor do que ele esperava, um contrato com duração de três anos no valor de 1,6 milhões de dólares.

Esta extensão de contrato assinada hoje, irá tentar corrigir este valor, para dizer o mínimo. Segundo fontes ligadas ao time, a extensão é de 15,4 milhões de dólares com um bônus de 4 milhões. Com o novo contrato, o jogador receberá em média U$ 7,7 milhões por temporada, que o coloca entre os melhores salários de right tackle da liga.

Analisando o salary cap atual da equipe, nada disso deve impedir com que os Cowboys continuem trabalhando na extensão de contrato de Zack Martin. O Vice-Presidente executivo dos Cowboys, Stephen Jones, comentou no último sábado, que o front office da equipe planeja trabalhar duro para entender o contrato do All-Pro durante o training camp do time.

De qualquer forma, o acordo de Collins manterá a linha ofensiva dos Cowboys intacta durante pelo menos algumas temporadas. Tyron Smith e Travis Frederick estão com contratos longos, e Martin ainda tem pelo menos duas temporadas com o seu contrato de calouro. Chaz Green, que é o nome mais forte para jogar de left guard, também tem duas temporadas restantes do seu contrato de calouro.

713
G.J. McCarthy/The Dallas Morning News

Agora que parece que La’el Collins assegurou a posição de right tackle titular, os Cowboys precisam de alguém para substituir Collins como left guard titular.

E essa substituição pode acontecer através de Chaz Green, o jogador que os Cowboys tinham esperança de dar-lhes um impulso na posição de right tackle quando Doug Free se aposentou durante a offseason.

Green começou a treinar como left guard titular na semana passada e treinou nessa posição novamente na última quarta-feira, durante a terceira semana dos treinos organizados pelo time no The Star.

Green disse que os Cowboys conversaram com ele sobre jogar na posição de left guard na semana passada.

“Eu estou tentando ser titular, treinando como left guard e treinando como right tackle algumas vezes,” Green said. “Eu estou apenas tentando provar que posso ser esse cara.

“É uma oportunidade entre eles (titulares). Eu não me importo onde estou jogando. Eu só quero estabelecer meu lugar, ir em frente e mostrar que quando estou lá no campo, eu vou cada vez mais ajudar o time.”

Green ainda não mostrou seu valor em suas duas primeiras temporadas depois que os Cowboys o selecionaram na terceira rodada do draft de 2015. Ele perdeu sua primeira temporada depois de uma cirurgia no quadril e lutou contra uma torção no pé e uma hernia de disco nas costas na temporada passada, o que fez com que ele jogasse somente quatro jogos.

“Definitivamente, eu tenho que melhorar meu trabalho com os pés, jogar com eles controlados,” falou Green. “Eu tenho agilidade nos pés mas as vezes eu perco o controle sobre eles. Tenho que apenas mantê-los controlados.”

597
Foto: Tom Fox / The Dallas Morning News

Com a aposentadoria de Doug Free anunciada, uma vaga surgiu na linha ofensiva do Dallas Cowboys, dando início a uma série de análises e conjecturas sobre quem assumiria o seu lugar. Mas o que poucos imaginariam é que La’el Collins seria testado como seu sucessor. O jogador revelou que está treinando exclusivamente como right tackle, posição deixada por Free, mesmo depois de ter atuado durante dois anos na NFL como left guard.

E esta mudança tem uma razão.

O Dallas Cowboys quer colocar os cinco melhores jogadores disponíveis de linha ofensiva em 2017, o que significa, em teoria, realocar Collins para a posição de right tackle e dar a titularidade no interior da linha para o LG Jonathan Cooper, entre o LT Tyron Smith e o C Travis Frederick, com o RG Zack Martin completando o quinteto.

“Essa é provavelmente a minha preferência”, afirmou Jerry Jones, dono da franquia. “Você sempre quer o melhor do seu time em campo simultaneamente.”

Esta decisão ainda não é definitiva, já que possivelmente teremos outros atletas disputando pela posição de right tackle. Chaz Green foi draftado na terceira rodada de 2015 com esta finalidade (substituir Free) e se prepara para mostrar que é capaz de ser titular do time. Já Byron Bell chegou à equipe este ano, mas não é por este detalhe que ele vai se contentar com a reserva, sendo mais um dos pretendentes à vaga.

Jonathan Cooper também precisa garantir que ele vale toda a mudança na linha. Ele sofreu com muitas lesões desde que chegou à liga e agora tem a oportunidade de provar por que foi selecionado na sétima escolha geral do Draft em 2013.

“Collins está treinando nesta nova posição”, disse o treinador Jason Garrett. “Jonathan Cooper está como left guard. Mas ainda é muito cedo. Esses caras terão a chance de mostrar o que são capazes de fazer. Com o tempo veremos quem é melhor e onde se encaixa melhor.”

Colocar Collins como RT é uma opção considerável, já que ele também atuou como OT nos seus tempos de college. Os Cowboys acreditam que guard é a sua melhor posição, mas a sua habilidade atlética dá a ele a flexibilidade para preencher outro espaço na linha da equipe.

“Seu conjunto de habilidades combina com as características de um right tackle“, declarou Jones“Ele é muito forte, tem a habilidade de jogar em ambas as posições. Somado isso ao seu tamanho, tudo isso faz dele um talento excepcional.”

687
Foto: Roger Steinman / AP Photo

Os Cowboys moveram o left guard La’el Collins para right tackle e o jogador se tornou o primeiro candidato para ocupar a vaga deixada pelo aposentado Doug Free. Enquanto os Cowboys comunicaram que as coisas podem mudar até o começo da temporada em Setembro, Collins aproveita a oportunidade para voltar a jogar de tackle.

“Oh, cara, isto é ótimo”, disse Collins durante um evento de caridade da equipe para combater a fome infantil. “Na verdade, eu havia me esquecido o tão bom é estar jogando de ofensive tackle. Neste momento não estamos fazendo muita coisa, estamos apenas começando a treinar. É isso, mas é ótimo.”

Collins, assinou com os Cowboys depois de não ser selecionado no draft de 2015, começou sua carreira como left guard na sua segunda temporada como jogador da LSU antes de se mover para right tackle e jogar suas duas últimas temporadas pela universidade. Começou sua carreira na liga jogando como right tackle no treino de calouro dos Cowboys enquanto Doug Free estava se recuperando de uma cirurgia que havia feito durante aquela offseason.

Free se aposentou depois do término da temporada de 2016, terminando sua carreira de 10 anos na liga e deixando um enorme espaço para ser preenchido na linha ofensiva dos Cowboys.

“É uma pressão enorme, realmente muito grande”, disse Collins, que começou 14 jogos como titular na carreira. “É uma posição muito importante dentro da linha ofensiva. Doug foi um jogador que foi pouco apreciado, mas ele era um ótimo jogador e um grande homem. Dez anos de carreira. Mesmo estando machucado, nós sabíamos que ele estava sofrendo, ele sempre comentava que estava se sentindo bem. E isto é uma das coisas que você aprende com um jogador mais experiente e começa a admirar isso. Ele era um grande jogador, cara!”

Os Cowboys assinaram com o veterano tackle Byron Bell nesta free agency. Bell foi titular em 72 partidas nas suas cinco primeiras temporadas antes de sua lesão no tornozelo que o deixou de fora de toda temporada de 2017. Em algum momento, a equipe vai ter o retorno de Chaz Green, que fez uma cirurgia nas costas em dezembro do ano passado. Green foi selecionado na terceira rodada do draft de 2015.

Por enquanto, ainda, o right tackle da equipe é La’el Collins. Jonathan Cooper pode ser o possível candidato o ocupar a vaga deixada por La’el na posição de left guard.

“Eu sinto que consigo jogar em qualquer posição da linha ofensiva”, disse Collins. “Eu sinto que consigo jogar em qualquer posição, menos a de center. Não sei se posso fazer isso. Travis é um ótimo jogador. E é bem mais difícil do que parece. Eu realmente sinto que consigo jogar em qualquer posição.”

“Eu tenho uma mentalidade de não me importar com a posição que eu vou jogar, só me importo com o meu oponente a minha frente, eu vou tirar ele da frente da bola e é assim que vai ser. É justamente assim que eu me sinto.”

Collins comentou que ganhou músculos nesta offseason. Ele perdeu peso e ficou mais forte. Ele perdeu 4% de gordura corporal, está com 18% no momento, e ganhou 5% de massa magra.

“Estou focado, apenas trabalhando duro”, disse Collins. “Isso é o resumo do que a minha vida tem sido desde que eu me machuquei. Na verdade, eu transformei este período em que fiquei machucado em um período de treinamento. Estou focado no trabalho e estou trabalhando duro.”

Collins jogou apenas três jogos na temporada passada, indo para a lista de machucados depois de passar por uma cirurgia no dedão direito. Collins comentou que o dedão está 100%. O jogador está usando um curativo para o dedão, além também de usar um calçado especial com proteção para o dedo lesionado.

“Foi difícil”, disse Collins sobre a temporada passada. “É doloroso você não conseguir treinar com os seus companheiros de equipe, treinar com pessoas que você convivia diariamente. E você não ser capaz de fazer isto, é algo que realmente machuca nós jogadores. Para mim, agora, eu estou me sentindo bem e pronto para treinar. E estou bastante animado com isto. Não vejo a hora de chegar o momento de treinar novamente com meus companheiros de equipe, quero treinar e dar o meu melhor. Eu nunca vou me dar por vencido. Nunca farei isso.”

Ronald Leary voltou a ser titular nos 13 últimos jogos da temporada passada após a lesão de Collins, Mas Leary assinou com os Broncos nesta offseason.

671

Após Ronald Leary deixar a equipe durante o período de free agencyLa’el Collins tem uma ótima oportunidade de garantir a titularidade absoluta de left guard na linha ofensiva dos Cowboys. Este foi o comentário do treinador Jason Garrett, para o treinador é melhor o jogador se firmar na posição de guard do que uma possível mudança para right tackle.

Collins sofreu uma grave lesão no terceiro jogo da temporada de 2016, que exigiu cirurgia e deixou o jogador de fora da equipe pelo resto do ano. Leary, um ex titular da linha ofensiva dos Cowboys, assumiu a vaga de Collins pro restante da temporada jogando muito bem todas as suas partidas. Em final de contrato, Leary assinou um novo contrato com o Denver Broncos no valor de $36 milhões durante quatro anos.

“Nós desejamos nada além do melhor para Leary”, disse Garrett na terça feira no NFL Annual Meeting em Phoenix. “Ele foi um excelente jogador para a nossa equipe durante a sua estadia em Dallas. Mas é uma grande oportunidade para La’el voltar e ganhar a vaga de titular absoluto na posição. Nós assinamos com Jonathan Cooper, que estava conosco no final do ano, então já podemos criar alguma competição pela vaga de titular da posição.”

Embora nenhum anúncio oficial não tenha sido feito, há indícios de que é quase certa a aposentadoria de Doug Free. Se caso isso vier a acontecer, é outra posição que precisará de substituto na linha ofensiva dos Cowboys. Free tem sido um jogador dos Cowboys desde que foi selecionado na quarta rodada do draft de 2007. O jogador lidou com lesões nos últimos anos e teve cirurgias nas duas últimas pré-temporadas.

Leia também: Como ficará a linha ofensiva sem Doug Free?

“Doug Free é um grande jogador de futebol”, disse Garrett. “Ele jogaria tranquilamente mais dez anos se ele conseguísse se manter saudável. mas ele tem lidado com várias lesões em seu corpo nos últimos anos e em sua mente era hora de pensar no futuro.”

Chaz Green, selecionado da terceira rodada de 2015, foi titular em duas partidas após a lesão de Tyron Smith na temporada passada e é um dos melhores candidatos a assumir a vaga de right tackle da linha ofensiva da equipe, se ele conseguir manter-se saudável. Na semana passada, os Cowboys assinaram com Byron Bell, jogador com cinco anos de experiência na liga para também criar competição interna na posição.

Collins e o All-Pro right guard Zack Martin jogaram como ofensive tackle em LSU e Notre Dame, respectivamente. Os jogadores podem dar  flexibilidade para a linha ofensiva dos Cowboys, se ela um dia vier a ser necessária.

“Martin é um daqueles jogadores que tem ótimos instintos e compreensão do jogo e tem ótima forma física para fazer várias funções dentro da linha ofensiva do time. Em um mundo ideal, porém, gostaríamos de manter o jogador como guard,” disse Garrett.

A visão é a mesma e bem semelhante a situação de Collins.

“Eu acho que isso seria o melhor para ambos os jogadores”, disse Garrett. “Mas novamente, eles conseguem exercer e jogar nas duas posições. Ambos os jogadores já jogaram de tackle na faculdade, então eles já possuem experiência em jogos de um nível elevado jogando na posição. Mas vamos dar a ele a chance de jogar como left guard primeiro.”

 

1142

A abordagem lenta, deliberada e econômica dos Dallas Cowboys na free agency deu um outro passo calculado nessa sexta-feira, ao assinar com o offensive tackle free agent Byron Bell por um ano.

Tradução: Bem Vindo a Dallas! Byron Bell é oficialmente um Cowboy #FreeAgency

Bell, que cresceu em Greenville, Texas, assinou com o Carolina Panthers depois do draft em 2011, vindo da Universidade do New Mexico. Ele foi titular em 12 jogo na sua temporada como novato, 15 jogos em 2012, 14 em 2013 e 15 em 2014. Após isso, ele se juntou ao Tennessee Titans, onde foi titular por 16 jogos em 2015 e perdeu a última temporada inteira devido uma lesão no tornozelo. Com os Titans, ele jogou nas posições de left tackle, right tackle e left guard.

Ele pode ser a solução para a vaga deixada na posição de right tackle, que surgiu pela inesperada aposentadoria de Doug Free.

Os Cowboys estavam projetando usar Chaz Green, uma escolha de terceira rodada no draft de 2015, para o lugar de Free, mas ele se lesionou muito nos últimos dois anos e ainda se mantém como incerteza. Bell daria a eles uma opção mais veterana para a posição. E também permitiria a eles manter La’el Collins como left guard, o que é o desejo da comissão técnica.

Collins foi considerado uma opção para ir para a posição de right tackle devido a insegurança com Green. E os Cowboys também já assinaram com Jonathan Cooper para ter mais opções na posição de guard.


Confira o vai-e-vem do Dallas Cowboys na free agency clicando aqui.

1269

No começo de fevereiro, a linha ofensiva do Dallas Cowboys recebeu um prêmio da NFL que dizia o que todos já sabiam: ela era a melhor da NFL. O trio de ferro composto por Tyron Smith, Travis Frederick e Zack Martin certamente foi um grande responsável por esse mérito, mas não podemos esquecer dos outros dois jogadores: Ronald Leary e Doug Free.

Hoje, o Dallas Cowboys acaba de perder os dois jogadores.

A saída de Ronald Leary era até esperada e o time já tem um jogador para repor essa ausência, com La’el Collins. Mas e agora sem Doug Free? Quais as opções que o time tem para substitui-lo? Já respondendo, há uma série de possibilidades que o time pode fazer para repor a sua saída.

Essa foi a linha ofensiva titular do Dallas Cowboys em 2016 e em 2014 também. Optamos por não colocar o La’el Collins porque ele mal jogou, dando ao Leary o trabalho de jogar como left guard ao longo de praticamente toda a temporada. Vamos para as possibilidades de repor a saída de Doug Free:

 

1 – Chaz Green

Essa é a primeira e, sem dúvidas, uma das melhores opções que o Dallas Cowboys tem no momento. Na posição de LG, não há dúvidas que La’el Collins substituiria Ronald Leary, afinal ele começou 2016 como titular. Chaz Green foi selecionado na 3ª rodada do Draft de 2015 e é a melhor opção que o time tem dentro do elenco para substitui Doug Free. Green já jogou snaps como OT no lado esquerdo e no lado direito e é o mais preparado para repor a saída do veterano. Seu maior problema são as lesões: contando sua carreira universitária, foram sete cirurgias nos últimos cinco anos. Preocupante.

 

2 – La’el Collins

A opção de colocar La’el Collins no lugar de Doug Free pode parecer ousada, mas há um sentido por trás. Em LSU, La’el Collins jogou como OT por praticamente toda a sua carreira universitária e foi nessa posição que o jogador teve seu melhor desempenho. Deslocá-lo para o lado direito pode parecer uma boa opção, já que ele poderia facilmente se adaptar para a nova função.

O problema nessa situação fica justamente na posição que ele deixou: a de left guard. Se Ronald Leary ainda estivesse no time, ele resolveria os problemas e a linha poderia fechar dessa forma. Só que ele não está. Sem Leary, o melhor guard disponível para a posição é Joe Looney, um jogador que entrava em campo em 2016 para exercer uma função de 6º homem da linha ofensiva em jogadas óbvias de corrida. O problema é que Looney nunca mostrou em sua carreira qualidade suficiente para torná-lo um titular de confiança. Há a opção de trazer Jonathan Cooper de volta, um guard que já foi escolha de primeira rodada e que estava no banco de reservas, mas nada garante que ele resolverá a posição também.

Para piorar a situação, não há garantias de que La’el Collins resolveria a posição deixada por Doug Free. Quando contratado, Collins foi avaliado pela comissão técnica jogando como OT e como OG, e no fim a decisão foi unânime de que o jogador teria um desempenho muito melhor na NFL como guard do que como tackle. Se em 2015 a ideia era essa, o que faria os técnicos mudarem de ideia depois de duas temporadas completas com o jogador treinando, jogando e se adaptando na posição que eles optaram?

 

3 – Zack Martin

Se você já estava achando a segunda opção uma coisa de louco, dê uma olhada nessa. Entre as maiores mudanças, a principal é a de Zack Martin ocupando o lugar deixado por Doug Free. Um jogador com a qualidade de Zack Martin provavelmente jogaria em um nível alto em qualquer posição da linha ofensiva, sem dúvidas, e isso resolveria o problema deixado por Doug Free. Mas vale mesmo a pena isso?

Zack Martin é um dos melhores — se não for o melhor — RG da NFL. Figurinha certa no Pro Bowl e All-Pro em sua posição original, mover o jogador para essa nova posição pode desbalancear a ótima linha ofensiva que o time tem hoje e sem a garantia de que ele vá jogar da mesma forma como RT. Ainda há o segundo problema, que é o de sua posição original. Tudo que dissemos sobre a posição de LG no segundo parágrafo do tópico acima serve para o RG dessa opção.

 

4 – Buscar alguém de fora

Essa pode ser uma das melhores opções do Dallas Cowboys no momento. Sem nenhuma ideia de mudar jogadores de posição e ainda sem confiar em Chaz Green, a melhor opção seria buscar seu sucessor por outras vias, como a free agency ou o draft. E como vocês sabem, há pontos negativos nessas duas opções.

Buscar um jogador na free agency significa correr atrás de alguém que vai pedir mais do que ele necessariamente vale. Por mais que a aposentadoria de Doug Free tenha liberado um bom espaço na folha salaria (US$5 milhões), se comprometer financeiramente por um jogador de idade mais avançada não é o recomendado para o time no momento.

Já no draft, onde o time pode ir atrás de um jogador mais jovem e mais barato, o Dallas Cowboys tem outras prioridades. Enquanto gastar uma escolha alta em um jogador para a posição significa não reforçar outra posição mais carente, não há garantias de que o jogador poderia chegar e jogar tão bem quanto Chaz Green. Além disso, a classe de offensive tackles do Draft de 2017 é uma das piores dos último anos.

 

Mas então, o que fazer?

Em minha humilde opinião, acredito que uma mistura da primeira com a última opção seja a melhor do momento. O time poderia contratar um veterano barato na free agency em um contrato de um ano, ou seja, para resolver o problema dessa e somente dessa temporada. O veterano então disputaria posição com Chaz Green na pré-temporada, o que poderia resolver o problema da posição para esse ano. O substituto de Doug Free? Eu buscaria em 2018, quando o Dallas Cowboys terá bastante escolhas compensatórias por conta das perdas nessa free agency. Mas isso é assunto para outro texto…

Concorda comigo? Discorda? Deixe sua opinião nos comentários!

 

490
Foto: Rodger Mallison / Star-Telegram

O dono do time Jerry Jones e o técnico Jason Garrett disseram que esperam que Doug Free retorne para o Dallas Cowboys nessa temporada.

Recentemente, foi cogitado a ideia do jogador se aposentar.

“Eu não sei de nenhuma conversa sobre aposentadoria do Doug Free”, disse Garrett. “Nós tivemos um bom encontro depois da temporada. Ele, como qualquer outro jogador, quer se afastar um pouco, relaxar para depois voltar a trabalhar com disposição total. Eu não antecipo nada além disso.”

Free, 33 anos, entra no ano final de seu contrato, que lhe dará 5 milhões de dólares de salário base e vai contar US$7,5 milhões para o salary cap. Ele foi titular de todos os 16 jogos de sete das últimas oito temporadas. Free permitiu sete sacks e teve três faltas de segurada na última temporada.

O titular na posição de left guard La’el Colins começou sua carreira como right tackle quando chegou em Dallas, já que Free estava se recuperando de uma cirurgia. Collins passou as últimas duas temporadas em LSU como titular na posição de left tackle depois de começar sua carreira como left guard.

Collins passou boa parte da última temporada lesionado depois de passar por uma cirurgia no pé. Ronald Leary jogou bem em sua ausência, mas o Cowboys não deve conseguir mantê-lo ara a próxima temporada.

“Nós chegamos a pensar sobre (Collins jogar de RT)”, disse o vice-presidente executivo do time Stephen Jones. ” (…) Nossa projeção é ter Doug (Free) de volta, e ele ser nosso titular. Obviamente, se nós não renovarmos com Leary, o que será difícil, então veremos La’el como nosso titular na posição de guard.”