Tags Posts com as tags "Tony Romo"

Tony Romo

220
Foto: USA TODAY Sports

Tony Romo ainda é um amigo próximo do neto de Jerry Jones.

John Stephen Jones, o filho do vice-presidente do Dallas Cowboys Stephen Jones, está saindo de um fantástico 2017, onde liderou o Highland Park para outro título de campeonato estadual do Texas seguido de se comprometer com o Arkansas Razorbacks, a alma mater de seu pai e seu avô. Entre tudo isso, e desde que ele era uma criança, ele ficou apaixonada por Romo jogando – que assumiu o papel de quarterback titular dos Cowboys em 2006, quando Jones era apenas um jovem filho. Os dois desenvolveram um relacionamento cedo que se mantêm até o presente, onde eles ainda se falam frequentemente.

Ao falar com The Musers no KTCK-FM The Ticket, Stephen Jones elogiou Romo pelo que ele fez pelo seu filho ao longo dos anos.

Conforme transcrito pelo The Dallas Morning News:

“Tony realmente foi maravilhoso para John Stephen”, disse ele. “Ele era um grande mentor. Ele era um excelente conselheiro. Ele passou um tempo no campo com John Stephen trabalhando em seu movimento de lançamento. Apenas em geral, ele era um grande mentor para John Stephen”.

Ele também admite prontamente que seu filho reflete o estilo de jogo de Romo de qualquer maneira que puder.

“… Não há dúvida de que John Stephen tentou imitar muitas coisas que Tony fez” disse Jones. “Se é o controle de seus olhos, ou seus ombros, como ele jogou o jogo – (John Stephen) certamente amou como Tony fez isso. Ele adorava o jeito que Tony competia. Certamente Tony fez a diferença no que ele é. Tony ainda se comunica regularmente com ele. Tenho certeza de que eles continuarão a ter muitas conversas à medida que avançam sobre como John Stephen pode ser um quarterback melhor”.

Um olhar para o filme do novo Razorback e você pode facilmente ver vislumbres de Romo em seu jogo. Um QB de grandes jogadas com exemplo de liderança e que entrega as jogadas no campo o colocando para um futuro brilhante. E com um jogador quatro vezes Pro Bowler como mentor, ele só deve melhorar com o tempo.

741

Durante a transmissão do jogo dos Cowboys no último Domingo, Tony Romo teve uma visão bastante aprofundada sobre a equipe texana. Principalmente do seu velho amigo Jason Witten e do seu sucessor na equipe, Dak Prescott.

Romo apontou uma facilidade de Witten em conseguir levar vantagem dos adversários, o entendimento do esporte fora do comum de Sean Lee e a paciência de Dak Prescott no pocket quando está sob pressão, por exemplo no lance do passe para touchdown de Cole Beasley.

Tradução: Tony Romo comenta que a corrida de 10 jardas para o touchdown de Dak Prescott foi “extraordinário” e que o quarterback faz parecer tão fácil. “Uma vez que ele começa, ele consegue”

Tradução: Romo elogia a habilidade de Jason Witten de conseguir levar vantagem dos adversários após sua recepção de 5 jardas em uma terceira descida para 4 jardas. “Como Witten vem chegando após essa recepção?”

É estranho ver Romo agora comentando um jogo com seus velhos companheiros de equipe e amigos, mas será que o ex quarterback de Dallas mudou tanto a maneira de pensar ?

Jason Witten não pensa assim.

“Eu acho que a melhor coisa que envolvem este esporte é que não existem estas situações adversas, como ‘Oh, esta equipe é deste jogador'”, disse Witten após a vitória no último Domingo contra os Chiefs. “É único porque, quando você vê alguns jogadores veteranos que jogaram por um bom tempo, como Tom Brady e alguns outros jogadores, você percebe que estes jogadores evoluíram ao longo de suas carreiras. Quando você possuí essa paixão pelo jogo e, principalmente, um amor dentro do grupo que nós jogadores de Dallas possuímos, torna-se mais fácil fazer a transição e passar por esta situação.”

“Estou feliz por ele e por ele ter conseguido fazer esta ótima transição”.

Witten também comentou que gostou da reunião onde os Cowboys, junto com a CBS, produziram um vídeo em homenagem ao Tony Romo. Na oportunidade, Witten e Romo tiveram a chance de se reencontrarem e falar sobre futebol americano, como faziam na época em que eram companheiros de equipe. Mas ele também percebeu algo a mais em seu companheiro de equipe de longa data, que Witten considera como um amigo de infância com apenas “14 anos de amizade”.

“Eu acho mais do qualquer coisa, posso dizer que a camaradagem que ele teve com todos desta equipe dos Cowboys, ele certamente terá com a CBS”, disse Witten.

Witten foi perguntado se é estranho para ele ver Romo com uma nova equipe.

“Estou feliz por ele e muito feliz por mim por amar o que estou fazendo”, disse Witten. “É ótimo ter a chance de jogar com este grupo de jogadores que temos aqui em Dallas”.

Witten também comentou que gostou de narrar o vídeo de tributo dos Cowboys para Romo antes da partida do último Domingo. Antes de entrar em campo, Witten ficou apreciando os aplausos da torcida durante uns 30 segundos, estasiado.

Tradução: Vídeo em homenagem a Tony Romo que foi passado antes da partida do último Domingo.

Quando Witten ouviu os elogios de Romo, como por exemplo em seus bloqueios e conseguir levar vantagem sobre seus marcadores, Witten sorriu.

“À medida que chego ao final da minha carreira, estes elogios me deixa bastante orgulhoso, mesmo sendo apenas algumas jogadas nesta partida,” disse Witten. “Quando você é capaz de fazer com que o ataque terrestre funcione bem, nós ficamos bastante orgulhosos e gostamos de fazer parte disto.”

“Agradeço muito ao Tony por reconhecer isto”.

E Witten disse no final do dia que o vídeo em homenagem ao Romo não foi a única coisa que ele admirou durante o dia.

“Nós entramos juntos em nossos primeiros anos na Liga com o treinador Bill Parcells, e poxa vida, houve vários dias difíceis, dias bastante difíceis”, disse Witten. “Nós eramos tão inocentes e sem experiência que nem tínhamos noção de como as coisas eram.

“E ao longo dos anos, apenas pensando e trabalhando no melhor que a gente poderíamos ser, e sonhamos um pouco também, porquê não? Tivemos uma ótima jornada juntos e isso foi muito especial para nós”.

633
JOHN F. RHODES/THE DALLAS MORNING NEWS

Pela primeira vez desde 2002, Jason Witten e Tony Romo estarão no mesmo estádio de futebol e não serão companheiros de equipe.

Witten vai estar na posição de sempre, como tight end titular do  Dallas Cowboys. Será o 227º jogo consecutivo que ele jogará pelos Cowboys, o 231º jogo em sua carreira e o 171º jogo consecutivo com titular de sua carreira.

Romo vai estar em uma cabine de televisão no meio de campo, comentando o jogo contra o Kansas City Chiefs pela rede de televisão CBS.

Witten e Romo se tornaram melhores amigos dentro e fora de campo durante as 14 temporadas que estiveram juntos. Eles chegaram como novatos em 2003, Witten, como uma escolha de terceira rodada, e Romo, como um agente livre não escolhido no draft, pegaram um shuttle do aeroporto para um hotel local.

Eles ainda conversam com frequência, por mais que não se vejam mais todos os dias.

“Eu penso somente na jornada que tive com ele,” disse Witten. “O que eu quero dizer, há 14 anos começamos juntos e sonhávamos com uma oportunidade. Então, vejo a minha carreira decolar e ele ainda falando comigo sobre: ‘Ei, é assim que o quarterback pensa’, e depois de três anos e meio, ele recebe uma oportunidade. Em cada passo do caminho, era apenas uma oportunidade única para nós. Definitivamente vou refletir sobre isso, mas temos muitos anos para fazê-lo … agora não é a hora “.

Das 1.123 recepções de Witten, quarta melhor marca na história da NFL, 649 vieram de lançamentos de Romo. Eles combinaram para 7.287 jardas e 37 touchdowns de 2006-15.

A última conexão entre eles veio no primeiro quarto do jogo do dia de Ação de Graças de 2015, contra o Carolina Panthers, passe de 12 jardas. Romo sofreu uma lesão na clavícula ainda nesse mesmo jogo e ficou de fora do resto da temporada. Ele sofreu uma fratura por compressão em suas costas durante a pré-temporada de 2016 e jogou somente um jogo na temporada passada, uma vez que Dak Prescott se tornou titular.

Romo e Witten imaginam se encontrar nas reuniões de produção da rede CBS no sábado. Já antes de jogo, Witten não espera ver o Romo no campo. Às vezes, os comentaristas do jogo, como Troy Aikman, ficam no campo no pré-jogo, mas não é esperado que Romo esteja lá.

“Eu irei vê-lo, dizer um olá e ir para o jogo”, disse Witten. “Esta é uma oportunidade para nós chegarmos a 5 vitórias e 3 derrotas e ninguém entende isso melhor do que ele”.

578

Enquanto o Hall da Fama da NFL Brett Favre conseguiu realizar o seu sonho de virar quarterback na NFL, ele nunca conseguiu realizar totalmente este sonho. Desde criança, Favre sempre sonhou em virar um quarterback do Dallas Cowboys.

No último episódio de um famoso podcast dos Estados Unidos em que Favre fez uma participação especial, o Hall da Fama abriu seu coração e falou sobre o amor que sentia na infância pelos Cowboys e por Roger Staubach.

“Eu queria ser um quarterback do Dallas Cowboys”, disse Favre. “Quando eu era criança, meu jogador favorito – ele ainda continua sendo meu jogador favorito de todos os tempos – era Roger Staubach. E eu sabia tudo sobre o Dallas Cowboys naquela época.

“Primeiramente, ter a chance de ser um quarterback na NFL é uma honra tremenda. E embora eu não tenha jogado pelos Cowboys, eu consegui jogar contra eles várias vezes e eu consegui conhecer Roger Staubach. Eu me sinto bem em chamá-lo de amigo e é ótimo ter um amigo como ele. Eu me arrepio sempre quando nos falamos.”

E apesar do início de duas vitórias e duas derrotas na temporada de 2017, Favre disse que ainda considera os Cowboys o principal candidato a vencer sua divisão.

“Espero que nenhum dos milhares dos torcedores dos Cowboys estejam em pânico no momento. Se analisarmos, os Patriots estão com a mesma campanha. Você seria um idiota em dizer que a temporada acabou para New England”, disse Favre. “Para mim, eu olho as coisas um pouco diferente. Penso que algumas vezes algumas derrotas no início da temporada são melhores do que terminar com 15 vitórias e uma derrota. Eu não acredito que os Cowboys precisam ser tão duramente criticados.

“Eles tiveram uma ótima temporada no ano passado, mas se você analisar bem, você consegue olhar para as vitórias do ano passado e dizer: “Nós poderíamos ter perdidos alguns jogos em que saímos com as vitórias”. Então em alguns desses jogos que você provavelmente deveria ter perdido no ano passado, talvez você os perca nesta temporada. Mas na maioria das vezes você aprende muito mais nas derrotas do que nas vitórias. Eu acredito que você nunca procurará melhorar o seu jogo se você está com 15-1, 14-2 ou até mesmo 13-0 em algum momento da temporada. É ótimo este sentimento de invencibilidade, mas você pode prestar menos atenção nas pequenas coisas que fazem a diferença. As equipes começam a se conhecer melhor nas horas difíceis de uma derrota. E voltar ao básico, eu acho que faria bem a equipe dos Cowboys.”

Favre ainda comentou durante o podcast sobre o trabalho do ex-quarterback dos Cowboys, Tony Romo na CBS.

“Eu acho que ele está fazendo um ótimo trabalho”, disse Favre. “Sempre gostei do Tony, sempre gostei do jeito que ele jogava. Sempre achei suas atuações ótimas e cheias de classe. Obviamente, ele era um cara brilhante”.

 “Parte de mim queria que ele voltasse, não que ele precisasse provar alguma coisa, mas eu odiei ver ele aposentar da maneira que foi. Lembram da coletiva de imprensa dele no ano passado, quando ele deu uma aula de como se comportar em uma situação difícil e delicada com o maior caráter possível, eu sabia que ele faria o mesmo nas cabines de transmissões. Então eu não me surpreendo nenhum pouco com seu trabalho e estou bastante feliz por ele”.

2100
Reprodução

A volta da temporada regular da NFL não foi somente uma estreia para os calouros que acabaram de entrar na liga. Um veterano muito conhecido pela torcida do Dallas Cowboys e por toda liga também fez sua estreia, mas de uma maneira peculiar.

Tony Romo estreou como comentarista da CBS Sports na partida entre Oakland Raiders e Tennessee Titans. O que muitos tratavam como desconfiança, já que Romo nunca teve experiência na função e desbancou logo de cara Phil Simms, pouco a pouco foi se tornando admiração.

O que Tony Romo fez foi, no mínimo, surpreendente. Dá só uma olhada:

Tradução: “@tonyromo pode prever o futuro?”

Você pode até não entender inglês tão bem assim, mas o vídeo já consegue te mostrar claramente o que Tony Romo fez durante a transmissão do jogo: ele previu as jogadas antes dela acontecer.

Pra quem é novo no esporte e está achando que isso foi algo paranormal ou apenas um chute muito bem dado, saiba que há muita inteligência por trás disso. Como o próprio Romo disse durante a transmissão quando foi perguntado pelo narrador como ele estava acertando as jogadas, “eu joguei na NFL por mais de 10 anos”. E é essa bagagem que dá a ele essa capacidade de decifrar as jogadas.

Pela experiência na liga e pelo seu football IQ, Tony Romo consegue ler o posicionamento da defesa e do ataque e, assim, prever qual a jogada mais provável na situação. E não pense que isso vem de agora: durante o momento que ele estava lesionado em 2016, Romo foi flagrado pelas câmeras contando o número de jogadores no box e logo após dizendo “damn it!” (droga! em tradução livre), sabendo que a jogada não ia dar certo.

E, bem, olha o resultado da jogada.

 

 

No entanto, foi só essa semana que a NFL descobriu a incrível inteligência que Tony Romo tem para o futebol americano. Em mais de uma década de presenças constantes na liga, essa pode ser a primeira vez que o ex-número nove seja realmente valorizado pela sua capacidade.

Falar do quanto Romo se sacrificou pelo time em sua carreira seria chover no molhado. Já fizemos ótimos textos sobre isso e você pode ler alguns deles clicando aqui e aqui. Agora, chegou a hora de mostrar o quanto ele realmente foi acima da média quando se tratou de inteligência e entendimento do futebol americano.

Muitos poderão vir aqui e criticar Tony Romo por X e Y, falar que se ele fosse tão inteligente assim não teria cometido tal turnover em tal partida. Sim, é claro, humanos cometem erros. É completamente natural que isso aconteça, seja com Romo, com qualquer quarterback desempregado ou com qualquer um que já esteja no Hall da Fama do futebol americano. Assim como é completamente natural que eles acertem — obviamente, alguns mais do que outros.

Tony Romo em sua primeira semana como comentarista na NFL já deu uma bela amostra de que ele tem conhecimento o suficiente para ser até um coordenador ofensivo, por que não. Apesar de termos que esperar até novembro para vê-lo comentar um jogo do Dallas Cowboys (contra o Kansas City Chiefs, para ser mais exato), tê-lo na cabine de transmissão nos domingos é uma motivação a mais para torcedores do Time da América e para todos os outros que gostam do esporte da bola oval assistirem outros jogos, mesmo que não sejam tão interessantes assim.

E eu achei que você nunca mais me surpreenderia positivamente novamente, Romo.

505
Foto: Ashley Landis/Staff Photographer

Não importa o quanto você tente argumentar, Tony Romo não vai voltar a jogar na NFL.

O ex-quarterback do Dallas Cowboys não tem sentido falta de trabalhar duro no training camp. “Sem arrependimentos”, disse Romo a Barry Horn do Dallas Morning News. Ele descobriu um novo trabalho duro para se dedicar.

Como parte desse trabalho, a vida como analista da CBS, Romo apareceu no media day da empresa na quarta-feira em Nova Iorque para endereçar inúmeros tópicos.

Sem surpresa nenhuma, sua carreira como jogador veio à tona. O que poderia ter acontecido, não o que pode acontecer.

Tony Romo quarterback do New York Jets?

“Eu dei uma olhada neles”, disse Romo. “Eu não vou dizer se eles ficaram entre os quatro finalistas, mas eu dei uma olhada. “

Quatro finalistas?

“Eu pensei em vários times, “ disse Romo. “Houve muita discussão sobre, você sabe. Eu foquei em uns quatro times e decidi a partir disso, obviamente eu tomei a decisão de vir para a CBS e eu senti que a oportunidade era boa demais para deixar passar trabalhar com Jim Nantz e com a CBS. Era tudo muito perfeito. “

Como será que ficariam os Jets se Romo tivesse assinado com eles na intertemporada? Afinal, o time deixou vários veteranos saírem desde o fim da temporada passada e está mais perto de disputar pela primeira escolha do draft do que por uma vaga de playoffs.

Enquanto isso, os Cowboys esperam o seu jogo de abertura no dia 10 de Setembro em casa contra o New York Giants, onde irão começar a defendar sua coroa de campeão da NFC East em horário nobre.

528
Foto: Aaron Doster-USA TODAY Sports

Ninguém dá um discurso, ou mantém uma conversa, como Jerry Jones, um dos eleitos à classe de 2017 do Pro Football Hall of Fame.

O dono e general manager dos Cowboys mencionou uma variedade de tópicos durante seus quase 40 minutos de discurso de introdução no sábado à noite em Canton, Ohio. Surpreendentemente, Jones não chorou – mesmo que em alguns momentos pareça ter chegado perto – enquanto muitos membros de sua família que compareceram estavam claramente emocionados. Jones mencionou diversos técnicos e jogadores que estiveram envolvidos durante sua trajetória, de Jimmy Johnson e Barry Switzer até Troy Aikman, Michael Irvin, Emmitt Smith, Larry Allen, Deion Sanders, Tony Romo e Jason Witten. Jones ainda mencionou e agradeceu a membros específicos da imprensa.

Aqui estão alguns dos destaques, como só Jerry consegue fazer:

Veja o discurso completo aqui – https://www.youtube.com/watch?v=8fVqRf5iKwQ

O amor por Jimmy

O ex-técnico dos Cowboys, Jimmy Johnson estava no palco sábado como apresentador (Jimmy discursou anunciando Jason Taylor, também introduzido no Hall da Fama), e Jones não economizou agradecimentos ao seu antigo colega de time em Arkansas, apesar de sua separação problemática. Quando Jones contratou Johnson e demitiu o ícone Tom Landry, ele trouxe um problema para si mesmo em Dallas, como é parte da história do clube.

“As mudanças eram inevitáveis, ” disse Jones. “Não havia um jeito fácil de fazer isso. Eu queria alguém que eu conhecia, alguém que eu conhecia bem. Eu queria alguém que poderia executar o trabalho de ser nosso técnico. Eu queria Jimmy Johnson. Eu disse que ele valeria cinco escolhas de primeiro round ou cinco ganhadores do Heisman Trophy. Claro que riram muito de mim quando disse isso. Foi minha primeira experiência como dono e general manager tomando uma decisão difícil e impopular. Jimmy, foi uma ótima decisão.

“Você foi um grande companheiro de equipe, você foi um grande parceiro. Ao contrário do que muitos acreditam, nós trabalhamos muito bem juntos por cinco anos e revitalizamos a credibilidade dos Cowboys com os nossos fãs. Nós nos apoiávamos, nós éramos determinados, nós éramos durões, nós aguentamos todas as críticas que poderiam nos fazer. Eu te agradeço por isso. ”

Jones compartilhou uma história que revelou um pouco da sua relação com Johnson. A história retorna ao jogo de pré-temporada contra o Houston Oilers no Japão antes de Dallas protagonizar a campanha que terminou com a vitória no Super Bowl daquela temporada.

“Eles tinham Warren Moon, que está sentado nesse palco hoje à noite, “ disse Jones. “Eles estavam melhores do que nós naquele momento – Warren botou eles 15 pontos na frente no intervalo. Eu estava ao lado do campo e olhei para a cerimônia sendo preparada, e eu vi esse troféu enorme, um guerreiro samurai quase do meu tamanho. Daí eu vi uma boneca gueixa de uns 30 cm, e perguntei para eles o que estava acontecendo. O ganhador levaria o grande guerreiro samurai. O perdedor levaria a pequena boneca. Eu corri até Jimmy e disse ‘a gente não ganhou nada, e eu gostaria de ganhar aquele troféu. ’ ‘Jerry, eu tirei o Aikman depois das primeiras oitos jogadas, é um jogo de pré-temporada. ‘

“É claro que Houston ganhou… eu levei para casa aquela pequena boneca gueixa. É uma longa viagem quando não se diz nada de Tóquio até Dallas.

“Acelere o relógio até uns cinco ou seis meses depois. Nós estamos no Rose Bowl. Paul Tagliabue, o comissário da NFL, nos entrega o troféu Lombardi. E quando ele nos passou o troféu, Jimmy chegou perto de mim e disse, ‘Jerry, você preferiria ter aquele guerreiro samurai em Tóquio ou ter esse Lombardi? ”

Mais tarde, Jones não se segurou e mencionou Johnson de novo dizendo, “Depois, Jimmy ferrou tudo e a gente teve que encerrar nosso relacionamento profissional… ”

Ele deu um sorrisinho, Johnson gargalhou.

Falando de Landry…

Jones fez questão de mencionar Landry no seu discurso, dizendo que a decisão de demití-lo foi difícil e dolorosa.

“Tom Landry, icônico, o único técnico na história dos Cowboys era um ícone, “ disse Jones. “Ele era e ainda é, seu filho está sentado logo ali, ele é o Dallas Cowboys. E eu honro o coach Landry. “

Sobre quando ele tentou comprar os Cowboys:

“Eu aspirava estar na NFL. Em 1988, eu estava em uma viagem de pesca com meu filho no México. E por algum motivo, na manhã seguinte eu acordei e estava me sentindo meio mal. Eu não sei por que, mas eu estava bebendo muito café e estava lendo o jornal quando descobri que o time do Dallas Cowboys estava à venda. Eu encontrei um telefone no lobby e falei para alguém no outro lado da linha ‘você não me conhece pelo Adam, meu nome é Jerry Jones e se eu sobreviver a essa viagem e chegar nos Estados Unidos, eu vou comprar o Dallas Cowboys. ‘Que se dane a ressaca. Eu realmente acho que eu estava intoxicado com a ideia de fazer parte da NFL.

“Então eu comprei os Dallas Cowboys. … eu falhei algumas vezes… era como estender uma corda entre o Empire State e algum outro prédio alto em Nova Iorque, e então começar a caminhar naquela corda sem uma rede embaixo. Você tem que fazer essa coisa dar certo. “

Sobre os cowboys mais recentes, Jones compartilhou seus sentimentos sobre o novo comentarista da CBS, Tony Romo, e sobre o atual tight end, Jason Witten, que muitos acham que pode chegar ao Hall da Fama. Jones agradeceu Witten por organizar uma homenagem no último training camp para as famílias dos policiais mortos na emboscada policial em julho de 2016 em Dallas:

“Nenhum quarterback  na história dos Cowboys teve que levar um fardo tão grande quanto Tony, ele venceu todas as expectativas e entregou algumas das mais marcantes jogadas e inesquecíveis performances da história do nosso time.

“O número 82, Jason Witten, Jason é um dos cinco maiores homens, donos, comissários, jogadores que eu conheci na NFL. Não apenas jogadores, pessoas. … Jason estará aqui, ele vai vestir uma dessas jaquetas douradas.”

438
Foto: Paul Moseley / Star Telegram

O Dallas Cowboys entrou em campo oficialmente sem Tony Romo pela primeira vez desde 2004. Mas isto não significa que o ex-camisa 9 não estava presente no estádio.

Romo, que agora é o principal comentarista da CBS Sports, usou o jogo de abertura da pré-temporada entre Dallas Cowboys e Arizona Cardinals como um ensaio geral para a temporada que iniciará em setembro. Assim como foi para o Time da América, a partida desta última quinta-feira (03) foi apenas um treino para Romo.

A CBS Sports transmitiu o jogo ao vivo, colocando Romo e Jim Nantz em uma cabine de transmissão atrás de uma das endzones, utilizada em partidas do ensino médio.

O antigo quarterback titular dos Cowboys tem trabalhado arduamente em seu novo ofício, obtendo dicas de alguns profissionais do ramo. Sua presença no estádio também lhe deu a oportunidade de homenagear seu antigo chefe Jerry Jones, juntamente com os outros membros da classe de 2017 do Hall da Fama da NFL.

710
Foto: Jae S. Lee / The Dallas Morning News

O agora ex-quarterback do Dallas Cowboys, Tony Romo, foi entrevistado pelo canal NFL Network e fez alguns comentários sobre o Time da América. Confira os destaques da entrevista abaixo.

Sobre as expectativas para os Cowboys

Tony Romo: Bom, elas estão altas. Em qualquer momento que se tem uma temporada igual eles tiveram no último ano, especialmente na cidade de Dallas,  as expectativas vão subir bem lá em cima. Ainda mais com o time que eles tem. Você consegue ver o que aquela linha ofensiva consegue fazer e então eles adicionaram mais alguns componentes temporada passada. Eles ainda tem ótimos jogadores que estão jogando em um nível bem alto. Jason Witten, Dez Bryant, Sean Lee, os veteranos do time. E você ainda adiciona jovens talentos, como Dak e Zeke. Misture tudo isso com aquela linha ofensiva e então você tem um grupo especial. Eu sei que se eles ficarem livres de lesões durante o ano, eles tem chance de voltar e fazer a mesma coisa do ano passado.

Tony, eles ainda tem um armário para você lá no The Star? Alguma chance de vermos você abandonar a cabine de transmissão e colocar os shoulder pads uma última vez.

Tony Romo: Sim, com certeza temos uma boa chance. Vamos ver como acontece.  Brincadeira, foi só uma piada. Pra mim já deu, estou muito feliz com a oportunidade que surgiu para mim. Eu tenho o treinador Jim Nantz me ensinando todas as pequenas coisas da transação que estarei por trás. Eu estou melhorando muito rápido, estou muito empolgado com isso. Eu preciso ser apaixonado pelo jogo, tentar ensinar algo sobre esse jogo e também espero entreter as pessoas durante a jornada. Vai ser bem divertido

 

 

2085
Dallas Cowboys tight end Jason Witten (82) is congratulated by quarterback Tony Romo (right) after catching the game winning touchdown in overtime at AT&T Stadium in Arlington, Texas, Sunday, October 30, 2016. The Cowboys won, 29-23. (Tom Fox/The Dallas Morning News)

Jason Witten está entrando na sua décima quinta temporada com os Cowboys. Do atual elenco, ele é o jogador mais experiente do time. O jogador já participou de vários treinamentos de offseason com a equipe, mas, até este ano, o Pro Bowl tight end nunca apareceu aos treinamentos sem Tony Romo como um de seus companheiros de equipe.

Jason Witten comentou sobre este fato e se sentiu um pouco nostálgico.

“Quando eu parei pra pensar sobre isso, que esta será a primeira temporada sem Romo como companheiro de equipe, vai ser a primeira vez que isso acontecerá na minha carreira, disse Witten em um treinamento dos Cowboys. “Os papéis mudaram um pouco, agora que eu estou um pouco mais velho, estou sendo como um irmão mais velho para os meus companheiros de equipe.”

A mudança do ataque com Dak Prescott começou no início da temporada de 2016, depois da contusão de Romo no jogo de pré-temporada contra o Seahawks na semana três. Dak Prescott assumiu a liderança do ataque dos Cowboys e Jason Witten passou a jogar muito bem com o novo quarterback. Witten teve 69 recepções para 673 jardas e 03 touchdowns na temporada passada. Ele também foi uma das peças mais importantes no jogo corrido da equipe executando bloqueios chaves para o bom desempenho terrestre do time. E durante todo o tempo, seu amigo íntimo, Tony Romo, estava se recuperando da grave lesão que havia sofrido.

“Eu estava muito envolvido com a equipe, e Tony foi o primeiro a me dizer:” “Não permita que a minha situação interfira com o que está acontecendo com esta equipe”, disse Witten. “O que eu mais respeito na carreira de Romo é que aos longos dos anos ele nunca permitiu que a situação dele atrapalhasse o restante da equipe. É mais fácil falar isto do que fazer.”

“Nós jogadores sempre comentados que devemos ser menos egocêntricos, afinal, nós estamos em um esporte profissional. Isso nem sempre é fácil de fazer. Tony certamente fez isso muito bem, e isto diz muito sobre a pessoa que ele é.”

Witten comentou que Romo não possuía um plano para lidar com uma transição tão incomum. Dak era um calouro escolhido na quarta rodada que substituiu Romo e seu backup imeadiato Kellen Moore (Tornozelo) e se tornou titular. Romo escreveu seu discurso e deu uma entrevista coletiva para silenciar os rumores sobre possíveis controvérsias que poderiam acontecer na posição de quarterback da equipe de Dallas.

“Foi autêntico”, disse Witten sobre o discurso de Romo. “A honestidade e a integridade e o sentimento puro que ele apresentou naquela entrevista mostrava que aquilo não era nada fácil para ele. E eu sei que não era”.

Agora, Witten está passando para uma próxima era, sem Tony Romo. Witten comentou que ao ver a mudança rápida de Romo da equipe dos Cowboys para a equipe da CBS com Jim Nantz fez com que ele percebesse o quão rápido sua carreira na NFL pode terminar. Mas Witten está bastante concentrado com seus novos companheiros de equipe. Witten vem assistindo bastante filmes com Prescott e o running back Ezekiell Elliott. Ele comentou que a energia que estes jovens jogadores possuem o deixa bastante animado com a temporada. O tight end ainda disparou contra os pessimistas que estão preocupados se o nível de rendimento dos segundanistas pode cair nesta temporada, mesmo com eles jogando com a melhor linha ofensiva da liga.

“Nós temos um center All-Pro”, disse Witten sobre Prescott. “E se Prescott consegue mudar as jogadas na linha de scrimmage é um sinal que ele vai se tornar um grande jogador. Todas essas coisas que ele vem fazendo me fazem ter respeito por ele, e isso que ele consegue fazer é realmente muito especial”.

Witten também já sabe que alguns torcedores e pessoas ligadas a imprensa americana está preocupada com a queda de produção das suas atuações dentro de campo. Witten respondeu: “Ei, eu sei o que está em jogo e o que eu estou disposto a fazer, e o que eu estou disposto a desistir para jogar neste nível”.

Tradução: Jason Witten não gosta de tirar dias de folga. Garrett tenta tranquiliza-lo: “As razões são as mesmas. Tenho que melhorar seus argumentos. 

Witten foi perguntado se ele prefere a era Prescott ou a era de Tony Romo.

“Eu não tenho este olhar a respeito a isso, que os dois jogadores são rivais e que um é melhor que o outro”, disse Witten. “Certamente eu tive um ótimo relacionamento com todos esses jogadores, e você começa a apreciar os laços que se criam e a maturidade que você conquista no decorrer do caminho”.

“Mas também percebo a oportunidade que tenho agora. E tenho um sentimento que é algo parecido com o que grande treinador Bill Parcells costumava a dizer. O circo não fica na cidade para sempre.