O coordenador assistente especializado em defesa contra o passe, Jerome Henderson, contou nesta quarta-feira (01), que achava que enfrentaria o Dallas Cowboys na final da Conferência Nacional. Ele relatou que assim que o Atlanta Falcons derrotou o Seattle Seahawks, passou a estudar o ataque dos Cowboys, sua antiga equipe.

Mas o time texano acabou sendo derrotado após um field goal que derrubou os sonhos da franquia de levantar o seu sexto troféu Vince Lombardi.

“Você olha para a equipe que Jason [Garrett] montou juntamente com Stephen [Jones] e Jerry [Jones], além de Will McClay”, disse Henderson. “Foi uma equipe fenomenal. Foi inacreditável o que eles fizeram este ano e como eles jogaram bem. Eu achei que iríamos enfrentar Dallas. Então o jogo acabou indo para Atlanta, para termos nosso último jogo em casa, especialmente o último neste estádio. Eu acho que foi uma espécie de final de um livro de histórias. Então agora temos que dar o último passo.”

Henderson trabalhou quatro anos em Dallas, treinando a secundária da equipe. Ele saiu após a temporada de 2015, quando o seu contrato expirou.

“Eu amo aqueles caras, todos eles”, disse. “Eu passei muito tempo com alguns desses caras naquele vestiário, e muitos deles serão amigos por toda a vida, e vamos manter contato por muito tempo. Você sai de um lugar mas sempre deixa uma parte de você para trás. Foram muitas horas naquele prédio e trabalhando ao lado desses caras.”

Henderson defendeu a chamada de Rod Marinelli nos 12 segundos finais da partida da Divisional Round, em que Aaron Rodgers lançou um passe improvável. Com o jogo empatado, Os Packers estavam numa 3ª & 20 na linha de 32 jardas do seu próprio campo e Marinelli chamou uma two-deep zone.

Você consegue imaginar um monte de coordenadores fazendo a mesma chamada nesta mesma situação”, declarou. “É neste momento que um grande jogador faz uma grande jogada para levantar a sua equipe. Esta liga é sobre isso, sobre grandes jogadores fazendo coisas que você não consegue prever. Você pode ver na TV, como se ele falasse ‘Ei, você vem pra cá’, como se estivesse desenhando na mão. Em seguida, um passe genial e uma recepção genial. Isto é o que torna esta liga tão especial, porque cada jogo é um jogo e você nunca sabe nada, especialmente quando você tem duas boas equipes como você tinha neste jogo. Coisas assim acontecem.”

Henderson ainda acrescentou que Rodgers é “um belo de um camisa 12”, mas os Falcons enfrentaram o quarterback de Green Bay na semana seguinte à eliminação dos Cowboys, e limitaram o jogador a apenas 287 jardas, interceptaram-no uma vez e o sacou em duas ocasiões na partida, impedindo os Packers de marcarem mais de 21 pontos no placar. Agora, o time de Atlanta está diante de apenas uma vitória para conquistar o primeiro Super Bowl da franquia.

Quanto à dificuldade da grande final, Henderson respondeu recheado de ironias.

“É uma tarefa fácil. É só o Tom Brady”, concluiu, rindo.

Márcio Silveira
Sigam-me

Márcio Silveira

Colaborador em Blue Star Brasil
Torcedor do Dallas Cowboys desde 2011, quando passou a acompanhar a NFL. Sonha em ver o time no Super Bowl cada vez que a temporada começa.
Márcio Silveira
Sigam-me